“Uma em quatro pessoas vai sofrer um AVC ao longo da vida”. 7 medidas simples de prevenção

A Sociedade Portuguesa do Acidente Vascular Cerebral alerta para o facto de, a cada hora, «três portugueses serem vítimas de um AVC». O país europeu com a maior taxa de mortalidade por esta doença é Portugal.

No âmbito do Dia Mundial do AVC, que se realiza esta terça-feira, dia 29 de outubro, a Sociedade Portuguesa do Acidente Vascular Cerebral (SPAVC) junta-se à organização mundial (WSO) para «realçar a importância de apostar na prevenção da doença vascular cerebral», segundo comunicado enviado à imprensa. O mote para a campanha de 2019 alerta ainda para o facto de «uma em cada quatro pessoas poder vir a ter um AVC».

A mensagem do presidente da SPAVC José Castro Lopes pretende, ainda, «alertar a população para as possibilidades de prevenção e tratamento do AVC». O médico neurologista frisou ainda que «o AVC continua a ser a principal causa de mortalidade e incapacidade permanente no nosso país», embora seja possível prevenir, na maior parte dos casos, a ocorrência da doença.

Assim, a SPAVC e a WSO aproveitam a efeméride do Dia Mundial do AVC para relembrar como se pode contribuir para a prevenção da doença:

  1. Medir regularmente e controlar a pressão arterial, reduzir a quantidade de sal adicionada aos alimentos pode reduzir o risco de sofre um AVC em 30%;
  2. Deixar de fumar pode reduzir o risco de sofrer um AVC em 35%;
  3. Controlar a diabetes e o colesterol;
  4. A prática de atividade física regular, com 30 minutos de exercício diário, pode diminuir o risco de AVC em 20%;
  5. Controlar o peso e aumentar o consumo de vegetais, mantendo uma dieta equilibrada;
  6. Detetar precocemente a fibrilhação auricular – esta condição aumenta o risco de AVC e necessita de medicação corretiva -, verificando periodicamente se as pulsações cardíacas são rítmicas, através da palpação do seu pulso;
  7. Moderar o consumo de bebidas alcoólicas.

O presidente da Direção da SPAVC José Castro Lopes aproveita esta oportunidade para justificar a importância desta iniciativa, especialmente, devido ao panorama nacional. O neurologista avançou que «por hora, três portugueses são vítimas de um AVC», que um deles pode não sobreviver e que os outros dois podem ficar «com incapacidade de grau variável».

Ainda assim, o especialista lembra que esta doença pode ser prevenida e tratada, lançando o repto aos portugueses de que sejam pró-ativos na prevenção, antes de só poderem remediar. Esta é uma luta diária aos fatores de risco de AVC, nomeadamente, a hipertensão arterial, o tabagismo, a diabetes, o sedentarismo, e a fibrilhação auricular (arritmia cardíaca).

Como suspeitar de um AVC?

A dificuldade em falar, a boca ao lado e a falta de força num membro são os sinais de alerta de AVC que os profissionais médicos devem observar para suspeitar-se de um acidente vascular cerebral. Em casos positivos, recomenda-se que se contacte o Número Europeu de Emergência 112, de imediato.

Para esclarecer a população sobre o acidente vascular cerebral, a SPAVC criou um Guia Prático.

Encontro Portugal AVC

A 23 de novembro de 2019, pelas 14:30, no Convento de São Francisco, em Coimbra, decorre um encontro para sobreviventes de AVC, familiares e cuidadores, profissionais de saúde e outros interessados, organizado pela Portugal AVC. As inscrições são gratuitas mas obrigatórias. Aqui pode consultar o programa.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Josefinas abre lojas pop-up em Braga e Lisboa
Automonitor
Cepsa Black Week começa esta sexta-feira