Há uma sanita que já pode detetar problemas cardíacos

Dados médicos são guardados e enviados para cardiologistas no esforço de evitar readmissões hospitalares.

Uma equipa de investigação norte-americana elevou o estatuto da sanita para uma ferramenta de diagnóstico. Neste caso, especialmente para as pessoas que sofrem de insuficiência cardíaca congestiva. O propósito inicial é estes futuros assentos serem comprados pelos hospitais e enviados para casa com os pacientes.

Estes assentos sanitários medem a atividade elétrica e mecânica dentro do coração, monitorizam a frequência cardíaca, assim como a pressão arterial e a oxigenação da pessoa que está sentada.

Ora, a inovadora ferramenta de diagnóstico mede o volume sistólico (a quantidade de sangue bombeada para fora do coração a cada batida) e o peso do paciente. Este dispositivo vai conseguir analisar os dados e enviar relatórios aos cardiologistas para que eles possam decidir sobre o tratamento adicional.

O objetivo do assento inteligente está definido: reduzir o número de pacientes readmitidos no hospital, eliminando problemas antes que se agravem. Geralmente, alguns dias depois da alta hospitalar, um grande número de pacientes com insuficiência cardíaca congestiva são readmitidos e é com o objetivo de reduzir esses números que surge este novo dispositivo.

O diretor executivo da startup responsável pela sua produção e comercialização, Nicholas Conn, em comunicado à imprensa, disse que planeia começar a vender os assentos inteligentes em meados de 2021. Está também prevista por Conn uma «possível expansão das nossas ofertas para compras individuais».

Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Josefinas abre lojas pop-up em Braga e Lisboa
Automonitor
Lexus estreia primeiro elétrico UX 300e na China