Quer fazer um uso inteligente da energia para reduzir a fatura de eletricidade no fim do mês? Siga estes conselhos

Com o novo aumento dos preços da eletricidade, desde 1 de julho para os clientes domésticos no mercado regulado, e com as flutuações deste mercado, a conta de eletricidade é cada vez mais uma dor de cabeça para os portugueses.

Neste contexto, a ei energia independente, uma empresa pioneira em smart energy, especializada em autoconsumo fotovoltaico, do Grupo Galp, realizou um estudo em Portugal para saber o quanto a população portuguesa sabe sobre a sua fatura atual. E os resultados são surpreendentes: 69% dos portugueses não concordam com o montante que pagam mensalmente.

Para otimizar o seu consumo, a especialista desmistifica algumas questões para o ajudar a fazer um uso inteligente da energia gasta com eletrodomésticos, a fim de poupar mais na sua conta mensal.

1. Agora com o Verão, é mais barato deixar o ar condicionado ligado a uma temperatura constante do que ligá-lo de forma intermitente?
É verdade que, funcionando num regime constante, a eficiência destas máquinas é ótima, por isso, nesse sentido, seria mais eficiente. No entanto, deve prestar atenção aos seus horários contratados. Será sempre mais económico evitar ligar o ar condicionado durante os períodos fora das horas de vazio. Para um utilizador com uma tarifa – bi-horária, o tipo mais comum, deixá-lo em todo o dia significa consumir nas temíveis horas em que a energia é mais cara e, como resultado, a sua conta ficará fora de controlo.

2. Se eu ligar as máquinas de lavar à meia-noite, pouparei na minha conta de eletricidade? E se eu usar o forno, aumentarei os meus custos?
Provavelmente sim, se tiver uma tarifa bi-horária. No entanto, há formas de poupar. Como posso fazer isto? Com soluções de autoconsumo em casa não terá de se preocupar se precisa de ligar o forno elétrico ou a máquina de lavar roupa durante o dia nas “horas fora do vazio”, as horas mais caras, que cobrem a maior parte das horas centrais do dia. Poderá gerar a sua própria energia limpa e de baixo custo durante o dia, o que significará um custo muito mais baixo no final do mês.

3. Como se pode reduzir as contas elevadas para a utilização de máquinas de lavar roupa e máquinas de lavar louça?
Se já as estiver a utilizar de forma responsável, não deverá notar muito impacto na sua conta de eletricidade. No entanto, se na realidade estava a reparar que o consumo de energia da sua casa já estava fora de controlo antes do novo aumento de preço, então deve ser proactivo em tomar medidas para reduzir a sua conta. Uma solução seria controlar devidamente as horas em que utiliza aparelhos, de preferência programando ciclos de lavagem para utilizar em horas “de vazio”.

Por outro lado, e mais uma vez, outra solução é produzir a sua própria energia, com a qual não tem de estar tão vigilante em relação às horas de utilização dos seus aparelhos.

4. Que aparelhos valem realmente a pena mudar para outros períodos de funcionamento?
Uma das principais vítimas desta mudança é o ar condicionado, especialmente com o calor do Verão já a entrar pela janela. Sem dúvida, terá de ter muito cuidado este ano com as horas em que decide utilizar este tipo de equipamento. Os fins-de-semana podem ser cobertos por uma tarifa mais baixa, sendo um período “vazio”, mas as horas centrais de “fora de vazio” dos dias de semana podem ser um problema numa altura em que o teletrabalho, ou o confinamento, são recorrentes. Outro exemplo podem ser os secadores de roupa, com um consumo de energia muito elevado, e mesmo o forno, mas o próprio calor do Verão também tem as suas vantagens, uma vez que a roupa pendurada na varanda ou terraço secará num instante, e os grelhados feitas no exterior não ajudam a aquecer a cozinha.

5. Que solução teríamos de ter para evitar de estar atentos ao relógio cada vez que queremos ligar um aparelho em casa?
Uma excelente maneira de deixar de se preocupar com a conta de eletricidade e as suas flutuações, mesmo nas suas férias, é mudar para formas alternativas de consumo de energia, tais como o autoconsumo, o que lhe permite maximizar a poupança enquanto cuida do planeta. A título de exemplo, uma moradia unifamiliar, com um consumo atual de eletricidade da ordem dos 100 euros mensais, pode, com a instalação de painéis solares, obter uma poupança anual de mais de 500 euros. O retorno do investimento é num período variável estimado de sete anos e para o ambiente significa a não emissão de 900kgs de CO2 por ano. Contudo, ainda há muitas pessoas que não estão conscientes das vantagens desta forma de energia sustentável. Especificamente, 36% dos portugueses reconhecem que não têm um grande conhecimento sobre o autoconsumo. Portanto, o novo preço pode ser uma boa altura para mudar e começar a poupar na conta.

6. Então, se eu instalar painéis solares, evito o possível aumento na minha conta de eletricidade?
Instalar painéis solares e produzir a sua própria energia são dois fatores que certamente o ajudarão a minimizar o impacto da fatura de eletricidade no final do mês. É importante que tenha o apoio de um bom serviço de aconselhamento técnico para dimensionar corretamente as instalações de painéis solares de acordo com o seu consumo, o clima da sua área e as características do seu telhado, evitando o impacto que as sombras podem ter sobre a instalação. Além disso, é fundamental ter um parceiro energético que lhe permita maximizar o valor da instalação durante os 25 anos da sua vida útil, através de um acompanhamento completo.

Em suma, a decisão de transformar a sua casa num espaço autossuficiente, verde e ligada através do autoconsumo, permite-lhe reduzir a sua fatura energética e contribuir para a sustentabilidade com energia limpa em comparação com outras formas mais tradicionais de energia, sem ter de se adaptar a um novo hábito de consumo. De facto, 98% dos portugueses acreditam na necessidade de repensar a forma como consumimos energia e implementar novos modelos que sejam mais amigos do ambiente.

Ler Mais


Artigos relacionados
Comentários
Loading...