Xeroderma pigmentoso: conheça a doença das pessoas que não podem mesmo apanhar Sol

E astro rei é um inimigo mortal

Para os portadores da xeroderma pigmentoso (XP) o sol pode ser um inimigo mortal.

A doença é incrivelmente rara, sendo que de acordo com o National Institute of Health (dos EUA, no país e no continente europeu cerca de uma pessoa a cada milhão desenvolvem a doença.

A xeroderma pigmentoso é uma condição hereditária.

A doença faz com que o tecido que cobre os olhos e a própria pele fiquem extremamente sensíveis aos raios UV. Em alguns casos, a condição pode levar a complicações envolvendo o sistema nervoso. Mas importa sublinhar que não é contagiosa.

As pessoas que sofrem com a doença podem queimar-se facilmente com os raios solares e eles têm um risco maior de ter cancro de pele. Os sinais e sintomas são muito variados, especialmente porque essa condição pode afetar o sistema nervoso, os olhos e a pele da pessoa.

Sintomas:

  • pele fina e seca (xerose);
  • queimaduras de sol com bolhas;
  • sardas antes dos 2 anos;
  • manchas de pigmentação tanto aumentadas quanto diminuídas (poiquilodermia);
  • linhas vermelhas na pele provocadas pelo alargamento dos vasos sanguíneos;
  • sensibilidade à luz;
  • perda dos pestanas;
  • inflamação da córnea;
  • degeneração das pálpebras;
  • olho seco;
  • perda dos reflexos;
  • disfagia (dificuldade para engolir);
  • menor controle muscular;
  • paralisia das cordas vocais;
  • perda cognitiva progressiva;
  • perda auditiva progressiva devido a danos no nervo do ouvido interno.

 

Ler Mais


loading...
Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

2 + 5 =