Pode o exercício físico ajudar a promover o sucesso da sua relação? Perceba aqui porquê

Estamos mais tempo em casa com a nossa cara metade por isso o exercício físico pode ser o segredo para promover a união, espírito de equipa e bem-estar conjunto.

Por: José Pereira, Regional Master Trainer Holmes Place

 

A vida a dois pode ser algo fascinante mas na sociedade moderna de hoje uma relação pode apresentar múltiplos desafios. A capacidade de compreensão, tolerância, respeito e a existência de gostos em comum fortalecem a relação e podem ser decisivos. Estas âncoras podem ser tão diferentes como o gosto de viajar ou simplesmente amigos em comum. Embora nem sempre equacionado, a prática de exercício físico pode proporcionar momentos em conjunto e promover esta união, para além dos benefícios associados à atividade física. Sabendo que existe uma influência mútua no casal a aquisição de estilos de vida saudáveis e aceites pelos dois não só ajudam a manter um relacionamento como promovem o espirito de equipa ao invés da individualidade.

 

Vantagens de treinar com o(a) seu(sua) namorado(a):

– Gestão de tempo: numa sociedade sem tempo para perder, nem sempre conseguimos estar com aqueles de que gostamos como desejaríamos por razões profissionais, pessoais entre outras. Optar por treinar em conjunto pode ser uma excelente forma de contrariar esta tendência e aproveitar melhor o dia;

– Gestão pessoal/emocional: momentos de partilha de experiências como fazer exercício com alguém próximo trará benefícios para a relação. Em alguns casos também pode ser vantajoso para “puxar” alguém a iniciar a prática desportiva bem como a sua manutenção, evitando assim abandono de um ou de ambos;

– Divertimento: como seres sociais, temos tendência a aceitar mais tarefas e ações em grupo;

– Compromisso: mesmo quem treina regularmente tem sempre dias em que simplesmente não apetece. Nestes momentos, a ajuda de um(a) parceiro(a) pode fazer a diferença para vencer a inercia e manter uma boa regularidade. Mesmo a nível de objetivos a alcançar, estabelecer metas em equipa, pode ser mais estimulante e fortalecerá a relação;

– Motivação: treinar em duplas pode ser uma excelente forma de aumentar a regularidade e/ou intensidade das sessões;

– Gestão financeira: No caso de optar por fazer treinos em duplas acompanhados por um profissional pode trazer vantagens para a sua carteira já que os valores pagos por cada um tendem a ser mais reduzidos.

 

Metodologia de treino

Independentemente dos objetivos de cada um, sendo pessoas diferentes deverão ter abordagens distintas. Em todo o caso é importante lembrar que a mesma tarefa (exercício, séries, repetições,…) não geram as mesmas adaptações em dois corpos diferenciados. Por exemplo, numa mesma aula de grupo, a aprendizagem que ocorre nos vários praticantes varia. Isto não invalida portanto que o treino ou parte dele não possa ser feito em conjunto até porque em conjunto não significa necessariamente fazer o mesmo. A ideia é criar ligação sem perder a especificidade por isso enquanto um dos elementos realiza 2/3 séries de flexões de braços o outro pode estar a fazer agachamentos ao mesmo ritmo. Mesmo em treinos completamente distintos, algumas rotinas de aquecimento geral podem ser feitas em conjunto já que nesta fase (ativação e mobilidade geral) devem ser evitadas abordagens analíticas.

 

Cooperação e competição

Saber integrar tarefas de cooperação e/ou competição nas sessões pode ser estimulante e muito enriquecedor, dando sempre prioridade à cooperação antes da oposição mas dependerá da base de confiança que já existe e do perfil pessoal de cada um. Na cooperação devem ser promovidas sinergias através de exercícios em que se procura olhar para o trabalho realizado pela equipa, independentemente do que cada um faz. Num objetivo de fazer 100 agachamentos, um poderá fazer 60 e o outro as restantes 40 repetições durante o mesmo tempo já que o pretendido é ambos completarem o proposto e saírem a vencer. Na competição deve-se promover justiça e não a igualdade. Desta forma, as tarefas do elo mais fraco devem ser ajustadas para tornar tudo mais estimulante. Um exemplo seria ver quem conseguia fazer primeiro a sua série de flexões, sendo que um elemento faria 30 e o outro 20 repetições e com os joelhos apoiados. À semelhança do que acontece com a corrida de S. Silvestre, os resultados servirão para ajustar este mesmo desafio numa sessão futura de modo a trazer equilíbrio para o duelo. Existem ainda tarefas que agregam ambas, como é o caso de desafios que podem fazer ocasionalmente como correr durante uma duração específica. Mais do que saber quem percorreu a maior distância interessa somar os resultados, para haver cooperação, e comparar com a última vez que fizeram essa mesma duração, gerando uma competição saudável e permitindo avaliar a sua progressão sem perder o respeito pelas diferenças individuais.

Conhecer as estratégias que mais motivam o(a) namorado(a) podem ser uma ideia mais adequada para quem tem pouca motivação, mesmo que não seja o tipo de treino supostamente mais adequado. O importante aqui é a sua regularidade de treino. Em alguns casos uma caminhada em conjunto pode trazer grandes benefícios para cada um e também para a “equipa”. Descubra o que mais motiva a sua cara metade, estabeleça objetivos e processos e inicie a prática, de preferência aconselhando-se de um profissional competente. Orgulhe-se de cada etapa superada por ambos e celebre os pequenos ganhos diários que levarão a grandes resultados. Lembre-se que a felicidade de um dependerá do outro e vice-versa.

 

 

 

 

Ler Mais


Artigos relacionados
Comentários
Loading...