8 alimentos “light” que na verdade engordam

Muitas vezes nem tudo o que parece é. Seja por culpa da forma como são cozinhados, seja por culpa do seu processamento, a verdade é que existem inúmeros produtos vendidos como “light” que escondem açucares e gorduras indesejadas.

Na procura incessante por uma dieta saudável é quase certo que se irá sentir tentado por alguns produtos em particular. Sobretudo aqueles que no início prometam fazer bem à sua saúde e que se apresentem como sendo fáceis de confecionar.

No entanto, tenha cuidado. Muitos destes “falsos amigos”, autointitulados produtos “light”, sugerem nos seus pacotes que não engordam de todo, quando na verdade podem estar a contribuir para injetar muitas mais calorias do que imagina.

Alguns estudos recentes, tal como relata o El País, indicam que o consumo de alimentos “light” pode contribuir para a ingestão de mais calorias na sua dieta, provenientes sobretudo de alimentos supérfluos.

Eis alguns dos exemplos:

  1. Leite Magro

Apresentar um leite (ou derivado) como sendo totalmente desnatado pode ajudar a chamar à atenção de algumas pessoas interessadas em perder peso. Segundo o especialista alimentar Manuel Moñino, este tipo de leite pode ser até uma opção “adequada para a população em geral”, não constitui por si nenhum tipo de problema grave.

A questão é que para tornarem estes produtos mais saborosos, muitas marcas adicionam açucares indesejados. Moñino sugere que, caso sinta necessidade de acrescentar algum sabor extra a este tipo de produtos, ao invés de utilizar açúcar refinado, use antes frutas frescas ou secas.

  1. Saladas em pacote

Em princípio as saladas em pacote são sempre uma opção muito saudável, que facilita o consumo de verduras. No entanto o risco associado a este tipo de produtos são os temperos, molhos e outros complementos que podem vir associados. Croutons, cebola frita, tiras de bacon… tudo isto acrescenta inúmeras calorias às suas refeições.

Se escolher este tipo de saladas em pacote o melhor é mesmo tempera-las exclusivamente com azeite de oliva extravirgem, deixando de fora do seu prato quaisquer “acessórios” processados ou de origem animal.

  1. Pão sem miolo

Não há volta a dar, este é um dos alimentos que deverá “cortar” mais rapidamente das suas refeições. No entanto muitas pessoas tentam apenas substituir o pão fresco por outras soluções como os grissini ou mesmo tostas e torradas, na expectativa de que estas opções sejam menos calóricas. A verdade é que este tipo de pão sem miolo contém muitas vezes mais energia que o pão fresco, sendo que acrescenta ainda algum tipo de gordura vegetal à sua composição.

Caso queira continuar a ingerir este tipo de produtos, o melhor é mesmo optar por soluções de pão integral ou de mistura de farinhas, grãos e sementes.

  1. Sushi

Muitas vezes como forma de compensar o forte sabor do peixe é acrescido açúcar às peças de sushi. Como tal este pode não ser o alimento ideal que muitos imaginam. Apesar deste facto, Moñino defende que este tipo de refeição é frequentemente melhor que pratos à base de carnes, com guarnições de batatas fritas.

Tenha apenas cuidado para não se exceder nas idas ao buffet. Lembre-se sempre, por mais saudável que seja uma refeição, o seu pior inimigo são as doses.

  1. Batatas fritas “light”

Cuidado com esta armadilha. Apesar deste tipo de batatas não espalhar sal e manchas de óleo nos guardanapos, isto não significa que não façam mal à saúde. É certo que contém menos calorias do que as batatas tradicionais, no entanto continuam a ter números calóricos excessivamente altos. Não se deixe iludir por esta estratégia de marketing, e evite este tipo de produtos.

  1. Bolachas “light”

Já sabemos que as bolachas Maria não são propriamente saudáveis para as crianças. Já os adultos continuam a acreditar que as “primas light” deste tipo de bolachas são apropriadas para consumo diário. Errado. Como explicado, “light” não significa sem calorias, significa apenas “um pouco menos”. Ora reduzir cerca de 30% das calorias de uma bolacha extremamente calórica não as irá transformar magicamente numa opção saudável. Pior ainda, este fato pode apenas impulsionar o seu consumo excessivo.

  1. Geleia

De acordo com um estudo da OCU, uma geleia light contém 35 gramas de açúcar por cada 100 gramas, contra os 50 gramas presentes numa geleia normal. A opção light pode até não conter açucares adicionais, mas terá sempre os açucares presentes na própria fruta. Tenha cuidado com este tipo de ingredientes. O fato de ter menos calorias não significa que não possa engordar ao comer geleia diariamente.

  1. Mel, agave e rapadura

O açúcar branco refinado caiu em desgraça, isso é certo. No seu lugar surgiram outros produtos que prometiam ser mais saudáveis. Infelizmente o nosso cérebro parece interpretar imediatamente isto como “então não engorda”. Moñino relembra que apesar destes produtos terem um conteúdo calórico ligeiramente menor, serão sempre açucares acrescentados e, como tal, devem ser controlados na sua dieta habitual. O mel até pode ser saudável, mas também engorda.

 

 

 

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Black Friday 2019 em números
Automonitor
FIA escolhe Braga como palco do Hill Climb Masters 2020