Ser pai após os 50. Os riscos não são só para as mulheres

Não são apenas as mulheres que devem estar conscientes dos perigos associados a uma parentalidade mais tardia.

Nos últimos 40 anos o número de homens que são pais após os 40 anos mais do que duplicou. Cada vez mais os casais acabam por assumir parentalidades mais tardias. Os riscos associados a uma gravidez depois dos 40 são amplamente conhecidos, no entanto apenas agora os investigadores começam a explorar igualmente o impacto que um pai mais velho pode ter na formação do feto, tal como reporta o portal online WebMD.

Um estudo publicado em Outubro de 2018 na publicação médica BMJ, concluiu que recém-nascidos filhos de homens entre os 45-54 anos, têm um risco 14% maior de nascimento prematuro e de apresentarem um peso mais reduzido, quando comparado com os bebés de pais com idades entre os 25-34 anos.

Nascimentos prematuros tornam as crianças mais vulneráveis a problemas de saúde físicos e mentais. Assim como exigem um acompanhamento médico mais prolongado nas maternidades.

Mas afinal o que pode justificar esta ligação entre uma idade avançada do pai e os problemas de saúde da criança? De acordo como Michael Eisenberg (um dos responsáveis pelo estudo do BMJ e professor universitário) parecem existir duas explicações. Uma tem que ver com as mutações de ADN que se acumulam nos homens ao longo da idade. A outra, tem que ver com uma má dieta, obesidade e falta de exercício físico, habitualmente mais comum nos homens com idade mais avançada.

Este investigador afirma, no entanto, que não pretende que este estudo assuste os homens com mais de 50. Apesar de parecerem existir maiores riscos e complicações associados a ser pai com esta idade, a verdade é que o risco em geral de algo correr mal com a gravidez e com a saúde do feto continua a ser baixo.

Serve este estudo sobretudo para alertar os homens para a importância de cuidarem bem da sua saúde, e em particular, do seu estado físico. O seu bem-estar, uma boa alimentação e o exercício físico, tudo isto poderá influenciar positivamente também a saúde do seu futuro filho. “Tudo aquilo que afete a sua saúde cardíaca, afeta a fertilidade”, concluiu Eisenberg.

Assim se é um homem mais velho e pretende conceber uma criança deverá ter tudo isto em conta. Adicionalmente poderá ser importante consultar um médico especialista ao longo deste processo, com vista a ter um maior acompanhamento. De forma a puder também esclarecer um conjunto de questões que podem estar associadas ao seu historial médico.

Estas são algumas das questões que deverá colocar ao seu profissional de saúde de confiança.

. Tenho algum problema de saúde que pode afetar o futuro da criança?

. Como posso melhorar as minhas chances de conceber?

. Deve o meu esperma ser testado?

. Serei simplesmente demasiado velho?

As respostas algumas destas questões poderão ser importantes para apaziguar a sua mente, assim como para melhorar as suas chances de ter um filho saudável após os 50.

Saiba que nunca é tarde demais para amar e conceber uma criança saudável. Felizmente a capacidade reprodutiva dos homens e a qualidade do seu esperma, continuam normalmente a funcionar corretamente até ao final das suas vidas.

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
Loading...