10 coisas que ninguém com mais de 50 anos deve ter que aturar

A partir de uma certa idade deixámos simplesmente de ter paciência para certas coisas.

Ao longo da nossa vida, existem alguns marcos que simbolizam o nosso crescimento e o ganho de novos direitos, responsabilidades e deveres. Aos 16 anos de idade podemos começar a tirar uma licença de condução motociclos. Aos 18 podemos votar. Aos 35 anos podemos candidatar-nos à presidência da República. Então e partir dos 50? Quais os privilégios que adquirimos?

A verdade é que não existe propriamente nenhuma grande conquista que se assinale a partir desta idade. O que parece acontecer é antes deixarmos de querer já experienciar um conjunto de certas coisas que deixam de fazer sentido. Ficamos mais clarividentes. Mais certos daquilo que somos e do que queremos para o nosso futuro. Desta forma, igualmente mais certos do que não queremos mais

Afinal, a partir dos 50, é tempo de nos pouparmos de alguns dos maiores inconvenientes da vida. Eis as principais coisas que ninguém com esta idade deve ainda ter que aturar, de acordo com o portal Bestlife.

  1. Sair à noite apenas por nos sentirmos obrigados a isso

A partir do 50 não há mais espaço para a constante sensação de estarmos a perder algo. Uma festa incrível, um grande concerto, um novo amigo. Isto é uma sensação que nos persegue ao longo sobretudo dos 20 e dos 30 mas que a partir de uma certa idade deixa de ser tão intensa.

Entre sair à noite apenas por obrigação ou ficar em casa a ver uma séria, de pijama, no conforto do seu sofá, a escolha parece ficar cada vez mais clara.

  1. Ser alguém que na verdade não é

É certo que ao longo de toda a nossa vida devemos saber fazer certos compromissos. É a lei da vida. No entanto a partir dos 50 é essencial que esteja confortável na sua verdadeira pele e que deixe de querer ajustar-se a qualquer nova realidade ou pessoa.

  1. Ter medo de cometer erros

Eis o que qualquer pessoa aprende após viver mais de 50 anos neste planeta: todos cometemos erros. É algo que faz parte da nossa vida. É inevitável. Ter medo de falhar é algo que nos atormenta e que exige uma capacidade grande de controlo emocional.

  1. Estar numa relação pelas razões erradas

Seja com o seu parceiro, com um amigo ou colega de trabalho, a verdade é que a partir de uma certa idade tendemos a ser mais exigentes com o significado que estes relacionamentos tem para nós. Com a maturidade vem também a capacidade de perceber que a qualidade das suas relações é bem mais importante que a sua quantidade. Não vale a pena dedicar um enorme esforço emocional num relacionamento que não lhe dá nada positivo.

  1. Não passar tempo suficiente com a família

Quando somos mais novos é fácil acreditar que teremos a nossa família para sempre. Infelizmente não é assim que a vida funciona. À medida que envelhecemos esta realidade vai se tornando mais óbvia e como tal passamos a dar um ainda maior valor aos nossos entes mais queridos.

  1. Manter ressentimentos

Depois dos 50 tendemos a perceber que andar continuamente chateado com alguém é uma perda do nosso tempo. Estar zangado com alguém não ajuda a resolver nada e aprender a perdoar pode ser uma das experiências mais reveladoras das nossas vidas.

  1. Ressacas

Beber excessivamente acaba inevitavelmente por ser uma terrível experiência no dia seguinte. Isso é certo em qualquer idade, mas sobretudo quando já somos mais velhos esta realidade torna-se mais aparente. Com esta idade já deveria conhecer bem os seus limites e perceber que tanto álcool apenas pode conduzir a um cenário: uma enorme dor de cabeça.

  1. Ajudar a fazer mudanças

Mesmo que a contrapartida seja cervejas e pizzas, a triste realidade é que provavelmente as nossas costas, ossos e músculos simplesmente já não aguentam transportar um sofá pelas escadas acima. Felizmente existem profissionais que podemos contratar para este tipo de serviços.

  1. Ciúmes

Ser invejoso é normal quando se tem 13 anos e se está preocupado com o facto de a sua “paixoneta” estar a dar demasiada atenção ao vizinho do lado. Aos 50 já não deverá ter tempo para este tipo de sentimentos. Nesta fase da vida a sua confiança deverá garantir que não coloca em causa aquilo que é apenas por eventualmente querer algo melhor.

  1. Dormir no sofá

Quando temos 20 anos, qualquer superfície minimamente suave (ou não) serve de local de repouso. Depois dos 50 isto simplesmente já não é uma realidade. Um bom colchão pode ser tão importante como uma boa refeição ou roupa. Uma boa noite de sono passa a ser ainda mais fundamental para o seu bem-estar.

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
Loading...