Sem plano no fim-de-semana? Aproveite para visitar o melhor de Portugal Continental

Das praias muito elogiadas do litoral às pitorescas cidades do interior que mantêm a sua originalidade e diversidade, Portugal é um país com muita oferta turística, tanto para estrangeiros como portugueses.

O escritor de viagens e autor de guias sobre Portugal Matthew Hancock foi autor de um guia, para o site Love Exploring, sobre os melhores lugares para visitar no nosso país. Como não podia deixar de ser, sobretudo pela época atual, este começa por dizer que «Portugal sempre foi uma meca para os amantes da praia».

Como tal, os nossos mais de mil quilómetros de costa permitem que haja uma lista desmedida de praias, «de Afife, no extremo norte, até a Praia do Zavial, no sul». Contudo, são as praias algarvias que mais atraem os turistas no verão, pois «a região possui algumas das praias mais seguras e bonitas do país».

Normalmente, as famílias acabam por preferir praias, como Albufeira e Lagos, por terem mais espaço e melhor acessibilidade. Por outro lado, quem vai com o objetivo de se encantar com a beleza das praias, opta por aquelas que estão menos estragadas porque só são acessíveis por ferry, como as que estão à volta de Faro, Olhão e Tavira. Na costa oeste do Algarve, como as ondas do Atlântico começam a ser propícias para a prática do surf, é fácil aparecerem os surfistas e «muitas escolas de surf em Sagres», por exemplo.

Subindo pela extensa orla costeira portuguesa, pouco mais a Norte surge a Costa Vicentina, com Hancock a referir Vila Nova de Milfontes e Porto Covo como os principais pontos de interesse, por terem uma «série de praias encantadoras e geralmente abrigadas». Faz alusão ainda à Lagoa de Santo André.

A costa da região centro possui algumas das melhores ondas da Europa, com competições internacionais realizadas nas praias de Ericeira, Peniche e Nazaré – esta última registou umas das maiores ondas já surfadas. As antigas vilas piscatórias são atraentes, as primeiras pela sua localização aproximada de Lisboa, enquanto a Nazaré tem o seu pico no verão.

Nazaré

A água do Atlântico fica «inevitavelmente mais fria quando mais para norte for, mas as praias são igualmente lindas». A Foz do Douro, à beira-mar do Porto, é um subúrbio «sofisticado com areias agradáveis ​​e uma base ideal para uma pausa na cidade». Um pouco mais a norte, já no Minho, não pode deixar de visitar Viana do Castelo, onde está o «miradouro do Monte de Santa Luzia, que é um dos mais impressionantes de Portugal».

Três cidades pitorescas para conhecer

Lisboa e Porto são os destinos com maior sucesso no turismo. Ainda assim, «há muitas cidades e vilas menos conhecidas de fácil acesso que não deve perder». Como são o caso, para Hancock, da cidade de Évora, Coimbra e Valença do Minho.

Évora

Para o escritor, «Évora é uma das cidades mais impressionantes e históricas do país», que alcançou o estatuto de Património Mundial da UNESCO, pelo seu ambiente de «cidade universitária vibrante», além de uma história que vem desde o tempo dos romanos. Nesta cidade alentejana, fica ainda a sugestão de visita à «bizarra Capela dos Ossos».

Coimbra

Também embrenhada por um espírito universitário, Coimbra tem uma forte ligação à sua “vetusta” universidade (das mais antigas da Europa, datada de 1290). Foi ainda uma das primeiras capitais do país, pelo que não é de estranhar a presença de muitos edifícios históricos. Matthew Hancock destaca a Biblioteca Joanina, nos paços da Universidade, e o Portugal dos Pequenitos, «um parque temático completo com mini modelos dos principais monumentos do país».

Ponte de Lima

Neste guia de Portugal, é recomendada a visita a Valença do Minho que em cima das suas «muralhas duplas do século XVII, tem vista para a cidade velha, e para Espanha, do outro lado do rio Minho». Além de que «pode atravessar a fronteira, através de uma ponte de ferro projetada por Gustave Eiffel».

Onde posso encontrar um retiro recatado

Este guia de Matthew Hancock propõe, também, quatro destinos portugueses, onde «pode escapar das multidões, encontrar algumas das aldeias mais bonitas do país e desfrutar de atividades como caiaque e caminhada».

Vila de Monsaraz

Entre elas estão Monsaraz, uma «vila fortificada no topo de uma colina que tem o seu próprio pequeno castelo e vistas soberbas sobre o maior reservatório artificial da Europa», a barragem do Alqueva. Aqui «pode andar de barco no reservatório ou explorar as propriedades vinícolas da Herdade do Esporão».

Já Óbidos é um destino romântico por natureza. A história desta vila chega aos tempos da monarquia portuguesa, com as suas casas pitorescas «caiadas de branco e completamente cercada por muros altos».

Parque Natural Peneda-Gerês

O Parque Natural da Serra da Estrela tem a montanha mais alta de Portugal Continental e «é perfeito para caminhadas entre os seus rios, vales e aldeias intactas». Manteigas, mesmo no centro desse Parque, «é uma vila tranquila, com uma boa variedade de restaurantes e acomodações».

Mais a Norte de Portugal, perto da fronteira espanhola, fica outro parque nacional, o da Peneda-Gerês, onde fica a pequena vila termal de Caldas do Gerês. Aqui pode passear em trilhos marcados pelas montanhas e onde pode encontrar «cascatas e riachos para se refrescar e praticar desportos aquáticos».

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Directora Digital da By é jurada nos Vega Digital Awards
Automonitor
Cepsa Black Week começa esta sexta-feira