Solidão na era da tecnologia: como as redes sociais podem influenciar nos relacionamentos, seja qual for a idade

Os maiores de 50 anos também estão expostos a esta realidade.

Um estudo realizado pelo Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida (ISPA) e pelo Observatório Social da Fundação La Caixa, na qual mostra que os portugueses que passam muito tempo nas redes sociais sentem-se mais sozinhos.

Num mundo cada vez mais tecnológico e ‘online’, é comum o uso das redes sociais como o Facebook, Twitter e Instagram para se comunicar com outras pessoas. Um estudo realizado pelo Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida (ISPA) e pelo Observatório Social da Fundação La Caixa, mostra que os portugueses que passam muito tempo nas redes sociais sentem-se mais sozinhos.

Neste mesmo estudo, descobriu-se que o sentimento de solidão mantém-se mesmo quando o tempo passado nas aplicações não interfere com os contactos frente a frente. Foi chegado à conclusão que o cérebro humano evoluiu de tal forma que só sentimos plena e verdadeira conexão social quando socializamos com outro indivíduo fisicamente presente. Mas o sentimento de solidão pode passar despercebido: os utilizadores sentir-se-ão que precisam de mais contactos online, mas, na verdade, isto só se torna um círculo vicioso de dependência das tecnologias de comunicação.

O Especialista em Relacionamentos e Comportamento, Maicon Paiva, responde à seguinte questão: São as pessoas solitárias quem mais procuram as redes sociais ou são as redes sociais que os tornam solitários? “Ambas as situações são possíveis. As pessoas mais solitárias tenderão a recorrer mais às redes sociais e estas podem aumentar os sentimentos de solidão, mas não necessariamente o isolamento social. O que está em causa são sentimentos de solidão em pessoas que não estão solitárias. É a chamada solidão subjetiva”.

O estudo confirmou, com uma amostra de cinco mil portugueses, que há uma relação entre solidão e dependência das redes sociais, e que não se explica somente pela insatisfação com a situação vivida com os amigos, família e na relação amorosa. A solidão resulta numa série de doenças e reduz o tempo de vida. Já existem diversos estudos a demonstrar que as pessoas que se sentem mais sós tendem, de modo geral, a ter mais problemas emocionais e físicos.

 Maicon Paiva, Fundador da Casa de Apoio Espaço Recomeçar, traz algumas dicas de como acabar com a solidão e voltar a ser feliz. 

 

  1. Aceitar a mudança. Se há algo de errado, é preciso mudar para ter resultados diferentes. Assim, se quer voltar a ser feliz, terá que aceitar e gerar mudanças no seu dia a dia. Comece identificando os motivos que levaram à solidão. Geralmente, a timidez e a dificuldade de interagir com outras pessoas são as principais causas. Então, se esse for o caso, explore novos ambientes, encontre um lugar que se sinta confortável, seja ele qual for.

 

  1. Não se isole. A solidão pode acontecer mesmo cercado de pessoas, mas tende a ocorrer principalmente se estiver isolado. Sendo assim, esteja aberto para conversas, abraços, passeios em família, encontros com amigos, entre outras atividades sociais. O ideal é cercar-se de pessoas com pensamentos positivos, otimistas e de alto astral. Assim já terá motivos de sobra para sorrir todos os dias.

 

  1. Crie hábitos ou encontre um passatempo. Mudar de hábito é a forma mais fácil de sair da solidão. Em vez de fazer coisas destrutivas, introspetivas, e que só lhe deixam mal, faça o oposto. Explore atividades que lhe façam bem e que contribuam para a felicidade de outras pessoas também. A caridade, por exemplo, é uma ótima forma de restaurar a paz interior e ainda ajudar a quem precisa. O mesmo vale para os passatempos. Aprender a tocar um instrumento, estudar línguas, ler, escrever, compor músicas, jogar jogos de tabuleiro, fazer artesanato, cuidar de plantas, são todas atividades prazerosas e recomendadas para quem busca uma vida mais equilibrada emocionalmente.

 

  1. Aprender coisas novas. Não está satisfeito com o seu trabalho? Então mude! Aprenda algo novo e dedique-se a isso. Tal ação vale para tudo, como entretenimento, aperfeiçoamento profissional, adquirir novas habilidades, entre outras coisas. Pode explorar desde um curso profissionalizante até uma graduação. O mais importante é que você se identifique coma atividade. Dessa forma, estará entretido e fará contacto com outras pessoas também.

 

  1. Procure ajuda. É importante ressaltar que nem sempre conseguimos nos livrar dos problemas sozinho. Então, se esse é o caso, não tenha medo de pedir ajuda. Conte com o apoio dos seus familiares, amigos e até mesmo de um profissional. Pode recorrer também à Ajuda Espiritual para sair dessa situação. A Consulta Espiritual, pode orientar os caminhos para uma vida mais equilibrada. 

 

Vale ressaltar que há também a solidão a dois, que surge quando o sentimento má interfere no relacionamento amoroso. Essa solidão é o mesmo que se sentir sozinho, incompreendido e distante de quem amamos. É uma sensação de não pertencer, de não se encaixar e de não ser compreendido por quem nós amamos. O Especialista em Relacionamentos Maicon Paiva, fala sobre como o relacionamento deve ser cuidado para não chegar a situações como esta. “Todo relacionamento amoroso deve ter amor, confiança, cumplicidade, companheirismo, compreensão, paciência, carinho, romantismo, comunicação, atração, paixão, admiração, entre outros pilares que mantêm um relacionamento saudável.”

 

 

Ler Mais