Portugal está cada vez mais centralizado na região de Lisboa

Bloom Consulting classifica os 308 municípios portugueses e volta a revelar um país a diferentes velocidades nos mundos do negócio, do turismo e de qualidade de vida.

A capital portuguesa lidera o “Portugal City Brand Ranking” pelo sexto ano consecutivo, no que diz respeito tanto ao seu desempenho nas vertentes de investimento, como de turismo e talento. Estes são os pontos de análise que traduzem quais as melhores cidades/marcas para fazer negócios, visitar e viver.

Lisboa repete novamente o topo da hierarquia municipal portuguesa, secundada, também nas três variáveis, pela cidade do Porto «que consegue reforçar os resultados obtidos» na edição anterior do estudo da Bloom Consulting, uma consultora especializada em analisar e desenvolver estratégias, ferramentas de medição para destinos de todo o mundo.

A cidade Invicta consegue nomeadamente a sua melhor classificação de sempre, tendo encurtado a diferença para Lisboa. Se por um lado a Região Centro é a região que conseguiu um maior crescimento este ano, por outro o Norte iguala o número de municípios da região de Lisboa, com a entrada de Viana do Castelo no Top 25 das cidades portuguesas.

Contudo, a principal leitura destas classificações, ano após ano, continua a ser um país centralizado no “poder” da sua capital, em que os municípios circundantes também lucram. Que o digam Cascais (3º), Sintra (6º) e Setúbal (9º) que este ano protagonizou a única alteração no top 10 nacional ao trocar o último lugar, agora ocupado por Vila Nova de Gaia. Braga (4º), Coimbra (5º), Funchal (7º) e Faro (8º) são as urbes melhor classificadas que não pertencem às áreas metropolitanas de Lisboa ou Porto.

Portugal City Brand Ranking detalhado

A Bloom Consulting foca-se em vários dados estatísticos: desde indicadores económicos (número de empresas e variação ao longo de um ano ou aspetos turísticos como o número de dormidas e a taxa de ocupação hoteleira) analisados em conta da dimensão de cada concelho, a dados sociais como a taxa de crescimento da população ou a do desemprego.

Posteriormente, a empresa tem recurso a uma ferramenta própria – um algoritmo – que mede a atratividade de cada município com o número de pesquisas realizadas nos motores de busca especializados. Por fim, faz-se uma avaliação da presença online de cada concelho, seja através do site oficial ou das redes sociais.

Artigos relacionados
Comentários
Loading...