Exercício físico. Estes são os passos que deve seguir para reforçar a sua imunidade

Saiba o que deve ter em conta no seu treino para manter uma boa saúde imunológica.

Por: Thordis Berger, CMO – Chief Medical Officer Portugal

 

Prevenir é sempre melhor que remediar. Este ditado, adequado a incontáveis situações no nosso dia a dia, aplica-se também no que diz respeito à manutenção da nossa saúde.

É igualmente válido na prevenção de infeções, que é sempre superior ao seu tratamento. Embora não haja uma forma de evitar completamente o risco de contrair uma infeção, existem várias maneiras eficazes de reduzir o número de episódios infeciosos ocorridos durante um determinado período.

Quando falamos em reduzir o risco de infeção, falamos especificamente em gerir de forma adequada a frequência e intensidade de treino, o uso de estratégias apropriadas de recuperação, boa higiene pessoal, evitar o contato com grandes multidões e pessoas doentes, uma boa alimentação, dormir horas suficientes e de boa qualidade e limitar outros fatores de stress da vida ao mínimo.

 

Como gerir os treinos para manter a saúde imunológica?

 

  • começar com um programa de volume e intensidade baixos a moderados; aumentar gradualmente e periodicamente os volumes e cargas de treino;
  • incluir variedade para limitar a monotonia e o stress do treino;
  • evitar distâncias excessivas que podem levar à exaustão, doença ou lesão;
  • garantir descanso e recuperação suficientes;
  • e instigar um programa de teste para identificar sinais de deterioração do desempenho e manifestações de stress físico.

 

A variabilidade individual na recuperação, capacidade de exercício, fatores de stress não relacionados ao treino e tolerância ao stress devem ser considerados. Variações no desempenho e fadiga são sintomas a serem esperados e respeitados em qualquer atleta, e não significam necessariamente problemas graves de saúde.

No entanto, estes sintomas podem indicar períodos de maior suscetibilidade. Assim, os atletas e especialistas do exercício físico devem estar alertas durante os períodos de maior risco de doença e prestar atenção especial às estratégias de recuperação e a nível nutricional.

 

 

 

 

Ler Mais


Artigos relacionados
Comentários
Loading...