10 factos (e curiosidades) interessantes sobre idiomas e linguagens

Os seres humanos são capazes de se expressar de formas verdadeiramente engraçadas.

Estima-se que existam cerca de 7 000 linguagem “espalhadas” um pouco por todo o mundo. Desde o mandarim, que é falado nativamente por mais de um mil milhão de pessoas, até idiomas mais raros (e por vezes imaginários) como o élfico, criado por J.R.R Tolkien e falado por alguns fãs fiéis da saga Hobbit.

Não existem dúvidas de que a linguagem é um instrumento fundamental e complexo da nossa comunicação. Com tantas palavras e idiomas para conhecer é natural que existam alguns factos curiosos e fascinantes relativos às especificidades de cada cultura.

[Leia também: Quer aprender um novo idioma? Estes 5 filmes internacionais prometem ajudar]

Eis alguns dos exemplos, recolhidos pelo portal Education First, que demonstram de forma perfeita as particularidades mais interessantes da forma como comunicamos oralmente.

 

  1. Guerra das onomatopeias

É certo que as onomatopeias que mais usamos e que são mais habituais em Portugal podem-nos parecer sons universais, reconhecíveis por qualquer pessoa. Mas nem sempre é assim. Existem variantes curiosas dependendo dos idiomas e da cultura dos falantes. Por exemplo, em inglês é habitual que as pessoas usem a expressão “snip snip” para comunicar um corte de tesoura. Já os japoneses usam a onomatopeia “chocki chocki” para sinalizar a mesma situação. O nosso clássico “Cócórócócó” (das galinhas) em inglês é “cockadoodle-doo”, em alemão é “kikeriki” e em chinês “goh-geh-goh-goh”.

  1. Palavras bem loooongas

Existem alguns exemplos extraordinários de palavras com dezenas de diferentes letras. Estes são o tipo de palavras que nos cansam só a dizer. Em português a palavra “Pneumoultramicroscopicossilicovulcanoconióticos” é considerada a mais comprida, com cerca de 47 letras no total. Esta palavra identifica os portadores de doença pulmonar causada pela aspiração de cinzas vulcânicas. Curiosamente, em inglês a palavra que descreve o medo de palavras compridas é uma das mais longas de todo o dicionário: “hippopotomonstrosesquipedaliophobia”.

  1. Todas as letras do alfabeto

Tal como o alfabeto inglês também o português é composto por 26 letras. No entanto esta não é uma regra geral utilizada por todos os outros idiomas. Por exemplo, na Papua Nova Guine o idioma rokotas é composto apenas por 11 letras, sendo considerado o mais curto alfabeto do mundo. Já o alfabeto composto por mais letras é o Khmer, falado no Cambodja, com 74.

  1. Muito carácter

O idioma chinês (mandarim/cantonês) é composto por mais de 50 000 caracteres! Isto pode parecer algo assustador para qualquer pessoa que esteja a querer aprender esta língua, no entanto é importante lembrar que para ler um jornal ou livro habitualmente é apenas necessário conhecer cerca de 2 000 caracteres.

  1. Qual a mais antiga?

Esta é uma “velha” questão que dificilmente tem uma resposta exata. Isto acontece porque as línguas e culturas com tradições exclusivamente orais não são consideradas. Os idiomas mais antigos com tradição escrita são o hebreu, o sânscrito, o sumeriano e o basco.

  1. Linguistas criativos

Mais de 200 idiomas artificiais e imaginários foram criados desde o séc. XVII. Muitos deles foram originalmente criados para permitir que os filósofos e eruditos conversassem entre si com total sigilo. Já os exemplos de idiomas artificias criados mais recentemente como o Dothraki, o élvico ou o Klingon são o resultado da cultura pop ou literatura ficcional.

  1. É tempo de rimar

No idioma inglês a letra e vogal “e” é a mais comum. A letra “r” é a consoante mais usada. No entanto a maior parte das palavras começa com a letra “s”. Interessante é o número vasto e invulgar de palavras que simplesmente não rimam com mais nenhuma, como por exemplo “silver”, “bulb”, “angel”, “month”, “husband”, “wolf”, “hungry”, etc.

  1. Festival de sinónimos

A maior parte das culturas e dos idiomas têm dezenas de sinónimos que representam o mesmo conceito ou objeto. No entanto algumas destas línguas ultrapassam (bastante) um número razoável. Os albaneses, por exemplo, têm 27 palavras diferentes para descrever “bigode”. Na Somália existem cerca de 43 termos para identificar camelos. No Havaí usam-se 108 palavras para descrever batata doce.

  1. Palavras ao contrário

No idioma inglês em particular parece existir um número invulgar de palíndromos. Estes correspondem a termos, frases e palavras que ao serem lidas ao contrário representam uma nova palavra. “Diaper > repaid” ; “dog > god” ; “desserts > stressed”, são apenas alguns dos exemplos mais populares.

  1. Pronúncia na linguagem gestual

Tal como no idioma falado, existem igualmente certos tipos de pronúncias que são utilizados pela linguagem gestual. Isto acontece porque a linguagem gestual não é simplesmente uma tradução direta da língua falada. Tem a sua própria gramática e expressões. As pessoas que nascem surdas têm facilidade em identificar quando uma outra pessoa é experiente ou não neste tipo de expressão. De resto, nos EUA, os nova iorquinos são conhecidos por gesticular mais rapidamente do que, por exemplo, os nativos do estado de Ohio.

 

[Leia também: De “Mencolek” a “Badruka”. Descubra as 10 palavras mais estranhas (e especificas) de sempre]

 

 

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
Loading...