Cientistas dizem que é mais nutritivo do que o normal: venha conhecer o arroz cor-de-rosa

Uma equipa de investigadores da Coreia do Sul desenvolveu um novo alimento híbrido, uma fonte de proteína acessível e amiga do ambiente, numa tentativa de desenvolver uma opção futura sustentável.

Engenheiros biomoleculares da Universidade Yonsei, na Coreia do Sul, integraram com sucesso células animais em grãos de arroz numa tentativa de desenvolver um futuro alimento sustentável, revela a Euronews.

«Denominado “arroz híbrido”, contém mais 310 mg de proteínas por 100 g do que o arroz antes da experiência», segundo a equipa de investigação.

«Também tem mais 160 mg de hidratos de carbono por 100 g do que o arroz convencional», sendo que os cientistas explicam que «isto se deve a um atraso na decomposição, um processo em que os hidratos de carbono se ligam aos componentes celulares durante a organização celular».

«Dado que 1 g de peito de vaca contém aproximadamente 186,2 mg de proteínas, comer 100 g de arroz híbrido pode ser comparável a comer 100 g de arroz normal com 1 g de peito de vaca», escreveu a equipa de investigação num estudo publicado na revista Matter.

«Esta melhoria nutricional deve-se  à gelatina de peixe e às enzimas utilizadas para melhorar a estabilidade estrutural dos grãos de arroz», sublinham, enquanto que «uma análise de sabor mostrou que o sabor é semelhante ao do arroz normal, com um ligeiro toque de proteína animal, semelhante à manteiga e às amêndoas, seguido de um subtil tom de gordura».