O que são as doenças imunológicas?

As doenças imunológicas são doenças em que o sistema imune está diretamente associado às manifestações clínicas que o doente apresenta.

Ou seja, estas são um grupo de doenças onde o sistema imunológico passar a produzir anticorpos contra componentes do nosso próprio organismo. Por motivos variados e nem sempre esclarecidos, o nosso corpo começa a confundir suas próprias proteínas com agentes invasores, passando a atacá-las.

«No seu estado normal, o sistema imunológico produz proteínas chamadas anticorpos, cuja função é proteger o organismo das eventuais agressões, sejam dos vírus, das bactérias, de células cancerígenas e quaisquer outros corpos estranhos», podemos ler na infopedia, «estes agentes agressores, capazes de determinar a produção automática de anticorpos, são chamados de antígenos».

«Devido a uma desordem imunológica – a autoimunidade -, o sistema imunológico defensivo perde a capacidade de distinguir os corpos estranhos (antígenos) das suas próprias células, passando a direcionar anticorpos contra o próprio organismo. Estes anticorpos dirigidos anormalmente contra o próprio organismo são chamados de autoanticorpos», esclarece a infopedia, «os autoanticorpos reagem assim com elementos do próprio organismo, formando complexos imunológicos».

Integram este grupo de doenças a artrite reumatoide, o lúpus eritematoso sistémico, a colite ulcerosa, entre outras.

Frequentemente estas doenças, quando não diagnosticadas e não tratadas, estão associadas a um prognóstico mau para o doente. Em muitas doenças autoimunes, particularmente no início da doença – quando é mais modificável – os doentes, geralmente, apresentam características clínicas sobrepostas, tornando quase impossível o diagnóstico apenas pelos sintomas.

De acordo com o Instituto Médico de Estudo Imunológicos existem essencialmente quatro grupos de doenças:

Doenças autoimunes (DAI): conjunto vasto de doenças que podem ser específicas de um órgão, como as envolvendo a tiróide (tiroidites), o pâncreas (diabetes mellitus tipo I), a pele (psoríase, eczema atópico), o olho (uveítes), os intestinos (colite ulcerosa, doença de Crohn) entre outros, e sistémicas, como o lupus eritematoso sistémico, a artrite reumatóide, a síndrome de Sjögren e a esclerodermia, entre outras.
Imunodeficiências: patologias que podem ter etiologias muito diversas e que culminam na diminuição da atividade do sistema imune; deste conjunto de doenças o IMEI debruçar-se-á sobretudo sobre as imunodeficiências primárias e os estados de imunossupressão secundários a fármacos, como os que se usam para tratar várias doenças autoimunes
Síndromes auto-inflamatórios: doenças caracterizadas por episódios recorrentes de febre e outros sinais de inflamação sistémica, como a febre mediterrânica familiar, entre outras.
Doenças alérgicas: correspondem a uma reação exagerada do sistema imunológico a substâncias habitualmente inócuas (reações de hipersensibilidade). Podem afetar vários órgãos específicos e de forma isolada (vias aéreas, pele, sistema digestivo) ou ser generalizadas (como a anafilaxia), podem provocar reações imediatas (logo após contacto com o alergénio) ou tardias (após vários dias). Podem ser ligeiras ou potencialmente fatais.

O uso de diagnósticos clínicos pode fornecer pistas diagnósticas importantes para auxiliar o diagnóstico diferencial. Isso pode significar que o doente é diagnosticado mais cedo e que recebe tratamento que pode potencialmente ter um impacto significativo no prognóstico.

 

 

Ler Mais


Artigos relacionados
Comentários
Loading...