Ao cuidado dos avós. Deve intervir em discussões entre os seus filhos e netos?

Estas situações sensíveis podem-se complicar ainda mais caso não atue corretamente.

Uma das grandes alegrias de ser avó tem exatamente a ver com todas as coisas com as quais não se tem já que preocupar. Ao contrário dos pais, os avós não têm normalmente que enfrentar os desafios diários físicos e emocionais que envolvem o educar de uma criança. Nesta fase das suas vidas, podem ter uma relação mais relaxada com os seus netos que se centra mais nas coisas boas, do que na pressão de criar disciplina e corrigir comportamentos.

No entanto à medida que as crianças vão crescendo, e que as dinâmicas familiares se vão alterando, podem existir situações em que sinta vontade de intervir na relação do seu filho e do seu neto. Afinal a verdade é que você tem uma grande experiência de vida e pode certamente ajudar a resolver um qualquer problema que esteja a surgir. Certo?

Bom, segundo os especialistas neste tema, consultados pelo portal Considerable, a verdade é que caso não existam nenhuns sinais de abuso físico ou emocional, deverá evitar ao máximo intervir na dinâmica existente entre o seu filho e neto.

Segundo a terapeuta familiar Carrie Krawiec, a não ser que seja convidado para participar na resolução de um problema, deverá sempre respeitar os limites da sua atuação. Caso decida intervir sem a permissão do seu filho, isto poderá gerar uma enorme tensão no seu relacionamento e agravar ainda mais o problema em questão.

Na situação dos seus filhos ou netos pedirem a sua ajuda, tenha consciência que isto não significa que deverá começar imediatamente a dar sugestões e soluções rápidas. Aqui o essencial será que ouça as duas partes e desempenhe um papel mediador. Tente ser o mais objetivo possível nas suas intervenções e evite fazer julgamento e críticas. Tente aproximar o seu filho e neto, encorajando que estes se consigam ouvir um ao outro de uma forma mais saudável.

Caso decida que deve intervir, os especialistas recomendam, que nunca interrompa a meio uma discussão. Tente falar com o seu filho primeiro, longe dos olhares e da presença do seu neto. Explique-lhe a sua preocupação e ofereça o seu apoio, caso ele se sinta receptivo a isso mesmo.

Este papel conciliador tem ganho uma cada vez maior importância na vida familiar, muito por culpa do facto de aparentemente cada vez mais avós estarem a escolher reformar-se numa zona perto dos seus netos, escolhendo assumir um papel muito mais significativo nas suas vidas. Atualmente estão também a gastar cada vez mais dinheiro com os filhos dos seus filhos.

Os benefícios desta proximidade são vários, tanto para os pais que ganham um forte apoio na gestão da vida quotidiana, como para as crianças que passam a ter um maior e importante acompanhamento familiar. E para si, é claro, os benefícios de uma relação próxima com os seus netos são inúmeros. Pode não só contribuir para uma maior felicidade e sentido de proposito, como pode até ajudar a garantir um melhor estado de saúde que prolongue a sua longevidade.

Por isso já sabe, aproveite ao máximo o facto de ser avó e de não ser novamente um pai. Lembre-se que nesta dinâmica familiar o melhor por vezes é mesmo deixar que os problemas se resolvam pela sua via natural, sem ter de intervir. Aproveite antes os bons momentos.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Josefinas abre lojas pop-up em Braga e Lisboa
Automonitor
Lexus estreia primeiro elétrico UX 300e na China