Como navegar na Internet sem deixar rasto

Ao navegar, algumas páginas online deixam no computador ficheiros que permitem seguir o utilizador, os chamados “cookies”. Desde 2012, os sites são obrigados a informar sobre o uso de cookies que podem invadir a vida privada.

Já reparou por certo nos anúncios aos pulos no ecrã relacionados com os seus interesses. Fez pesquisas para descobrir um par de sapatos numa loja? Ao navegar hoje, encontrará publicidade sobre este tipo de artigos e desejos. O mesmo é válido para voos, hotéis, artigos de puericultura e vídeos, entre outros. Os cookies são os responsáveis por esta invasão. Estes pequenos ficheiros revelam toda a atividade onlineaos gestores dos sites. Traçam com grande precisão o seu percurso: revelam os sites que visitou, os links onde clicou, bem como as pesquisas que efetuou.

As páginas da Net são obrigadas a informar da utilização de tracking cookies desde 2012.

As páginas da Net são obrigadas a informar da utilização de tracking cookies desde 2012, alerta a a DECO.

Estas informações são, por vezes, úteis: evitam que o utilizador tenha de se registar de cada vez que entra num site ou permitem contabilizar as visitas. O nosso portal já respeita as boas práticas. Mas estes ficheiros também podem violar a vida privada e recorrem a pop-ups ou banners incómodos. É possível e fácil desativar a instalação dos cookies de terceiros no PC e evitar a maioria dos anúncios personalizados.

Comece por apagar os cookies e o histórico de navegação, e configure o browser para que os novos cookies sejam automaticamente eliminados assim que o fecha. Pode, ainda, bloquear os ficheiros de terceiros. O browser não poderá transmitir informações suas aos anunciantes.

Com internautas cada vez mais artilhados contra cookies, os publicitários procuram novas técnicas para “seguir” os clientes. Mais vale ativar a função do not track. Depois de efetuar estas configurações, continua a ser bombardeado com publicidade, mas já não é personalizada.

Bloquear cookies

Internet Explorer, Chrome ou Firefox: siga as nossas dicas passo a passo para apagar o rasto online.

Bloquear cookies de terceiros: em Ferramentas > Opções da Internet > Privacidade > Avançadas, selecione “Ignorar a manipulação automática de cookies”. Em Cookies originais, selecione “Aceitar” e, em Cookies de terceiros, marque “Bloquear” e clique em OK.

Ativar a função “Do not track”: em Ferramentas > Segurança, escolha a opção “Ativar pedidos do not track”.

Bloquear cookies de terceiros: na barra de Favoritos, clique em Definições > Mostrar definições avançadas > Privacidade > Definições de conteúdo > Cookies e selecione “Bloquear cookies e dados de sítios de terceiros”.

Função “Do not track”: em Definições > Definições avançadas > Privacidade, escolha “Enviar um pedido «Não rastrear» com o seu tráfego de navegação”.

Bloquear cookies de terceiros: no menu do canto superior direito, escolha Opções > Privacidade. Em Histórico, basta selecionar a opção “Nunca lembrar o histórico”.

Ativar a função “Do not track”: em Opções > Privacidade > Monitorização, marque “Não autorizo a ser seguido”.

Proteger dados

Revelamos o truque certo em cada rede e serviço para se proteger ao máximo.

O Google inclui uma ampla oferta de serviços: Gmail, Maps (para navegação), Google+ (rede social), YouTube, Google Drive (nuvem de arquivo), Chrome (browser) e Android (sistema operativo para telemóveis). Para quem tem uma conta Google e usa os serviços, o Google cria um perfil completo. Não pode eliminar totalmente os anúncios, mas pode fazer com que sejam menos dirigidos.

Aceda a https://www.google.com/settings/ads e em, “definições de anúncios”, clique em “Optar por excluir anúncios baseados em interesses no Google”.

O botão +1 do Google+ equivale ao “Gosto” do Facebook. Pode autorizar o Google a usar os seus +1 para personalizar os resultados da pesquisa e a publicidade noutros sites na Net.

Os sites dotados do botão +1 onde clicou revelam o seu nome aos restantes utilizadores. Aceda a https://plus.google.com/settings/endorsements e desative a opção “De acordo com a minha atividade, a Google poderá apresentar o meu nome e fotografia do perfil em recomendações partilhadas que apareçam em anúncios”.

As empresas podem apresentar anúncios aos membros do LinkedIn, no próprio LinkedIn, bem como noutros sites. Usam os dados pessoais do perfil que, segundo garantem os gestores do LinkedIn, não permitem encontrar uma só e única pessoa.

Para ter a certeza de que assim será, em https://www.linkedin.com/settings > ativar/desativar divulgação de atividades e status, desative a opção “Permita que as pessoas saibam quando você mudar seu perfil, fizer recomendações ou seguir empresas”.

No separador “Comunicação”, desmarque as opções “Ativar/desativar convites para participar de pesquisas” e “Ativar/Desativar parcerias InMail”.

A coluna da direita está carimbada de anúncios a produtos e empresas que os amigos “gostam”. Alguns sites de parceiros usam os seus dados do Facebook para direcionar os anúncios. Não é possível desativar os anúncios, mas pode evitar que uma mensagem apareça no mural dos amigos quando clica “Gosto”.

Em Definições > Anúncios > Anúncios e amigos, selecione Editar > Associar as minhas ações sociais e anúncios para > Ninguém.

Pode evitar que os anunciantes usem o seu nome e fotografia caso o Facebook lhes proponha tal opção. Clique em Definições > Anúncios > sites terceiros > editar e selecione “Se permitirmos isso no futuro, mostrar a minha informação para > Ninguém”.

 

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Lego lança minissérie no YouTube
Automonitor
Portugal a caminho de bater recorde de produção anual