Vai comprar um carro usado? Não o faça antes de ler estas dicas e conselhos

São muitas e variadas as vantagens de adquirir um veículo em segunda mão, sendo que uma das mais valorizadas é o facto de, ao contrário do que acontece com os carros novos, não existir depreciação substancial do valor após a compra.

Mas os benefícios de comprar um carro usado não podem desviar a atenção do cliente para os cuidados a ter no momento da escolha. A pensar no crescente mercado de venda de carros usados, a CarNext revela uma lista de conselhos a que os clientes devem dar especial atenção quando consideram a aquisição deste tipo de veículo.

Depois de pesquisar e comparar online as diferentes opções, o cliente chega ao carro dos seus sonhos, ou pelo menos, ao carro que decidiu comprar.

Mas como garantir que não está a investir num pesadelo sobre rodas?

Fazer um test drive não é a única maneira, nem a mais fiável, de avaliar um carro. Existem várias etapas que devem ser seguidas para inspecionar o carro que escolheu

1) Primeiro deve ser avaliado o exterior, com uma volta ao redor do automóvel, um exame à carroceria na procura de danos não relatados. Também é importante abrir todas as portas para verificar ser estão a funcionar corretamente e de maneira suave.

2) Os pneus são um indicador de desempenho importante em qualquer veículo. A profundidade do piso não deve estar abaixo dos 0,16 centímetros. Se estiver, os pneus devem ser trocados.

3) Mesmo os clientes que possam perceber pouco sobre mecânica devem abrir o capot e espreitar tanto o motor como os elementos à sua volta. Sinais como humidade e óleo podem ser indicadores de danos.

4) Observar o tubo de escape em busca de ferrugem ou graxa no interior permite perceber se o carro poderá estar a queimar óleo ou se precisa de mudar o sistema de exaustão.

5) Os mesmos cuidados são válidos para o sistema elétricos. Assim, os nossos especialistas recomendam entrar no carro e experimentar todos os recursos, desde as luzes ao ar condicionado, passando pelos piscas e pelo aquecimento.

6) É preciso ligar o automóvel. Não deve existir medo de experimentar a ignição. O que se espera, mesmo de um carro usado, é um arranque suave.

7) A inspeção ao interior do automóvel deve ser encerrada com uma atenção especial sobre as borrachas dos pedais, frio e embraiagem para verificar se não estão gastos.

8) cheiro pode ser um bom indicador de problemas com humidade.

9) Depois de verificados todos os pontos anteriores chega o momento do test drive. É este o teste que mostra ao cliente como se sente a conduzir o carro e como este reage a todas as ações que são naturais durante a condução. A sensação de resposta é um fator importante para compreender se o veículo se adequa ao condutor.

10) Perguntas como quantos proprietários o veículo teve, ou no caso de vendedores particulares, porque estão o a vender, permitem descortinar possíveis problemas. Para poder assegurar que a manutenção do carro foi a correta é essencial solicitar um histórico completo de manutenção.

Se a inspeção revelar algum defeito ou falha que não se encontrava descriminada, ou se existir algum desconforto com o carro, o comprador não se deve comprometer. Qualquer sensação que comprometa o prazer de conduzir deve ser indicador de que talvez não seja o veículo ideal.

Ler Mais


Artigos relacionados
Comentários
Loading...