Pode uma simples caminhada transformar-se numa sessão de terapia?

Este mero exercício pode ajudá-lo a encontrar um maior equilíbrio emocional, favorecendo o seu desenvolvimento pessoal. Saiba como

A pandemia provocada pelo coronavírus obrigou muitas pessoas a permanecer em reclusão durante semanas nas suas casas, sem possibilidade de manter os anteriores hábitos e regimes de exercício físico. Neste momento de desconfinamento, muitos são aqueles que regressam agora às suas atividades favoritas.

Uma simples caminhada pode ser a melhor opção para muitas pessoas permanecerem ativas. Ao longo dos tempos muitos têm sido os especialistas que abordam os benefícios de um simples passeio, não apenas para a saúde, mas também para o bem-estar mental.

Dar um passeio pela cidade ou pelo jardim não é apenas uma oportunidade para “esticar as pernas”. Caminhar oferece-nos tempo para refletir, para pensar e para nos sentirmos estimulados por aquilo que vemos, ouvimos e cheiramos no exterior.

[Leia também: Da perda de peso até uma maior longevidade. Conheça 10 (incríveis) benefícios de andar a pé]

É verdade que estas atividades reflexivas podem igualmente ser desenvolvidas de um modo mais sedentário em casa ou no escritório. No entanto está provado que andar estimula o pensamento, pois facilita o transporte de oxigénio para o cérebro. Sair de casa quebra também a rotina e liberta-nos de outras distrações.

Quando bem utilizados, estes momentos de lazer podem ser transformados em excelentes oportunidades de desenvolvimento pessoal.

Recentemente, o personal coach Marty Nemko listou um conjunto estratégias e sugestões que prometem transformar as suas caminhas em verdadeiras sessões terapêuticas. Conheça-as aqui.

 

  1. Reflita sobre os seus objetivos pessoais

Ao caminhar procure analisar mentalmente a sua rotina diária, desde o acordar até ao deitar. Existem alguns fatores de maior stress, de maior sofrimento? Quais são? O que gostaria de melhorar ou corrigir?

Procure fazer o mesmo para a sua vida em geral. Analise a sua carreira, as suas relações, o seu estado financeiro, a sua espiritualidade. O que gostaria de mudar? Tente ganhar uma maior consciência sobre estes temas ao longo do seu passeio.

  1. Auto-diagnóstico

Será que existe algum fator psicológico que o pode estar a impedir de ser mais feliz ou bem sucedido? A ansiedade, a depressão, a procrastinação, são tudo exemplos de problemas que podem afetar seriamente o seu bem-estar. Ao identificar estes desafios estará a dar o primeiro passo para os resolver. Procure transformar ansiedades irracionais em pensamentos concretos. Procure entender a “raiz” dos problemas.

  1. Seja crítico

Se tivesse que imaginar o seu maior crítico, o que seria que ele iria apontar? Que questões iria ele abordar, quais os problemas que iria identificar? Este exercício pode ser útil para perceber se existem algumas coisas que deve corrigir ou se é altura de finalmente aceitar melhor alguns traços da sua personalidade.

  1. Deixe-se inspirar pelas pessoas e natureza

Estar “presente” é fundamental para conseguir reduzir a sua ansiedade. Ao passear tente focar-se nas mais diversas particularidades da paisagem em seu redor. Analise a simetria das árvores, a textura das folhas. Deixe-se levar pelas sensações que estes momentos provocam.

Adicionalmente procure olhar para as outras pessoas. Concentre-se nos seus olhares ou na forma como se vestem. Interprete estas sensações no momento e reflita sobre de que forma esses pensamentos podem inspirar alterações na sua própria vida.

  1. Desligue

Por vezes uma simples caminhada pode apenas representar uma oportunidade única para “desligar” durante alguns momentos. Andar sem direção, sem destino. Esvaziar a mente de pensamentos e simplesmente prosseguir com o movimento das pernas. Este exercício pode representar um momento de prazer e relaxamento que resulte posteriormente num momento de maior clarividência

 

[Leia também: 3 formas (instantâneas) de melhorar a sua disposição e felicidade]

 

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
Loading...