Vírgula, onde te quero?

A Escrivaninha (equipa de serviços linguístico e de edição) ajuda a esclarecer algumas das dúvidas de pontuação textual mais comuns. Evite estes erros nos seus textos ou emails.

Saber pontuar um texto é de extrema importância. Afinal, a pontuação pode interferir em muito com o sentido da frase.

 

Mas, muitas são as vezes em que temos dificuldade em pontuar e, em especial, em bem colocar, no texto, as vírgulas.

 

A vírgula é especialmente importante porque permite marcar pausas na leitura, enfatizar determinados aspectos do texto em detrimento de outros, enumerar, marcar um vocativo, introduzir uma informação acessória etc.

 

Afinal, todos nós conhecemos o célebre exemplo da frase que tanto pode pertencer a um detrator de Salazar — «Morte a Salazar! Não faz falta à nação!» — ou, por outro lado, a um apoiante do ditador português — «Morte a Salazar? Não! Faz falta à nação!». Tudo dependerá da pontuação.

 

Pois é, a colocação da vírgula interfere, em muitos casos, com a semântica da frase. Por isso, vejamos alguns casos em que o uso da(s) vírgula(s) é impreterível.

 

  • Enumeração de mais de dois elementos

«Trouxe pão, mel, leite, ovos, legumes, fruta e muito mais.»

  • Separação de orações na ausência de conjunções

«O Francisco come demais, bebe demais, fuma demais… enfim!»

  • Antes de determinadas conjunções como: porém, pois, mas, contudo, embora, todavia, portanto e logo;

«Eu sou bom na guitarra, porém sou uma nódoa no piano.»

  • Separação de algumas expressões com gerúndio ou particípio passado que equivalem a orações

«O Luís, estando gradualmente mais rico, não vai querer andar na nossa 4L.»

  • Isolar o vocativo

«Marta, sempre vais à festa?»

  • Isolar o aposto explicativo

«A Carla, aquela rapariga muito alta, joga basquetebol.»

  • Depois dos advérbios simnão quando, em princípio de oração, se referem a uma oração anterior

«Não, não levo o meu cão que ele suja tudo.»

  • Separar o nome de um lugar, quando se data um documento

 

«Bragança, 15 de Janeiro de 2020»

 

E agora, a dica mais importante: nunca, em circunstância alguma, devemos usar uma vírgula separando sujeito e predicado. Escrever «O João, comeu a sua granola» é errado. Não separem o João (ou seja quem for) da sua granola (ou do que quer que seja) por uma vírgula. Isso seria o mesmo que o impedir de a comer!

 

Usem a vírgula com critério. Combinado?

Saber pontuar um texto é de extrema importância. Afinal, a pontuação pode interferir em muito com o sentido da frase.

 

Mas, muitas são as vezes em que temos dificuldade em pontuar e, em especial, em bem colocar, no texto, as vírgulas.

 

A vírgula é especialmente importante porque permite marcar pausas na leitura, enfatizar determinados aspectos do texto em detrimento de outros, enumerar, marcar um vocativo, introduzir uma informação acessória etc.

 

Afinal, todos nós conhecemos o célebre exemplo da frase que tanto pode pertencer a um detrator de Salazar — «Morte a Salazar! Não faz falta à nação!» — ou, por outro lado, a um apoiante do ditador português — «Morte a Salazar? Não! Faz falta à nação!». Tudo dependerá da pontuação.

 

Pois é, a colocação da vírgula interfere, em muitos casos, com a semântica da frase. Por isso, vejamos alguns casos em que o uso da(s) vírgula(s) é impreterível.

 

  • Enumeração de mais de dois elementos

«Trouxe pão, mel, leite, ovos, legumes, fruta e muito mais.»

  • Separação de orações na ausência de conjunções

«O Francisco come demais, bebe demais, fuma demais… enfim!»

  • Antes de determinadas conjunções como: porém, pois, mas, contudo, embora, todavia, portanto e logo;

«Eu sou bom na guitarra, porém sou uma nódoa no piano.»

  • Separação de algumas expressões com gerúndio ou particípio passado que equivalem a orações

«O Luís, estando gradualmente mais rico, não vai querer andar na nossa 4L.»

  • Isolar o vocativo

«Marta, sempre vais à festa?»

  • Isolar o aposto explicativo

«A Carla, aquela rapariga muito alta, joga basquetebol.»

  • Depois dos advérbios simnão quando, em princípio de oração, se referem a uma oração anterior

«Não, não levo o meu cão que ele suja tudo.»

  • Separar o nome de um lugar, quando se data um documento

 

«Bragança, 15 de Janeiro de 2020»

 

E agora, a dica mais importante: nunca, em circunstância alguma, devemos usar uma vírgula separando sujeito e predicado. Escrever «O João, comeu a sua granola» é errado. Não separem o João (ou seja quem for) da sua granola (ou do que quer que seja) por uma vírgula. Isso seria o mesmo que o impedir de a comer!

 

Usem a vírgula com critério. Combinado?

 

Elsa Alves

 

(texto escrito de acordo com a antiga ortografia)
A Escrivaninha é uma equipa de freelancers que se dedicam à revisão, edição, tradução e produção de texto, criada por quem conhece e reconhece a beleza mas também os ardis da língua portuguesa. Conheça melhor os nossos serviços aqui.

 

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
Loading...