Afinal, o seu relacionamento é (ou não) “à prova” de pandemia?

As nossas relações amorosas também parecem necessitar de uma forte imunidade contra os efeitos devastadores do coronavírus. Saiba as medidas que deve tomar para assegurar o bem-estar conjugal

O último ano têm sido um enorme desafio para todos. A pandemia provocada pela Covid-19 tem obrigado os cidadãos, as empresas, os decisores e profissionais de saúde a esforços impensáveis. Para além da crise económica e de saúde pública, também a nossa vida afetiva tem sido fortemente afetada.

A pressão do confinamento e ausência de esperança têm infelizmente provocado um aumento do número de divórcios, separações e casos de violência domésticas.

Sendo certo que todos os casais passam por momento menos positivos, a pandemia veio aumentar tremendamente a tensão conjugal. Estamos “presos” nas nossas casas, sem possibilidade de sair ou desanuviar. Não temos uma vida social ativa que permita aliviar algum stress ou alterar a nossa perspetiva sobre um certo assunto.

Muitos relacionamentos têm terminado nos últimos meses. Todavia existem alguns conselhos que podem ajudar a proteger a saúde da sua relação.

Eis as dicas de comunicação que têm ajudado os casais mais saudáveis a ultrapassar este desafio, explicadas pelos especialistas do portal Psychology Today.

 

  1. Evitar o excesso de críticas

Quando nos zangamos ou irritamos com o nosso parceiro é natural sentirmos uma vontade de “lançar” acusações e assinalar todos os aspetos menos positivos do seu comportamento. Estas críticas apenas acabam por contribuir para um espirito mais defensivo que bloqueia a possibilidade de uma comunicação aberta. Deve aprender a comunicar as suas insatisfações de uma forma mais adequada. Explique calmamente a forma como certo gesto ou atitude afetou o seu bem-estar. Encontrem em conjunto soluções para resolver o problema.

 

  1. Empatia

Temos que saber identificar a forma como as nossas atitudes podem estar a agravar um conflito. Devemos ser capazes de nos colocarmos na perspetiva do outro e compreender a sua insatisfação. Aprenda a ouvir ativamente. Assuma os seus erros e valide os sentimentos do seu parceiro. Todos cometemos erros, isso é apenas normal.

 

  1. Não bloqueie a comunicação

É comum que em situações de conflito ou frustração um dos membros do casal escolha interromper por completo a sua comunicação, erguendo uma espécie de “muralha emocional” em seu redor. Isto é algo promovido pelo stress e pelo desejo do organismo se “desligar” nestes momentos de crise. Todavia isto é algo perigoso. Apenas através de um esforço ativo e coletivo para responder aos problemas podemos ultrapassá-los, assegurando o bem-estar da relação.

Caso sinta que está a ficar demasiado stressado com uma qualquer discussão, escolha parar por uns momentos. Respire fundo, relaxe os músculos e imagine coisas positivas. Passados alguns momentos, regresse à conversação com um espirito mais construtivo.

 

  1. Não expresse o seu desprezo

Um dos sinais mais evidentes de uma tremenda frustração e de um divórcio iminente, passa pelo expressar de um claro desprezo e desrespeito pela outra pessoa. Evite o sarcasmo, o revirar dos olhos, e outros tipos de gestos indelicados. Ao ofender o seu parceiro apenas estará a desencorajar o interesse em resolver os problemas. Promova antes as demonstrações de gratidão e apreciação. Quanto mais oportunidades tiver para demonstrar o seu amor e carinho mais provável será que a outra pessoa queira cuidar adequadamente da relação.

 

 

Ler Mais


Artigos relacionados
Comentários
Loading...