Cogumelos podem travar o princípio de demência

Nova pesquisa sugere que primeiros sinais do declínio cognitivo podem ser reprimidos pelo consumo de cogumelos.

Uma equipa de investigadores da Universidade Nacional de Singapura acredita que o consumo de cogumelos pode ajudar a proteger o cérebro do processo de envelhecimento, devido às propriedades de um antioxidante chamado ergotionina. Os resultados desta investigação foram publicados num jornal científico.

Os cientistas descobriram que os idosos que semanalmente consomem mais de duas porções padrão de cogumelos podem ter um risco reduzido em 50 por cento de ver a sua capacidade cognitiva comprometida. Para tal, as pessoas têm de comer mais de duas porções de 150 gramas de cogumelos por semana.

O declínio cognitivo é uma condição transitiva, entre o desenvolvimento de demência e o envelhecimento considerado normal, em que são afetadas a capacidade de atenção, a memória e a noção do espaço.

Para o médico que liderou a equipa de especialistas de Singapura, Lei Feng, considerou esta descoberta «surpreendente e encorajadora», pelo facto de um único ingrediente ter tal «impacto no efeito do declínio cognitivo», constatou o cientista.

Com efeito, para o investigador «as atuais provas científicas propõem que o consumo de cogumelos pode servir como medida preventiva» com o objetivo de evitar o declínio cognitivo «e o desgaste neuronal que resulta do envelhecimento», acrescenta Lei Feng.

Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Arranca a segunda edição do From Start-to-Table
Automonitor
Audi assinala os 25 anos de desportivos RS