Chegou o outono. Saiba como se proteger das doenças desta época

É inevitável. O outono traz todos os anos uma mudança ambiental que afeta todas as pessoas, de todas as idades.

Saber identificar as doenças principais da época e as medidas de prevenção e cuidados fundamentais, é essencial, refere o site acp.pt .

Os maiores riscos

Gripe
A gripe é uma doença aguda viral que afeta predominantemente as vias respiratórias. A gripe ocorre, geralmente, entre novembro e março, pelo que é designada por sazonal. Nos anos mais recentes, a maior atividade gripal tem sido observada entre os meses de dezembro e fevereiro.
Para combater esta maior atividade gripal, recomenda-se a vacinação contra a gripe. Devem ser vacinados os indivíduos com maior risco de sofrerem complicações com a doença, nomeadamente idosos e crianças.

Constipação
Pode afetar qualquer pessoa e tem origem na expetoração libertada pelo doente ao respirar, espirrar ou tossir. As mãos são um dos principais meios de propagação.
O tratamento incide na hidratação e toma de antipiréticos e descongestionantes nasais ou anti-histamínico.

Dores de garganta
Doença comum no frio, frequentemente de origem viral. Na maioria das vezes resolvem-se por si, com alguns cuidados: hidratação, chá com limão e mel, evitando ambientes com fumo ou tabaco, e humidificando o ambiente.

Otite
Frequentes entre os seis meses e os dois anos, muitas vezes como consequência de infeções das vias aéreas superiores, provocam dores de ouvidos e febre. Após diagnóstico clínico, prescrevem-se habitualmente antibióticos e analgésicos.

Sinusite
Não sendo uma doença exclusiva do inverno, pode ter maiores consequências com o frio. Causada pela inflamação dos seios peri-nasais, causa o entupimento do nariz, dor na face, sensação de peso na cabeça e nos olhos ou febre.
Quando agravados os sintomas, pode provocar otite, bronquite ou meningite. Em geral é tratada com antibióticos.

Pneumonia
Pode ter origem numa gripe mal tratada ou ser consequência de vírus, bactérias, fungos ou micro-organismos. A pneumonia resulta da inflamação dos alvéolos pulmonares.
Embora tenha tratamento, em casos mais graves pode ser fatal. É tratada através de terapêutica antibiótica.

Doenças reumáticas
O inverno é um dos maiores potenciadores das doenças reumáticas. O frio provoca uma diminuição da circulação sanguínea, contração de tecidos, tendões, músculos e articulações. Na tentativa de armazenar o máximo de calor, o organismo coloca ao mesmo tempo em risco o bom funcionamento articular. Nos pés e mãos, zonas de menor temperatura corporal, a constrição provocada pelo frio afeta a circulação vascular e potencia ou agrava a dor. A menor presença de Sol e diminuição de vitamina D tem igualmente um papel negativo.
O tratamento inclui múltiplas áreas de intervenção que incluem cuidados alimentares, exercício físico e hábitos de vida.

Agravamento de problemas existentes
Caso sofra de problemas circulatórios, estes podem ser agravados pelo clima frio do inverno. O frio pode levar a uma maior carga de stresse no coração, pois aliado à vasoconstrição pode aumentar a pressão arterial e provocar enfartes.

O segredo está na prevenção

  • Vista diversas camadas de roupa
  • Ande bem agasalhado, mesmo em casa. Proteja as extremidades do frio, com luvas, cachecol e gorro. Utilize calçado antiderrapante para prevenir quedas. Tenha cuidado com as mudanças bruscas de temperatura.
  • O ambiente ideal em casa: Mantenha a temperatura no interior entre os 18ºC e os 21ºC. Facilite a circulação de ar, abrindo as janelas periodicamente, para melhorar a qualidade do ar. Garanta o bom funcionamento do aquecimento da casa.
  • Se utilizar lareiras, braseiras, salamandras ou equipamentos a gás, mantenha a correta ventilação das divisões de forma a evitar a acumulação de gases nocivos à saúde. Evite permanecer muito perto das fontes de calor.
  • Antes de se deitar ou sair de casa certifique-se de que apagou ou desligou os equipamentos de aquecimento, de forma a evitar fogos ou intoxicações
  • Aspire com frequência e evite alcatifas, tapetes e cortinados muito densos, de fácil acumulação de pó.
  • Não espirre ou tussa para o ar
  • Tape o nariz e a boca com um lenço. Os lenços de papel devem ser usados apenas uma vez.
  • Lave as mãos regularmente, utilizando sabão ou um gel desinfetante e desinfete-as após tocar em objetos de uso público.
  • Mantenha-se hidratado: Mesmo que não tenha sede, beba água ao longo do dia. Em alternativa, beba chás ou tisanas sem açúcar. Beba sumos naturais ricos em vitaminas. Evite beber bebidas alcoólicas – lembre-se que o álcool não aquece.
  • Faça refeições frequentes ao longo do dia. Coma frutos e hortícolas frescos e da época. Consuma alimentos com vitamina D.
  • Mantenha-se ativo: O frio convida a parar, mas combata a inércia com um pouco de exercício diário. Esteja atento aos noticiários e a eventuais avisos de frio. Tenha à mão o contacto de um familiar para ligar em caso de urgência.

A saúde é o mais importante
Caso tome medicação, cumpra as indicações até ao fim. Não tome antibióticos sem indicação médica.

Os cuidados que a estação pede
Nutrição
Nas estações frias o consumo calórico é maior. Este aumento deve-se à necessidade de uma maior quantidade de energia para manter a temperatura corporal. Inclua frutos e legumes da época no seu regime diário alimentar. Alimentos ricos em nutrientes podem ajudar o sistema imunitário no combate a infeções e doenças características da estação mais fria.

Hidratação
Durante o inverno, é comum haver menos sede e, portanto, uma redução no consumo de líquidos. Uma boa hidratação é fundamental neste período, para que o organismo possa repor as perdas e evitar doenças comuns de inverno, como as que estão associadas às vias respiratórias.

Conforto térmico
Nas épocas de maior frio, o vestuário deverá proteger o corpo da temperatura exterior e ter especialmente atenção às extremidades – mãos, pés e cabeça estão sempre mais expostos do que outras áreas do corpo.

Ler Mais


Artigos relacionados
Comentários
Loading...