Sabe o que fazer em caso de AVC?

A incidência de Acidentes Vasculares Cerebrais (AVC) tem vindo a reduzir, mas esta ainda é a principal causa de morte e incapacidade permanente em Portugal. O AVC isquémico é mais letal que o hemorrágico.

Antes de mais, existem dois tipos de alterações nos vasos cerebrais geradoras dos acidentes vasculares cerebrais: as isquémicas e as hemorrágicas.

As isquémicas implicam uma redução no fluxo sanguíneo cerebral. A redução ou interrupção desse fluxo pode ditar a morte. As alterações hemorrágicas correspondem à saída de sangue dos vasos provocando a formação de um aglomerado de sangue que comprime as estruturas cerebrais, alterando o seu funcionamento. A perda de funções desempenhadas, normalmente, por uma estrutura do cérebro (exemplo da visão, paralisia de um membro, entre outras) é a manifestação mais comum.

Nesta patologia, comparativamente com os outros países europeus, a taxa de mortalidade portuguesa destaca-se negativamente. Um terço dos portugueses que sofre um AVC não sobrevive e metade fica com sequelas. 85 por cento dos acidentes vasculares são de origem isquémica.

Os sintomas ou a regra dos 5 F’s

Face: A face pode ficar assimétrica de uma forma súbita, parecendo um “canto da boca” ou uma das pálpebras estarem descaídos.

Força: É comum um braço ou uma perna perderem subitamente a força ou ocorrer uma súbita falta de equilíbrio

Fala: A fala pode parecer estranha ou incompreensível e o discurso não fazer sentido. Com frequência, a pessoa parece não compreender o que se lhe diz.

Falta de visão súbita: A perda súbita de visão, de um ou de ambos os olhos, é um sintoma frequente num AVC, bem como a visão dupla.

Forte dor de cabeça: É, igualmente, importante valorizar uma dor de cabeça súbita e muito intensa, diferente do padrão habitual e sem causa aparente.

Regressão dos sintomas

Se ocorrer uma reversão completa dos sintomas em menos de 24 horas, o acidente denomina-se de Isquémico Transitório (AIT).

O AIT, também conhecido como um mini AVC, deve ser tratado como uma emergência, porque é necessário uma avaliação médica urgente. Um ataque isquémico transitório é um sinal de alerta de que poderá estar em risco de um acidente vascular cerebral mais grave no futuro.

Como agir se desconfiar que alguém está a ter um AVC

Estas repostas podem ajudar no reconhecimento de um AVC ou AIT:

  • Fraqueza Facial: veja se a pessoa consegue sorrir e se a boca ou um olho estão descaídos.
  • Fraqueza no braço: atente na capacidade de a pessoa levantar os braços.
  • Problemas de expressão: peça à pessoa para falar e perceba se o faz com clareza e de forma percetível.

Em caso de dúvida, não hesite e marque o 112.

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
Loading...