Estas são as situações em que os avós devem (mesmo) intervir

Saber quais são os momentos em que deve exercer disciplina é fundamental para assegurar uma boa e saudável relação com os seus netos.

Ser avô é uma das maiores dádivas da nossa vida. O amor que se sente por um neto é incomparável e é algo que preenche a vida de qualquer avó com imensa alegria. Uma das maiores diferenças entre este tipo de relação e ser pai ou mãe, é exatamente o facto de na maioria dos casos os avós não terem que assumir um papel diário muito intenso na educação das crianças. É até recomendado que não se interfira com o papel disciplinador e formativos dos pais. Para os avós restam os momentos bons, os passeios, as brincadeiras, os afetos.

[Leia também: O que os avós não devem dizer (nunca) aos seus próprios filhos]

No entanto é normal que existam momentos em que irá estar responsável pelas crianças – seja à hora de jantar ou à tarde, enquanto os pais trabalham. Inevitavelmente poderão surgir sinais e comportamentos mais negativos por parte das crianças que devem ser reprendidos. É importante que respeite o tipo de parentalidade e educação definido pelos pais, mas é também essencial que, por vezes, exerça o seu papel disciplinador como forma de corrigir um qualquer comportamento incorreto. E claro, como forma de assegurar a segurança dos seus netos.

Afinal, depois de ter já educado o seu filho, tem agora uma experiência valiosa que pode ser útil para apoiar a formação da criança. Eis 5 situações em que um papel ativo ou disciplinador dos avós pode ser mais importante.

 

  1. Má-educação

Em todas as nossas relações é essencial definir limites de respeito. Identificar de que forma aceitamos (ou não) que alguém nos trate. Com os netos é igual. Caso a criança ultrapasse alguns desses limites consigo ou com outra pessoa é importante que corrija o comportamento dela. “Não aceito que fales assim comigo ou com a outra pessoa”. No entanto deve deixar que sejam os pais a definir uma qualquer ação mais disciplinadora e acima de tudo, não deve insistir que os pais façam algo para corrigir o comportamento. Pode expressar a sua preocupação num próximo momento em que esteja apenas com o seu filho ou filha, mas nunca quando as crianças estão presentes. Isto pode comprometer a autoridade dos pais.

  1. Atrasos no desenvolvimento

Por vezes os pais podem estar tão próximos das crianças que acabam por não notar alguns detalhes que podem ser preocupantes. A experiência de um avô pode ser importante para perceber se a criança se está a desenvolver adequadamente ou se existe algo anormal que pode estar a atrasar a sua evolução. Problemas na fala, dificuldades motoras ou de socialização, são algumas das coisas a que deverá estar mais atento. Se estas questões forem ignoradas podem ficar piores à medida que a criança cresce, como tal é importante que diga algo e que procure sensibilizar os pais para este problema.

  1. Segurança

É obvio que os avôs devem zelar pela segurança dos seus netos, no entanto existem algumas regras que deve respeitar. Pode por exemplo, referir a importância de se usar um capacete quando se anda de bicicleta, mas não deve chatear os pais constantemente com este assunto. Em cada casa existem regras diferentes. “Na casa da avó todos tem que usar capacete quando andam de bicicleta” é algo que pode dizer para definir quais são as regras que eles deverão respeitar quando estão à sua responsabilidade.

Sempre que identificar outras situações em que a segurança da criança pode estar a ser colocada em causar tente expressar com calma a sua preocupação aos pais, tentando que eles fiquem mais atentos para uma determinada questão.

  1. Nutrição

Claro que quer que o seu neto se alimente bem. Sendo certo que na sua casa poderá definir o menu que eles vão ter que respeitar, já não pode fazer o mesmo quando eles estão com os pais. Reforce sempre positivamente quando existem alimentos saudáveis disponíveis. Diga o quão apetitosos ou deliciosos estes são. Tente sempre criar um ambiente descontraído, divertido e positivo sempre que esteja na altura de consumir alguns importantes vegetais. Mais uma vez, deverá respeitar as diretrizes dos pais e sempre que tiver alguma preocupação falar com eles pessoalmente.

  1. Preocupações mais sérias

Existem algumas situações mais excecionais em que deverá sempre intervir, sem quaisquer receios. Aqui falamos de situações que estejam a colocar em risco a saúde e o bem-estar das crianças. Situações de clara negligência, de violência doméstica, de abuso físico ou emocional, abuso de substâncias, etc. Nestes casos será absolutamente necessário que assuma um papel ativo, com vista a proteger o seu neto de um pai que não esteja a ser capaz de o fazer. A segurança da criança deverá ser sempre a preocupação maior de um avô ou avó. Caso necessário, deverá estar preparado para pedir o apoio das autoridades ou das instituições de proteção de menores.

 

[Leia também: 5 tópicos que deve (mesmo) evitar ao conversar com a sua nora]

 

 

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
Loading...