Exercício físico melhora a função cognitiva de quem tem mais de 50

Pesquisa sugere exercícios aeróbicos e de resistência com intensidade moderada sempre que possível.

Fazer exercícios moderados várias vezes por semana pode ser a melhor maneira de manter a mente arguta se tiver mais de 50 anos. A sugestão é de um estudo australiano publicado num jornal científico britânico.

Com efeito, a melhoria da memória e das habilidades de pensamento, quando as pessoas exercitaram o coração e os músculos regularmente, foram um resultado encontrado depois da revisão de 39 estudos. Conclusão igual, mesmo naqueles que já mostravam sinais de declínio cognitivo. Para os investigadores australianos «fazer exercício em qualquer idade é uma atividade proveitosa para a mente e o corpo», concluíram.

Nesta análise de estudos anteriores, cientistas da Universidade de Canberra, Austrália, analisaram os efeitos de pelo menos quatro semanas de exercícios físicos estruturados sobre a função cerebral de adultos.

Ora, que a atividade física reduz o risco de várias doenças, incluindo a diabetes tipo 2 e alguns tipos de cancro, já é do conhecimento público há algum tempo. Acredita-se, também, que ela tem parte no afastamento do declínio natural do cérebro quando entramos na meia-idade.

A teoria diz que, através do exercício, o cérebro recebe um suplemento maior de sangue, oxigênio e nutrientes que aumentam a sua saúde, assim como uma hormona que ajuda na formação de novos neurónios e conexões.

Uma variedade de testes cerebrais revelou provas de que exercícios aeróbicos melhoram habilidades cognitivas, como pensamento, leitura, aprendizagem e raciocínio, enquanto o treino muscular – por exemplo, o levantamento de pesos – teve um efeito significativo na memória e na capacidade do cérebro de planear e organizar, as denominadas funções executivas.

Ainda segundo o estudo, exercícios como Tai Chi são recomendados para pessoas com mais de 50 anos que não conseguem fazer outras formas de exercício mais desafiadoras.

O médico que lidera a saúde e bem-estar de adultos no serviço público inglês, Justin Varney, garantiu à BBC News que qualquer atividade física é boa para o cérebro e para o corpo, e que «embora cada 10 minutos de exercício forneça algum benefício», para reduzir as hipóteses de depressão e demência, «fazer 150 minutos por semana [de exercício físico] aumenta a saúde mental em qualquer idade», asseverou o especialista.

Justin Varney disse ainda «que andar de bicicleta ou ir para o trabalho pode contar como atividade aeróbica» enquanto um bom exemplo de exercício de força pode ser «carregar sacos pesados», acrescentou o médico britânico.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Mark Ronson desvenda futuro dos vídeos de música
Automonitor
Donkervoort celebra os 70 anos do fundador com o D8 GTO-JD70