O ensaio do Mercedes-AMG C63 S Station

Juntar o útil e o agradável parece mais simples numa carrinha equipada com um motor V8 com mais de 500 cavalos.

Antes de toda e qualquer coisa que se possa dizer neste ensaio sobre o Mercedes-AMG C63 S Station, importa referir que este é um V8 Biturbo. Escondido por uma pintura cinzento mate e por um formato de carrinha familiar, está uma das motorizações mais incríveis de sempre, daquelas que são construídas por uma única pessoa, ali para os lados de Affalterbach.

A Mercedes tem-se mantido firme na sua oferta de carrinhas. A par com a Audi (com as suas versões RS), é a marca que nos vai oferecendo das melhores combinações de automóvel familiar e superdesportivo, num formato que passa facilmente despercebido no meio dos restantes automóveis. Se nos restringirmos ao Classe C, esta C63S Station representa o topo da sua oferta, sendo a última linha de todos os modelos disponíveis na sua extensa tabela de preços.

Um dos grandes trunfos deste modelo é, como não poderia deixar de ser, o tal motor V8 de quatro litros que se encontra lá à frente, o mesmo de tantos outros AMG, mas com diversos ajustes em termos de potência. No caso desta C63S AMG Station, a potência máxima é de 510 cavalos e passam todos para as rodas do eixo traseiro. A aceleração dos 0 aos 100 km/h demora apenas 4,1 segundos, mas o mais impressionante é mesmo o que acontece depois disso, uma vez que o ponteiro do conta-rotações nem sequer quebra o ritmo depois deste valor e faz com que tudo o que está à nossa volta comece a ficar cada vez mais turvo.

Com as ajudas ligadas, os 510 cavalos estão sempre a ser travados e o painel de instrumentos fica perfeitamente a condizer com qualquer comemoração natalícia, com luzes e avisos a piscar. Com a eletrónica num patamar mais liberal, o melhor mesmo é saber o que está a fazer, pois o C63S vai estar sempre a tentar desafiar os nossos limites. A caixa automática 9G-Tronic é rápida e deixa o V8 ganhar ainda mais notoriedade, especialmente nas reduções.

O que dificilmente conseguirá chegar a um patamar comedido é o seu preço, pois toda esta panóplia de ferramentas destinadas a mexer com a nossa adrenalina não podia ser facilmente acessível. A Mercedes-AMG C63 S Station tem um preço base de 124 mil euros, cerca de dez mil acima da versão que não tem o “S” e que por isso conta “apenas” com 476 cavalos de potência. No entanto, a unidade ensaiada conta com uma dose muito generosa de opções, de forma a mostrar muitas das coisas que esta nova geração do Classe C passou a ter no seu equipamento, pelo que o valor da unidade ensaiada fica próximo dos 150 mil euros.

A dinâmica desta carrinha é digna de um verdadeiro desportivo, mesmo com o modo de condução intermédio ativo. A precisão da direção é quase milimétrica e a suspensão transmite-nos toda e qualquer irregularidade do piso. Se não olharmos para o espelho retrovisor nem nos chegamos a lembrar de que estamos ao volante de uma carrinha, mas acabamos por olhar por diversas vezes e gostar ainda mais deste AMG por isso mesmo. É certo que este formato faz aumentar um pouco o peso do conjunto, mas é o preço a pagar por se tratar de um automóvel com o qual podemos levar os miúdos à escola e dar um passeio com a família no fim-de-semana. É uma forma perfeita de juntar o útil ao agradável.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Lego lança minissérie no YouTube
Automonitor
Portugal a caminho de bater recorde de produção anual