Quer ganhar o Euromilhões?  Saiba como aumentar as hipóteses de acertar na chave

Já apostou no Euromilhões? Esta terça-feira há ‘jackpot’ de 81 milhões de euros.

Os seres humanos têm tendência para lidar mal com números muito elevados e com probabilidades. É o caso do Euromilhões, onde um jackpot pode ser muito chorudo mas a probabilidade de, com uma chave, acertar nele é astronomicamente baixa. É mais provável ser vítima de um infortúnio bizarro, como ser atingido por um relâmpago ou atacado por um tubarão, do que lhe sair o Euromilhões jogando uma única aposta. o mesmo se pode dizer acerca de outras lotarias, como a raspadinha.

A estatística diz-nos que a probabilidade de, com uma aposta, acertar nos 5 números e duas estrelas e ganhar o 1º prémio, é ínfima. Apenas 0.0000007%, ou 1 em 139,838,160. Vendo as coisas por outro prisma: há tantas combinações possíveis que, mesmo que demorasse apenas 10 segundos a preencher uma chave, demoraria 44 anos e 4 meses ininterruptos a preencher todas as chaves! Considerando ainda tempo para comer e dormir, era empreitada para a vida toda.

Em setembro de 2016, as regras foram alteradas e o número de estrelas passou de 11 para 12, o que tornou ainda mais difícil acertar na chave vencedora. Pelas regras antigas, “só” precisava de 37 anos para preencher todas as chaves.

E as más notícias para os apostadores não acabaram aí. O custo de cada aposta subiu para 2,50 euros: mais 20 cêntimos para o Euromilhões, e 30 cêntimos que “pagam” a participação obrigatória no sorteio M1lhão (pode também encontrar a expressão “Totosorteio” – é a designação legal).

Cada aposta simples no Euromilhões gera um código que habilita o apostador a participar no M1lhão. Às sextas-feiras, é sorteado 1 vencedor entre os códigos gerados durante os Euromilhões dessa semana, que recebe 1 milhão de euros.

Ora, se é verdade que os prémios aumentaram em particular no caso do 1.º prémio, isso acaba por ser compensado pela menor probabilidade de conseguir acertar nele. Em resumo: o apostador paga mais para ganhar o mesmo…

Mais vale não jogar?

Sejamos diretos: de um ponto de vista racional, o Euromilhões, como outras lotarias, é um mau investimento. Mas há um retorno emocional, pois permite-lhe sonhar com uma melhoria instantânea (e sem esforço) da qualidade de vida.

Neste caso, sonhar (só) custa 2,50 euros e parte deste valor será usado pela Santa Casa para apoiar boas causas. Portanto, não há mal em sonhar um pouco, desde que seja dinheiro que não faça falta.
Mas não jogue mais do que uma chave: já dá para sonhar, e na prática as probabilidades são tão baixas que pouca diferença faz.

5 Conselhos que podem valer euromilhões

Comece por esquecer os mitos todos: não há combinações mágicas, como jogar só números pares ou ímpares, repetir chaves vencedoras ou escolher chaves que ainda não saíram: todas as combinações têm a mesma probabilidade de serem sorteadas.

Os conselhos seguintes partem de duas premissas. Primeiro, tudo o que interessa é o primeiro prémio: em média, foi de 58 milhões de euros nos últimos sorteios, representando mais de 99% do valor a distribuir. Segunda, quer dividir este prémio com o menor número possível de desconhecidos.

1. Jogue em sociedade. É a única forma de aumentar as probabilidades de ganhar alguma coisa sem gastar mais dinheiro. Por exemplo, suponha que se junta com 3 amigos. Em vez de uma probabilidade muito pequena de receber 58 milhões de euros, tem uma probabilidade 3 vezes superior (contínua a ser insignificante, claro) de ganhar 19 milhões de euros (o prémio a dividir por 3).

Certifique-se contudo que existe uma grande confiança entre todos os membros do grupo, já que uma fortuna pode trazer ao de cima o pior das pessoas.
2. Aposte apenas quando houver jackpot de valor elevado. Como o custo da aposta não muda, à partida o retorno esperado aumenta. Claro que jackpots de valor elevado atraem mais apostadores, e, portanto, aumenta a probabilidade de os prémios serem divididos. Mas este é um efeito incerto e impossível de medir, enquanto o aumento do prémio é certo. Veja também o conselho seguinte.
 

3. Jogue chaves “impopulares”. Mais uma vez, todas as chaves têm a mesma probabilidade de sair, mas quanto menos pessoas a jogarem menor será o valor do prémio que terá de dividir. O ideal seria ser a única pessoa a tê-la.

Existem algumas pistas para o conseguir:
• Uma prática comum entre os apostadores é utilizar datas que tenham significado para eles (nascimento, casamento, etc.). Ora, como os dias do mês não vão além de 31 e os meses são apenas 12, gera-se a tendência para que as chaves contenham mais números até 30. Jogue números superiores a 30 para uma chave mais invulgar.

• 13 é um número considerado azarado, poderá tender a ser menos jogado. Segundo a Santa Casa, os números mais jogados são 7, 3, 5, 6, 4, 2, 13, 9, 11 e 12. Também há quem goste de repetir chaves vencedoras de sorteios anteriores.

4. Crie uma chave aleatória no site dos Jogos Santa CasaOs seres humanos não são muito bons a ser aleatórios. A maior parte das pessoas, quando não seguem uma lógica como a data, ao tentar espalhar os números ao acaso acaba por criar padrões, como escolher um só número em cada linha, não escolher números adjacentes, fazer linhas diagonais, etc. Combata essa tendência para escolhas sistemáticas.

5. Faça as apostas online no site da Santa Casa. Resolve as preocupações relativamente à segurança do boletim de apostas e impede que se esqueça de reclamar prémios, pois são automaticamente atribuídos.

  • Para mais informações consulte este link
Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Arranca a segunda edição do From Start-to-Table
Automonitor
Audi assinala os 25 anos de desportivos RS