Tem mais de 50 anos, é mulher, e está a pensar mudar de emprego? leia isto primeiro

Existem inúmeras razões para querer fazer esta mudança na sua vida profissional e, com a atitude certa, pode ser bem mais fácil do que provavelmente imagina.

Muitas pessoas parecem acreditar que após uma certa idade a ideia de mudar de emprego pode significar um verdadeiro pesadelo. É já tarde demais para fazer grandes mudanças na sua vida e que o melhor é mesmo ficar onde está, assim defendem alguns.

Este pensamento pode aplicar-se sobretudo à nossa carreira profissional. Após os 50, talvez seja mais fácil esperar simplesmente pela reforma – mesmo que esteja num trabalho que odeia – do que tentar um recomeço em outro lugar.

No entanto existem inúmeros aspetos positivos e benefícios associados a uma mudança de emprego, que deverá considerar nesta fase da sua vida.

Porquê mudar?

Uma das principais razões para querer alterar a sua situação de emprego será o facto de estar cansada de trabalhar num ambiente stressante. Mesmo que esse emprego seja bem pago, deverá sempre estar consciente de que ao prolongar uma experiência negativa ao longo dos anos poderá estar a sacrificar a sua saúde mental.

A partir de uma certa altura na sua vida é natural que as suas prioridades mudem. Passar a ter um melhor horário, uma maior liberdade, mais descanso e sobretudo mais saúde, tudo isto irá começar a ser cada vez mais importante para si.

Outra razão para querer mudar de emprego pode estar relacionada com a sua situação familiar.

Para todas as mulheres que tiveram filhos durante os seus 20, 30 anos, ter um emprego nessa fase terá sido crucial para conseguirem providenciar tudo aquilo que as crianças precisam. Mesmo que este trabalho não tenha sido o ideal, estando longe de tudo aquilo que sonhara, é uma decisão que todos podemos respeitar. No entanto, agora que os seus filhos já estão mais crescidos e independentes, poderá fazer todo o sentido pensar numa mudança. Esta nova fase permite que tenha uma maior liberdade para seguir as suas paixões e experimentar coisas mais arriscadas, como por exemplo uma carreira nas Artes ou mesmo um negócio próprio.

Como fazer?

Primeiro que tudo terá que definir o que pretende obter com esta mudança. Maior flexibilidade? Um melhor ambiente de trabalho? Novos desafios?

Mesmo que já saiba exatamente qual o “caminho” a seguir, será sempre importante fazer uma pesquisa profunda ao mercado de trabalho. Tente perceber quais são os diferentes trabalhos disponíveis que mais lhe interessariam e procure, ao máximo, falar com pessoas que conhecem bem a área de negócio na qual está agora a tentar entrar.

Após este momento inicial, será igualmente importante considerar as suas aptidões e os seu “skills”. Afinal você é agora uma mulher madura e experiente, certamente com muito para oferecer.

Saber exatamente quais são as suas aptidões atuais irá permitir-lhe também perceber quais são os aspetos e conhecimentos que deverá melhorar, de forma a conseguir enquadrar-se com maior facilidade na sua nova área. Tente ser o mais honesta possível consigo mesma. Pode eventualmente pedir até a um colega ou amigo que a ajude neste processo de identificar as suas mais-valias. É natural que eles lhe consigam dar um feedback mais realista.

O melhor de tudo é que, independentemente dos “temas” que tenha que fortalecer, existirá certamente uma extensa oferta de cursos e workshops para a apoiar.

Apesar de tudo isto, será sem dúvida mais fácil tentar mudar para um emprego que não “fuja” muito da sua atual área trabalho. Isto irá garantir que não começa completamente do zero, conseguindo, no entanto, transitar para algo suficientemente diferente que lhe aumente a motivação.

Como lidar com o medo associado a esta mudança?

Qualquer mudança traz sempre algum medo e incerteza associados. As coisas nunca acontecem totalmente como planeadas e existirão momentos complicados neste processo. Estar consciente desta mesma situação e preparada para enfrentar estes aspetos menos positivos irá certamente ajudar a que não se sinta tão desencorajada.

Uma forma de se sentir mais apoiada poderá passar por encontrar um profissional especialista em mudança de carreiras (“career coach”). Este será alguém que o irá ajudar na definição de toda a sua estratégia, assim como em todos os aspetos mais práticos, tais como a elaboração de um bom CV. Consultar nesta fase um psicólogo poderá igualmente ser útil para não deixar que a ansiedade se descontrole e comece a afetar o seu bem-estar.

Ao longo de todo este processo não se esqueça de todas as razões que a levaram a esta decisão de mudar de emprego. Escreva num papel esta listagem e olhe para o mesmo sempre que as coisas estejam a ficar mais complicadas. Estar ciente de todas as razões que a fizeram querer mudar vai ajudar a mantê-la motivada e a enfrentar quaisquer obstáculos que se coloquem à sua frente.

Ter uma carreira estável e sem preocupações financeiras associadas pode ser ótimo, mas pode também não compensar se a sua saúde mental se estiver a deteriorar. Nunca é tarde para mudarmos, especialmente se não estivermos verdadeiramente satisfeitos. Assegure-se apenas que está mentalmente e financeiramente preparada para este novo ciclo e irá ver que nada a irá impedir finalmente de atingir uma nova, mais feliz e descansada vida.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Lego lança minissérie no YouTube
Automonitor
Portugal a caminho de bater recorde de produção anual