Pode o desinfetante gel perder a eficácia? Estes são os sinais (subtis) a que deve estar atento

Algumas destas coisas podem colocar em risco a sua própria proteção

Uma boa higiene pessoal continua a ser uma das maneiras mais eficazes de reduzir o nosso risco de infeção. Tal como a Organização Mundial de Saúde (OMS) têm referido desde o surto inicial de Covid-19, a lavagem frequente das mãos – com água e sabão ou desinfetante gel – é uma forma extremamente poderosa de travar a progressão da pandemia, eliminando o vírus e reduzindo a sua transmissão.

[Leia também: Covid-19. 5 coisas que nunca teria feito antes da pandemia]

Apesar deste ser um método absolutamente recomendado, existem alguns fatores que podem reduzir a eficácia da eliminação de vírus. Ao longo do tempo uma má utilização das garrafas e frascos de gel desinfetante pode interferir com a sua composição. Tudo está relacionado com o facto de o álcool se puder evaporar com relativa facilidade.

É assim necessário que saiba cuidar e proteger efetivamente as suas embalagens de desinfetante. De acordo com os especialistas, estes são alguns dos principais riscos a que deve prestar maior atenção, como forma de garantir que a “potência” destas soluções alcoólica se mantém intacta.

 

  1. Deixa a tampa aberta

O facto de deixar a tampa aberta do seu desinfetante gel durante largos períodos de tempo pode afetar negativamente a eficácia desta solução alcoólica. A verdade é que o álcool é uma substância química que se evapora com facilidade. Assim quanto maior for a exposição ao ar e ao oxigênio, maior será a probabilidade de o gel perder a sua capacidade desinfetante.

  1. Exposição prolongada ao sol

Da mesma forma, deve igualmente ter cuidado ao arrumar as suas embalagens de gel desinfetante. Procure sempre mantê-las num local fresco e seco. Um contacto direto e prolongado com a luz solar pode acelerar a evaporação do álcool. Isto significa que pode ser algo perigoso manter uma embalagem guardada no seu carro durante vários dias. As altas temperaturas a que este pode estar exposto ao longo do dia podem afetar a composição da solução alcoólica.

  1. Prazo de validade expirado

Sim, as embalagens de gel desinfetante têm um prazo limite para a sua utilização que não deve nunca ser ignorado. Da mesma forma que não vai querer beber leite que tenha ultrapassado o seu prazo de validade, também não vai querer utilizar gel desinfetante muito antigo nas suas mãos. Dependendo da estabilidade e composição de cada embalagem, os desinfetantes de mãos têm habitualmente um prazo de validade de 2 a 3 anos.

  1. Cheiro anormal

Se por alguma razão não conseguir encontrar a data de validade do seu produto, então deve ter atenção ao odor desta solução alcoólica. Esta é normalmente uma boa forma de perceber se ainda é seguro ou não aplicar o desinfetante nas suas mãos. Ao ultrapassar o seu prazo de validade, certos ingredientes do desinfetante perdem a sua eficácia e ganham um novo odor característico, inexistente anteriormente.

  1. Menos de 60% álcool

A recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) é que use apenas gel desinfetante com mais de 60% de álcool. Apenas a partir deste valor é possível assegurar a correta eliminação de vírus e germes. No entanto é ideal que procure soluções com mais de 70%. A verdade é que se utilizar uma embalagem durante muito tempo é natural que o álcool se vá evaporando lentamente. É natural. Assim se escolher uma solução que contenha apenas 60%, é provável que esta perca a sua “potência” mais rapidamente.

 

[Leia também: Desinfetante vs. água e sabão. Qual é o melhor?]

 

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
Loading...