Conhece as propriedades dos alimentos azuis e roxos? São muitas e nós revelamos todas

Uma alimentação saudável é, também, uma alimentação colorida e as cores da dieta são dadas fundamentalmente pelos frutos e pelos legumes.

Certamente, já ouviu falar nos benefícios dos frutos vermelhos ou nos carotenos dos frutos cor-de-laranja, diz sua saúde. Mas será que já ouviu falar nos alimentos azuis e roxos?

Os alimentos de cor azul ou roxa têm propriedades incríveis que beneficiam a sua saúde, pois na Natureza, azul ou roxo significa, geralmente, riqueza em nutrientes chamados antocianinas. As antocianinas (termo gerado pela junção das palavras gregas anthos – flor – e kyanos – azul) são, na verdade, pigmentos existentes nas células vegetais responsáveis pela cor característica de vários alimentos, variando do azul ao vermelho. Tal como outros fitonutrientes, não são essenciais ao funcionamento do corpo, como as vitaminas ou os minerais, contudo, tem um efeito de protecção celular contra danos que estão na origem de inúmeros problemas de saúde.

Saiba onde encontrar todos estes benefícios:

· Ameixa roxa. É provavelmente o alimento roxo mais consumido, mas nem todas as ameixas roxas são iguais. Quanto mais intensa a sua cor, mais antocianinas; quanto mais madura, mais nutrientes; e, ainda, a maioria dos antioxidantes localizam-se na pele (até 20 vezes mais do que na polpa).

· Amoras e mirtilos. Estas bagas roxas azuladas são também uma ótima fonte de antocianinas, com propriedades nutritivas similares. Alguns estudos associam o seu consumo a melhoria do humor e à maior capacidade de aprendizagem e concentração, o que leva os cientistas a sugerir que as antocianinas possam ter um papel interessante na comunicação nervosa entre os neurónios.

· Batata azul. Da sua composição nutricional, similar à batata comum e à batata doce, destaca-se o elevado teor em antocianinas com forte ação anti-cancerígena, o que faz da batata azul um potencial mais-valia na prevenção de determinados tipos de cancro.

· Uvas. As uvas escuras, usadas para comer ou para a produção de vinho tinto, são também uma referencia em antocianinas, que podem conferir a este fruto uma casca de cor roxa ou preta. Além disso, são fonte de resveratrol, um antioxidante “da moda” que tem sido associado ao anti-envelhecimento, proteção contra a inflamação, doenças cardiovasculares e determinados tipos de cancro.

· Couve-flor roxa. Apesar de conhecer este legume por ser branco, a variedade roxa também existe. Uma variação num gene apenas transforma este hortícola em roxo e, consequentemente, numa excelente fonte de antocianinas. Além disso, a couve-flor é uma excelente fonte de fibra, calcio e vitamina C.

· Cenoura roxa. Certamente que a encontra em mercados tradicionais ou em restaurantes vegetarianos, sendo fonte de carotenos, como a sua “gémea” cor-de-laranja e também de antocianinas. É deliciosa para consumo em cru, em picle, cozido ou frito.

· Couve roxa. Outra boa fonte de antocianinas que pode ser consumida na forma de chucrute (couve fermentada), conferindo-lhe ainda mais valor nutricional ao adicionar bactérias probióticas que vão fazer parte da flora intestinal ou microbioma. Melhora a imunidade, digestão, absorção de nutrientes e ainda reduz a ansiedade.

· Beterraba. É roxa mas não tem antocianinas. Neste caso, a sua cor é dada por betalaínas, um pigmento colorido e também antioxidante. Ao contrario das antocianinas, as betalaínas são mais sensíveis ao calor, pelo que a melhor forma de consumir beterraba é crua (ralada em saladas ou na forma de sumo).

Ler Mais


Artigos relacionados
Comentários
Loading...