Jennifer Aniston entra na concorrência da Apple à Netflix

A Apple TV+ é um novo serviço de streaming que terá orçamento muito superior ao previsto. O lançamento está previsto para este outono, também em Portugal. A atriz que, em fevereiro, completou 50 anos de vida encabeça o projeto que deverá bater o recorde de 15 milhões de dólares por episódio.

Os canais de streaming estão a crescer e a ganhar espaço e atenção à televisão tradicional. A Apple vai lançar este outono o serviço plus da sua aplicação de televisão – Apple TV -, e com ele pretende aumentar a receita com os serviços. Neste novo serviço, a tecnológica norte-americana vai aumentar e diferenciar a quantidade dos seus conteúdos streaming. 

Ora, a Apple, mais conhecida pelos seus produtos físicos como o iPhone ou o iPad, está mesmo apostada a investir no negócio dos serviços e a comprová-lo está o valor do orçamento, que segundo o Financial Times, é seis vezes superior ao inicialmente previsto – 6 mil milhões de dólares em conteúdos. O objetivo, segundo a Bloomberg, é gerar receita adicional a partir da sua grande base de utilizadores dos iPhone, iPad, Mac e Apple Watch. 

Este serviço Apple TV+ vai ser concorrente da Netflix, apesar de poder ter menos conteúdos na sua plataforma. No entanto, o objetivo deverá ser a criação de sucessos, possivelmente mais dispendiosos, que prendam o maior número de pessoas aos ecrãs, como é o caso “The Morning Show”,  que implicou o investimento de cerca de 300 milhões de dólares para duas temporadas. Jennifer Aniston, Reese Witherspoon e Steve Carell ocupam os principais papéis de uma história, que segundo especialistas, faz relembrar “The Newsroom”.

Por isso, não é de estranhar, de acordo com o Times, que o orçamento por episódio possa ultrapassar o valor recorde de 15 milhões de dólares, que pertence, ainda, a “Guerra dos Tronos”, da HBO, cuja oitava e última temporada aconteceu este ano. Nos restantes conteúdos da Apple, a nível orçamental, apenas a série de ficção científica “See”, sobre um futuro onde os humanos perderam a visão, se aproxima. Há ainda outras produções na agenda da Apple, como uma outra série de ficção científica, neste caso de Steven Spielberg, “Amazing Stories” e outra série ainda sem título de M. Night Shyamalan. 

Os preços deste novo serviço de subscrição ainda não são conhecidos, embora a Apple já tenha informado que novos conteúdos vão chegar à programação quando o serviço for lançado. A Apple TV+ deve chegar a mais de 100 países. 

Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Utilizadores do Facebook assinam guia do Porto
Automonitor
Túnel do Grilo: IP prevê investir 10 milhões de euros