Quer ter umas férias descansadas? Os 7 passos do plano para as conseguir

Orçamento, destino, alojamento, deslocação, alimentação, atividades e ter cuidado com os imprevistos são os pontos que devem fazer parte de um plano para férias bem sucedidas.

A Joana e a Marta, melhores amigas, estiveram a planear férias juntas. Para o fazerem da melhor forma, definiram primeiro um orçamento e só depois decidiram aspetos como o destino para onde iriam, a deslocação, o alojamento, entre outros. Para não se perderem, as duas amigas seguiram 7 passos que vamos partilhar consigo para que possa também planear férias de forma organizada e tirar o máximo partido das mesmas.

Quando começaram a planear as férias, a Joana e a Marta estavam completamente perdidas. “Por onde devemos começar?”, “Como decidir qual o destino?”“Como definir o orçamento?”.

Depois de muito brainstorming entre as duas, decidiram organizar as suas ideias e, passo a passo, definir as coisas de acordo com o grau de importância.

O mais importante já estava definido: estipular o orçamento. A partir daí, todo o planeamento fluiu de forma descomplicada.

Passo 1: Definir orçamento

Estas amigas já tinham férias marcadas há algum tempo e tinham decidido que o destino seria alguma cidade na Europa – por isso, começaram, desde logo, a juntar dinheiro.

Decidiram que a viagem seria de cinco dias, ou seja, precisariam de alojamento para quatro noites e de contar com despesas de alimentação para cerca de oito refeições no total.

Teriam ainda de ser contabilizados gastos em transportes públicos durante esses dias, entradas em monumentos e outras atividades extra. Deveriam ainda deixar algum dinheiro de parte para eventuais imprevistos.

Depois de muita pesquisa e análise da média dos preços praticados nas principais cidades europeias para as datas que desejavam, estipularam o seguinte orçamento:

Tipo de despesa Despesa por pessoa Despesa total
Voo (ida e volta) 120€ 240€
Alojamento (4 noites) 100€ 200€
Alimentação (8 refeições) 100€ 200€
Transportes 30€ 60€
Atrações e atividades extra 50€ 100€
Imprevistos 100€ 200€
Orçamento total 500€ 1.000€

Passo 2: Escolher o destino

Ao planear férias, as duas amigas já tinham decidido que gostariam de ir para fora de Portugal e de visitar uma cidade europeia. Após fazerem alguma pesquisa, repararam que os preços dos voos, ainda que em companhias low cost, estavam um pouco elevados devido à altura do ano em que vão (primeira semana de setembro).

Dica

Não deixe de comparar voos de todas as companhias nos mais diversos motores de busca e experimente várias datas de forma a conseguir o melhor preço.

Neste caso, a Joana e a Marta utilizaram os comparadores Skyscanner, eDreams e Momondo para pesquisarem e compararem preços e assim decidirem qual o destino. Optaram por Madrid, uma cidade cheia de vida para passear durante o dia e divertirem-se à noite.

Compraram o voo através do Skyscanner e, como ambas têm um cartão de crédito com milhas aéreas, ainda conseguiram acumular mais milhas com a compra da viagem. Até já começaram a pensar como iriam usufruir deste benefício numa viagem futura.

Esta plataforma foi a que apresentou a oferta mais competitiva por 94 euros por pessoa, ida e volta.

Passo 3: Selecionar alojamento

Uma vez decidido o destino, o próximo passo ao planear férias foi decidir onde ficar. Duas das coisas que as amigas tiveram em principal consideração foram o preço e a localização do alojamento.

Mais uma vez, recorreram a comparadores como o Booking e o Airbnb para efetuarem a sua pesquisa, preocupando-se em encontrar um alojamento no centro da cidade para evitarem a utilização de transportes públicos durante os dias em que lá estivessem.

Encontraram um ótimo preço no Booking: um quarto duplo com casa de banho privativa num hostel a 300 metros do centro, por apenas 45 euros por noite.

As duas amigas pagaram um total de 180 euros pelo alojamento, o que dá 90 euros por pessoa.

Passo 4: Planear a deslocação

Planear férias passa também por organizar a deslocação no destino escolhido. É muito fácil visitar Madrid a pé, uma vez que é uma cidade maioritariamente plana e as suas principais atrações são relativamente perto umas das outras. Para além disso, são as duas jovens e em boa condição física para andarem a pé.

No entanto, precisam de contar com o transporte aeroporto-hostel à chegada e com o percurso inverso no regresso.

Há um autocarro direto do aeroporto até ao centro de Madrid que tem o custo de cinco euros por viagem e, por isso, cada uma gastará 10 euros em transporte de e para o aeroporto.

Porém, é importante que deixem algum dinheiro de reserva para eventuais extras que sejam necessários a nível de transporte.

Passo 5: Alimentação e refeições

Durante os dias que vão estar em Madrid, a Joana e a Marta contaram que vão fazer oito refeições (apenas contabilizando almoços e jantares).

Como chegam na segunda-feira à tarde, nesse dia apenas terão a despesa do jantar e, na sexta-feira, como vão embora também da parte da tarde, só precisam de se preocupar com o almoço. Nos restantes três dias, terão que gastar dinheiro com almoço e jantar.

Decidiram estipular um orçamento total de 100 euros para refeições. Durante o dia poderão fazer uma alimentação mais em conta, à base de sandes ou até mesmo saladas compradas no supermercado e à noite podem aproveitar para caprichar um pouco mais e acompanhar a refeição com um bom vinho.

Passo 6: Prever gastos em atividades

Há sempre outros custos que aparecem quando se visita uma cidade, seja para entrar em monumentos e atrações turísticas ou naquela saída à noite para a discoteca mais trendy.

Claro que a Joana e a Marta querem aproveitar Madrid ao máximo, aproveitar para fazer um passeio cultural durante o dia, mas também usufruir da vida noturna.

As duas amigas estipularam que um orçamento de 50 euros para cada uma seria razoável para incluir uma ida à discoteca e entradas nos principais museus e monumentos.

Passo 7: Contar com possíveis imprevistos

A Joana e a Marta começaram logo a pensar em eventuais emergências que poderiam acontecer e, por isso, acharam importante reservar algum dinheiro do orçamento para tal.

Claro que os seus cartões de crédito têm seguro e poderiam cobrir algumas despesas relativas a acidentes no estrangeiro, atraso no voo ou perda de bagagem, mas mais vale prevenir do que remediar – como tal, decidiram colocar 100 euros de parte para imprevistos.

Será que a viagem da Joana e da Marta ficou dentro do orçamento?

A viagem das duas amigas correu pelo melhor. Divertiram-se muito e aproveitaram a cidade ao máximo e a boa notícia foi que conseguiram ficar abaixo do orçamento. Afinal, não é assim tão difícil planear férias como parece.

Tipo de despesa Despesa por pessoa Despesa total
Voo (ida e volta) 94€ 188€
Alojamento (4 noites) 90€ 180€
Alimentação (8 refeições) 123,15€ 246,30€
Transportes 13€ 26€
Atrações e atividades extra 75,50€ 151€
Imprevistos 0€ 0€
Orçamento total 395,65€ 791,30€

Como conseguiram estadia e alojamento a um preço mais baixo do que tinham orçamentado, aproveitaram para investir mais na qualidade das refeições e para visitar mais atrações e monumentos.

Ao nível dos transportes também ficaram abaixo do orçamentado, uma vez que só precisaram do transporte de ligação do aeroporto ao hostel e vice-versa e tiveram que fazer uma viagem de metro pontual – fora isso, andaram sempre a pé.

Em relação aos imprevistos… Lá isso houve, mas a custo zero. A Joana fez alergia a alguma coisa que comeu e tiveram que ir a correr a um centro de saúde.

Felizmente o seu cartão de crédito tinha seguro para acidentes em viagem, pelo que cobriu os custos da consulta e ainda do medicamento receitado.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Bacardi foca-se nas marcas próprias em Portugal
Automonitor
O novo Lamborghini Sián é simplesmente eletrizante