Tem problemas digestivos? 10 dicas para aguentar uma refeição no restaurante

As pessoas com problemas digestivos podem sentir-se desconfortáveis e ansiosas nas reuniões profissionais, pois a maioria envolve ou decorre no tempo das refeições. Com estas ajudas, comer fora pode deixar de ser um dilema nas suas vidas.

A primeira sugestão da psicóloga clínica norte-americana Lara Friedrich, ao jornal online Huffington Post, é a de quando for almoçar ou jantar fora não pensar em problemas digestivos, «pois estes podem tornar-se realidade». A psicóloga clínica explica que isso deve-se ao facto de as mesmas «hormonas e produtos químicos libertados no cérebro também serem libertados no intestino», interferindo na digestão.

As seguintes dez dicas dos especialistas podem ajudar as pessoas que tenham um estômago frágil a lidar com essa mesma debilidade e a desfrutar das suas refeições.

  1. Coma um snack ligeiro.

A sua barriga “está a dar horas”, mas ainda faltam duas horas para o jantar com os amigos. Esse pode ser o cenário ideal para o surgimento de um stress no seu sistema digestivo. Portanto, nessas situações a dietista Diana Clelland recomenda «comer um lanche leve uma hora antes da data do jantar».

  1. Confira o menu com antecedência.

Quando e se possível, pode espreitar o menu do restaurante onde se vai realizar o jantar, para evitar uma situação de ansiedade, por ter de escolher já com as outras pessoas à mesa. Conhecer os ingredientes presentes nos pratos podem ajudá-lo a identificar os que não pode comer.

  1. Tenha atenção com os alimentos também antes de os comer.

Como os alimentos levam até oito horas para ser digeridos, passando pelo estômago e intestino delgado, o gastroenterologista norte-americano Marc Bernstein recomenda que se observem os alimentos que se vão comer também no dia anterior, sobretudo aqueles que se sabe que podem provocar problemas digestivos.

  1. Valorize com mais tempo os aperitivos.

Esta pode ser uma estratégia «para se assegurar que não se preocupa mais com a comida do que com quem lhe faz companhia à mesa». Assim, também em vez de pedir um prato gigante de algo, «pode ter a oportunidade de desfrutar de uma variedade de opções do menu e diminuir a pressão para terminar qualquer prato», acrescenta a nutricionista Erin Judge.

  1. Examine o menu para palavras-chave específicas.

Certos termos presentes no menu, como “à milanesa”, “crocante” ou “cremoso”, podem dar uma ideia de que os pratos podem conter glúten, laticínios ou outros ingredientes que o seu corpo pode rejeitar. A palavra “fritas” também pode sugerir um provável excesso de gordura, algo que, segundo a dietista, pode ser particularmente perigoso para quem sofre de problemas digestivos. Por isso, quando está a escolher a sua refeição tenha atenção com determinadas palavras-chave utilizadas nas descrições de cada opção do menu.

  1. Prefira o que lhe é familiar e seguro.

Quando está a escolher e está em dúvida, dê preferência àqueles pratos que podem conter ingredientes que conhece os efeitos que podem ter no seu corpo. Quando tem dúvidas sobre o que está no prato, isso pode aumentar a ansiedade resultante da ingestão de ingredientes ocultos que lhe podem desagradar.

  1. Coma devagar e mastigue bem a comida.

Dessa forma, pode manter a digestão regular e quanto maiores os pedaços de comida que leva à boca, maior será o tempo necessário para digeri-las. Além disso, comer devagar também pode diminuir a hipótese de sentir desconforto. Bernstein diz que para o estômago informar o cérebro de que já comeu o suficiente, «geralmente leva 20 minutos», disse. Outras sugestões são: beber um gole de água entre as vezes que leva o garfo à boca; aproveitar para parar de comer na hora de falar ou fazer pequenas pausas ao terminar sessão da refeição (entrada, primeiro prato e sobremesa).

  1. Seja estratégico com as bebidas.

Beber demasiado durante a refeição (mesmo água), pode provocar uma sensação de inchaço ou mesmo diarreia. Em vez disso, a nutricionista aconselha que «adquire o hábito de beber água antes da refeição e guarde as bebidas alcoólicas para depois».

Ao escolher bebidas alcoólicas, a nutricionista adverte que procure as que tenham o mínimo de ingredientes e evite o excesso de açúcar ou de carbonatação para minimizar os gases e o inchaço.

  1. Aumente a confiança com suplementos alimentares.

A nutricionista recomenda a utilização de «cápsulas de óleo de hortelã-pimenta ou suplementos de enzimas digestivas para ajudar na digestão». A melhor parte é o facto de estes poderem ser tomados antes, durante ou após as refeições, para que a pessoa «esteja pronta para qualquer coisa, a qualquer momento».

  1. Respire fundo durante a refeição.

Erin Judge informa, também, que muitas vezes, «os sintomas das refeições são causados ​​mais pela ansiedade que acontece durante a refeição», isso porque «o intestino imita o cérebro, pelo que «é importante manter a ansiedade afastada quando vai jantar ao restaurante». A maneira mais útil de o fazer pode ser através de uma «respiração profunda e lenta durante a refeição».

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
Loading...