Conheça a empresa portuguesa que ajuda ex-trabalhadores e herdeiros a resgatar dinheiro “perdido”

Muitos trabalhadores, dos quais se destacam os emigrantes, perdem o rasto a parte dos seus descontos realizados para as caixas de pensão relativos ao sistema do 2º Pilar na Suíça, muito por culpa da desinformação existente sobre caso

É um caso que tem atraído a atenção da população ativa que vive na Suíça, desde 2016. Muitos trabalhadores, dos quais se destacam os emigrantes, perdem o rasto a parte dos seus descontos realizados para as caixas de pensão relativos ao sistema do 2º Pilar na Suíça, muito por culpa da desinformação existente sobre caso. Esta situação tem sofrido uma evolução consistente de ano para ano e, neste momento, existem milhares de milhões de francos suíços esquecidos em caixas de pensão relativas ao 2º Pilar.

O regime de pensões na Suíça é um dos sistemas de segurança social mais complexos da Europa, funcionando através de um sistema composto por três pilares chamado “Sistema de Previdência”.

O 1º Pilar diz respeito a um desconto normal, como acontece em Portugal. É automático e realizado durante toda a carreira profissional do trabalhador. No entanto, o 2º pilar tem um sistema diferenciado na questão dos descontos realizados por cada empregador.

Durante o percurso profissional de quem trabalhou na Suíça, cumprindo certos requisitos, é o próprio empregador a realizar estes descontos para uma caixa de pensão específica.

A partir do momento que um trabalhador muda de emprego ou fica desempregado, é da responsabilidade do mesmo assegurar a transferência e acompanhamento dos seus descontos por parte da caixa de pensão de cada empregador, durante todos os anos em que trabalhou e contribuiu para o 2º pilar na Suíça. Caso contrário, alguns descontos acabam por ficar perdidos de vista. A ausência destas transferências resulta que, quando regressa ao seu país de origem ou se encontra na idade da reforma, o trabalhador poderá ainda ter direito a montantes do 2º Pilar, sem o saber. Desta forma, o trabalhador pensa que, quando retirou todo o seu capital, estaria contabilizada a totalidade dos descontos feitos por parte de todos os empregadores durante todos anos em que trabalhou na Suiça.

É o desconhecimento da realização destas transferências que resulta na perda de valores 2º Pilar e que tem levado a um aumento cada vez maior deste problema. Segundo revela o meio RTS, existem já 13 mil milhões de francos suíços não reclamados, em mais de 1 milhão de contas relativas a este desconto.

 

SPNow quer ajudar emigrantes portugueses a reclamar o dinheiro que lhes pertence

Para fazer face a este problema, a SPNow (Swiss Pension Now) foi criada, com o objetivo de facilitar e agilizar todo o processo de pesquisa de potenciais montantes de reforma de segundo pilar esquecidos e não reclamados.

A empresa, criada em Portugal, pretende ajudar todos os emigrantes, ex-emigrantes e herdeios de imigrantes, a verificar se têm montantes referentes ao 2º Pilar para receber.

“Este problema é real e com tendência a aumentar. Uma pessoa pode ter regressado ao seu país de origem, depois de recolher o capital do 2º Pilar que é seu por direito. No entanto, basta não ter realizado a transferência dos descontos entre dois dos seus empregadores, durante a sua vida ativa, para que já exista dinheiro que tenha ficado perdido nas caixas de pensão”, começa por dizer Armando Braga, representante da SPNow em Portugal.

Com apenas alguns passos e o preenchimento de um formulário simples, disponível em www.spnow.com, a empresa realiza uma pesquisa na Instituição Central do 2º Pilar na Suíça, única instituição que tem a informação agregada das mais de 1.500 caixas de pensão existentes no País.

Com um processo que se pretende fácil, simples e transparente, a SPNow irá acompanhar o cliente em todos os passos do processo, alertando para a possibilidade ou não de existirem montantes a recuperar.

 

 

Ler Mais


Artigos relacionados
Comentários
Loading...