Com o passar dos anos tudo muda. Conheça as mudanças do corpo na terceira idade

Com o envelhecimento é natural que ocorram mudanças na aparência e no funcionamento do corpo. Mas atenção:  nem sempre são para pior.

O envelhecimento fisiológico – as mudanças que ocorrem no corpo ao longo do tempo – é um processo complexo. Varia de pessoa para pessoa a ritmos diferentes.

Ossos, articulações e músculos
O corpo encolhe cerca de um centímetro por década depois dos 40 anos, como consequência de perda óssea acelerada, da diminuição do líquido sinovial e da perda de tecidos e fibras musculares. Aos 75 anos, o corpo humano tem metade dos músculos que tinha aos 25. A força reduz 1% a 2% ao ano, e a potência muscular cai cerca de 3% a 4%.

A boa notícia é que os ossos e músculos são tecidos vivos, reconstruídos ao longo da vida. Conforme se envelhece, o processo de ruptura acelera-se, e perde-se massa óssea e muscular. Mas é possível minimizar isso através do exercício, especialmente com treino de resistência (usando pesos), ou qualquer atividade que coloque carga e esforço sobre os ossos, como caminhar, carregar sacos, jogar ténis ou squash.

Força e tamanho
A gordura pode acumular-se na cintura – o clássico pneu. Ainda que aos 60 anos você tenha o mesmo peso de quando era jovem, a quantidade de gordura deve ser o dobro. O acumular de gordura em volta do abdômen pode ser sinal de resistência à insulina, quando o organismo produz a hormona, mas não consegue controlar com eficiência os níveis de açúcar no sangue. Isso acarreta risco de diabetes, doença cardíaca, acidente vascular cerebral e alguns tipos de cancro. Portanto, faça um check-up.

Contudo, aos 60 anos, o corpo tende a perder gordura em outros lugares. Nos homens, a perda de peso pode estar ligada à queda de testosterona. Nas mulheres iacontece por volta dos 65 anos. Dieta e exercícios podem ajudar a manter a boa forma.

Coração e pulmões
O coração encolhe – aos 70 anos, ele tem 30% menos células do que na juventude, e a sua capacidade de bombear é reduzida. O número de bolsas de ar e capilares nos pulmões diminui, e eles perdem elasticidade. A capacidade aeróbica máxima – a quantidade de oxigênio que se absorve quando se faz esforço – muda, e o exercício vigoroso deixa a pessoa mais ofegante. Aos 60 anos, o volume de ar residual – a quantidade de ar que resta nos pulmões após uma expiração forçada – é de cerca de 35%; aos 20, é de 20%.

A boa notícia é que, embora a perda de células cardíacas ocorra à medida que se envelhece e o coração passe por muitas mudanças, esse órgão poderoso tem o ritmo adaptado e continua a bater. Se praticar exercícios aeróbicos, ajuda o coração a lidar com as mudanças relacionadas com a idade. E não fumar beneficia o coração e ajuda a garantir uma boa capacidade pulmonar.

Fígado e Rins
Com a idade, o número de células do fígado declina, o fluxo de sangue diminui e as enzimas necessárias para a função do fígado trabalham com menos eficiência. Estas alterações significam que a eliminação de medicamentos e de outras substâncias do organismo pode demorar mais. Os rins encolhem, por causa da perda de células e da piora na circulação, logo não são tão bons na filtragem dos resíduos. Tal pode levar a uma excreção desequilibrada de água e sal, o que causa desidratação.

A boa notícia é que o fígado tem uma formidável capacidade de regeneração, melhor ainda se moderar a ingestão de álcool. Os rins não se regeneram da mesma forma que o fígado, mas o fato de existirem dois significa que tem capacidade extra.

Cabelo e pele
Rugas, manchas e ele mais fina são alguns dos sinais visíveis da velhice. Mas muito do que se costumava considerar envelhecimento decorre, na verdade, de danos infligidos à pele. Aos 50 anos, metade dos caucasianos têm cabelo grisalho. A quantidade de cabelos e pelos também diminui, embora possa acelerar nas narinas, nas orelhas e nas sobrancelhas. A queda do estrogênio nas mulheres pode fazer surgir pelos no rosto.

A boa notícia é que alguns produtos para a pele e o cabelo podem ajudar, mas a melhor forma de manter a pele mais macia e o cabelo mais brilhante é ter uma alimentação saudável, beber bastante água e evitar expor-se demais ao sol.

Voz
As cartilagens da laringe transformam-se em ossos, e os músculos enfraquecem, deixando a voz mais grave e rouca. A voz das mulheres pode ficar mais baixa, e a dos homens, mais alta. Uma em cada cinco pessoas com mais de 65 anos têm problemas com a voz.

As alterações na voz podem ser minimizadas com treino e aulas de canto (experimente ler em voz alta ou cantar). Evite gritar, para não forçar as cordas vocais.

Ler Mais


Artigos relacionados
Comentários
Loading...