Como devo planear a minha reforma? 4 aspetos mais importantes que as suas finanças

O dinheiro deve ser apenas uma das suas prioridades no plano da nova fase da sua vida.

As finanças pessoais, no vislumbre da reforma, são preocupações válidas, todavia, existem outras em que também deve pensar para assegurar que vive os próximos anos com qualidade. Esta é a ideia defendida pelo autor e consultor Eric Thurman, em conversa com o site Considerable, que defende «um movimento emergente de pessoas que estão determinadas a prosperar durante as décadas após a reforma».

No seu livro mais recente, em que Eric Thurman apresenta segredos simples para ser feliz pelo resto da vida, este diz que o dinheiro é apenas um dos fatores «a ser considerado na transição para um novo estágio da vida». Entre elas estão as seguintes 4 áreas, que as pessoas também devem dar atenção na altura de planear a sua vida na reforma.

  1. Alimentar a sua mente

Os dois fatores-chave, segundo Thurman, para manter uma mente saudável nessa nova fase da vida são a força cognitiva e a saúde mental. Para manter um cérebro forte à medida que envelhece e o papel das palavras cruzadas e dos jogos de cartas começa a ser insuficiente, há várias opções como «aprender uma língua estrangeira ou tocar um instrumento musical». Ou seja, «algo que o obrigue a desenvolver novas habilidades».

  1. Trate do seu corpo

Quando as pessoas deixam de cuidar do seu físico, à medida que envelhecem, Eric Thurman alerta que estão a potenciar que o seu corpo fique mais frágil, o que, por consequência, aumenta a probabilidade de surgirem doenças e lesões crónicas, que o incomodem o resto da vida.

Portanto, com o aumento da esperança média de vida, o consultor incentiva as pessoas a pensarem em si mesmas no futuro: «se tiver 90 anos, que tipo de pessoa de 90 anos quer ser? Quer ficar preso a uma cadeira, precisar de ajuda para se locomover ou quer poder fazer o que quiser?».

  1. Reforce as suas amizades

O autor de livros de autoajuda reconhece que «podemos ter centenas de seguidores no Instagram ou Facebook e não ter qualquer contacto humano pessoal necessário para o bem-estar». Esse exemplo é revelador de como a solidão é «um dos principais problemas de saúde no mundo» e como este pode estimular o aparecimento de sintomas relacionados à pressão alta, doenças cardíacas, obesidade, ansiedade, depressão, declínio cognitivo e doença de Alzheimer.

Como tal, promover novos relacionamentos, ou reforçar os que já tem, é a recomendação de Eric Thurman. Experimente «ingressar numa comunidade religiosa, inscrever-se em aulas em faculdades, museus, bibliotecas ou centros comunitários». E caso se tenha afastado de amigos ou não vê a família quantas vezes gostaria, «tente reavivar esses relacionamentos».

  1. Cuide da sua alma

Pode juntar este ao ponto anterior, na medida em que existem diversas comunidades religiosas. Contudo, para Eric Thurman, este é um ponto que «não se baseia em acreditar nas coisas certas, mas em envolver-se numa comunidade de fé».

O autor sustenta-se, ainda, em estudos que vincularam a frequência de serviços religiosos regulares a vidas mais longas, como por exemplo uma investigação, no site da Universidade de Harvard, relacionada com uma iniciativa sobre saúde, religião e espiritualidade. Esta diz que parte do aumento da vida útil advém de outros incentivos à longevidade, como o voluntariado e a adesão a organizações sociais».

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Black Friday 2019 em números
Automonitor
FIA escolhe Braga como palco do Hill Climb Masters 2020