10 dicas para viajar em segurança com os seus animais de estimação

Com a chegada do verão e devido às esperadas viagens por estrada, importa relembrar as principais mensagens que compõem a campanha de segurança animal durante os percursos de verão.

Hoje, cada vez mais famílias portuguesas têm um animal de estimação e mais tutores viajam com eles de carro. Sem dúvida, os animais de estimação tornaram-se mais um membro da família que nos acompanha nas viagens, mas se estas viagens não forem devidamente preparadas, existem certos riscos para nós e para o bem-estar destes animais. Danos por impacto ou travagens bruscas, risco de atropelamento em paragens para descanso ou golpes de calor são exemplos claros desses riscos para os cães e os gatos.

Para evitar este tipo de situações, a Royal Canin preparou um conjunto de dicas para garantir o bem-estar animal durante as viagens de carro:

Nunca soltos: um animal de estimação nunca deve viajar solto dentro do veículo, pois pode colidir com outros ocupantes em caso de travagem ou colisão. No caso dos gatos, o melhor local para colocar a caixa de transporte é no chão, entre os bancos dianteiros e traseiros, evitando sempre a luz solar direta.

Sistema de retenção: a escolha de um sistema de retenção adequado ao peso e tamanho do animal é essencial. Entre os sistemas disponíveis estão os cintos de retenção de ancoragem dupla (com sistema de conexão curto e estável), transportadores ou divisores de compartimento que devem ser firmes e estar bem fixos para evitar deslocamentos.

Adaptação progressiva: acostumar o animal aos movimentos e ao sistema de contenção desde o primeiro momento. É aconselhável começar a fazê-lo em viagens curtas para que se possa habituar gradualmente.

Evitar colocar objetos próximos ao animal: malas, sacos ou outros tipos de objetos devem ser mantidos sempre afastados do animal pois podem mover-se e causar danos.

Atenção nas paragens: verifique se o animal não sai a correr do veículo. Isso pode causar um acidente com outros veículos e até mesmo atropelar o próprio animal.

Prevenir os golpes de calor: um golpe de calor é um aumento repentino da temperatura corporal acima de 42 graus. É preciso ter cuidado em situações de calor extremo e é por isso que nunca se deve deixar o animal dentro do veículo com altas temperaturas. Nem mesmo numa área com sombra ou com as janelas abertas. A Royal Canin indica ainda que diante de sintomas como aumento da salivação, tremores musculares, perda de força, respiração acelerada, é necessário ir com urgência ao médico veterinário.

Água e comida: evite dar comida ou água nas horas que antecedem a viagem se o seu animal tiver tendência a tonturas para evitar possíveis vómitos. Durante a paragem de descanso, pequenas quantidades de água podem ser administradas para hidratação. Além disso, uma vez no destino, evite mudanças repentinas na sua dieta. É aconselhável levar sempre um pouco do alimento habitual para garantir uma transição progressiva, se necessário.
Monitorizar a temperatura do veículo: garantindo sempre uma ventilação adequada.

Preparar o kit de viagem: com a sua documentação, o boletim sanitário e passaporte, histórico médico se tiver alguma patologia e tudo o que possa precisar no destino (comida, água, bebedouro ou comedouro e sacos para as fezes, cama e brinquedos).
Atenção ao viajar para o estrangeiro: pode ser necessário ter documentação atualizada, como certificado de saúde ou comprovativo de vacinação contra a raiva.

Ler Mais


loading...
Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

9 + 1 =