5 razões para voltar a estudar e algumas sugestões

Que tal voltar a estudar? Deixamos 5 razões pelas quais o deve fazer

Saber mais

É a primeira e a mais importante razão para voltar a se concentrar no estudo de uma qualquer matéria. A curiosidade humana e a vontade de saber mais são naturais e significam desde logo que a idade é só um número. Em última análise, querer saber mais é ter expetativas, é ambicionar um futuro melhor. E é por isso que esta premissa tem de estar bem presente no seu regresso aos estudos. Voltar à escola sem que este seja o maior motivo pode até não ser um erro, mas é bem capaz de ser um equívoco.

Aumentar o seu valor no mercado de trabalho

Voltar a estudar nesta faixa etária não é só para os reformados. Quem ainda trabalha encontra na formação a resposta ideal para aprender coisas novas ou atualizar conhecimentos dentro da sua própria área profissional, aumentando assim o seu valor no mercado de trabalho. Numa altura em que já não há empregos para a vida toda, munir-se de uma nova “bagagem”, em termos de conhecimento, ainda pode ser decisivo para enfrentar uma situação de desemprego involuntário, para mudar de emprego por vontade própria, ou para obter aquela promoção há muito desejada.

Desenvolver um novo olhar sobre o mundo

Pense há quanto tempo não entra numa sala de aula. Muito para além dos benefícios profissionais que uma atualização de conhecimentos lhe podem trazer, o regresso à escola, principalmente se resolver ingressar numa universidade nesta fase da vida, vai dar-lhe uma nova perspetiva do mundo que o rodeia. Será estimulado intelectualmente para a aprendizagem de várias disciplinas em diversas áreas do conhecimento, e instigado a relacionar essa aprendizagem com a forma como o mundo funciona. Será constantemente convidado a desligar o piloto automático e a sair da sua zona de conforto para encontrar soluções inovadoras para os problemas que lhe forem apresentados. Ao início, esta perspetiva de mudança pode parecer assustadora, mas, a cada desafio superado, sentir-se-á mais confiante e motivado para continuar.

Conhecer pessoas novas

O aspeto social de um regresso à sala de aula, seja numa universidade ou simplesmente numa escola de línguas, tem uma flagrante componente social que não se pode ignorar. Além de professores, terá colegas na mesma exata situação em que você está. E, se estão todos no mesmo curso, não se trata apenas de estarem todos no mesmo barco, mas de terem obviamente interesses comuns. No decorrer do curso, inevitavelmente irá estabelecer relações com essas pessoas, e é raro passar-se por um curso com alguma duração sem se fazer pelo menos um amigo! Se isto é relevante aos 20, imagine quão importante é aos 50 anos.

Sair de casa

Para quem já se reformou e se rendeu aos temporários encantos do sofá e da televisão, qualquer desculpa é boa para sair de casa. E estudar é uma desculpa tão boa, que nem sequer é uma desculpa. Se sair de casa é o seu motivo para voltar à sala de aula, não hesite por um só segundo, largue esta revista (depois de acabar de lê-la, é claro) e vá inscrever-se numa escola qualquer.

Sugestões:

Universidades seniores

Nestas instituições encontrará um conjunto alargado de áreas temáticas. Mas não se desmotive com a ideia de ter de assistir a aulas aborrecidas, fazer trabalhos exaustivos e estudar dias inteiros. As universidades seniores funcionam num ambiente informal, não conferem nenhum grau académico e são, na realidade, espaços de partilha de conhecimento. As aulas são mais debates do que palestras e existe uma série de atividades complementares relacionadas com pintura, teatro e música, entre outras. Além disso, as universidades seniores também promovem passeios e viagens, pelo que são das melhores experiências para quem quer voltar a estudar num ambiente descontraído e durante o tempo que quiser.

Ensino superior

É o maior desafio de quem quer voltar a estudar aos 50. Por conferir um grau académico, o ensino superior tem um nível de exigência superior e implica aulas, trabalhos, avaliações e exames. Tal como acontece com os estudantes mais novos. Ingressar pela primeira vez no ensino superior aos 50 anos é uma experiência ímpar, mas quem já tem uma licenciatura pode, também, optar por incrementar os seus conhecimentos nesta fase da vida, com uma pós-graduação ou um doutoramento. O céu é o limite!

Informática

O mundo de hoje é digital, e se chegou aos 50 anos sem aprender a dominar as novas tecnologias, este é, definitivamente, o momento de entrar para uma formação especializada ou um outro curso que inclua aulas de informática. Conheça os conceitos básicos dos computadores e saiba como a internet pode ser útil em termos práticos para a sua vida e, ao mesmo tempo, divertida para os seus tempos livres.

Pintura

É uma arte muito procurada por pessoas a partir dos 50 anos por um motivo muito simples: exige dedicação, tempo e disponibilidade mental que muitas pessoas simplesmente não têm mais cedo, quando o trabalho, as obrigações e os filhos ocupam por completo as suas agendas. Pintar é uma atividade apaixonante que requer vocação, mas também técnicas que são ensinadas na escola. Pela sua natureza criativa, a pintura tem inúmeras vantagens para os maiores (e menores) de 50 anos. Estimula a criatividade, alivia o stress, aumenta a capacidade de concentração e confere um sentimento de recompensa fantástico, quando o resultado final corresponde ao inicialmente projetado!

Música

Quantos de nós já pensaram que gostariam de aprender a tocar um instrumento musical? Novamente, o tempo, ou a falta dele, é um obstáculo sério à concretização deste sonho ao longo da vida, e é por isso que aprender música é tipicamente uma atividade para crianças ou pessoas mais velhas e com mais disponibilidade. Existem muitas escolas de música no país inteiro, mesmo em pequenas localidades, pelo que, se é esta a sua área de eleição, não deverá ter dificuldades em avançar. Escolha o instrumento musical que quer aprender a tocar, inspire-se e aprenda esta arte apaixonante.

Desporto

Voltar a estudar não tem de ser propriamente… estudar! Uma outra forma de aprender é ter aulas de uma modalidade desportiva da sua preferência. O desporto também tem técnicas e regras para aprender e é uma das melhores formas de o manter ocupado, com um objetivo para sair de casa e com uma ampliação da sua rede social. Com uma vantagem que nem todas as outras opções de estudo têm: o bem que faz à sua saúde. Mesmo que prefira regressar à escola numa qualquer outra área, tente guardar algum do seu tempo para praticar desporto, orientado através de aulas ou não. A sua saúde agradece.

Línguas

Um clássico. Foi preciso chegar aos 50 anos para aprender a falar alemão? Não é tarde, e se tem facilidade e gosto por aprender novos idiomas, este é um momento tão bom como qualquer outro. Existem escolas de línguas um pouco por todo o país e, hoje em dia, a oferta de idiomas já não se resume ao inglês e ao francês. O espanhol e o alemão são cada vez mais comuns e, em algumas escolas, encontrará ainda opções mais arrojadas, como russo ou mandarim!

Artes dramáticas

Representar é uma arte dominada por muitas pessoas, mas tirar um curso de artes dramáticas permitir-lhe-á ir muito mais longe do que uma simples encenação por brincadeira. Neste tipo de formação irá aprender técnicas de respiração, colocação de voz e postura. Irá ter uma muito maior consciência corporal, graças aos exercícios propostos na parte da respiração e da postura. Além disso, o mais comum neste tipo de cursos é que os alunos sejam preparados para participar em peças reais, pelo que o mais provável é que venha mesmo a pisar um palco!

 

 

Ler Mais


Artigos relacionados
Comentários
Loading...