CrossFit para pessoas com mais de 50 anos? Sim, é possível

Existem aulas deste tipo de exercício especificas para este público-alvo. Atreve-se a experimentar?

Nos últimos anos a modalidade de CrossFit tem registado uma enorme popularidade. Cada vez mais pessoas ousam experimentar estas aulas e rapidamente se tornam em fãs absolutos. Este é um tipo de exercício conhecido pela sua alta intensidade e pelo esforço que exige dos seus participantes.

É assim algo estranho imaginar como é que o CrossFit pode ser uma opção para pessoas com mais idade, que tenham já algumas limitações físicas. A verdade é que o CrossFit para a “terceira idade” existe e pode trazer muitos benefícios aos seus participantes.

O que sabemos é que os exercícios funcionais presentes nas aulas desta modalidade, são particularmente relevantes para pessoas com mais de 50. Ajudam a melhorar a densidade óssea, aumentam a força dos músculos e garantem uma maior flexibilidade. No entanto é necessário adaptar ligeiramente os treinos de forma a ir ao encontro das necessidades e capacidades deste público-alvo.

É certo que muitas pessoas têm um certo medo da intensidade presente nesta modalidade. Apesar de obviamente poder sempre existir um risco associado de lesões, segundo um estudo recente do Orthopedic Journal of Sports Medicine (OJSM) o CrossFit foi considerado relativamente seguro quando comparado com outras modalidades. O risco só é normalmente mais elevado no primeiro ano de treinos, muito devido â inexperiência de alguns participantes.

As aulas de CrossFit dedicadas a um público 50+ são adaptadas, respeitando as limitações que alguns dos participantes podem ter. A corrida não é tão intensa, os pesos são mais leves, etc. Mas o importante é que a saúde dos participantes continua a ser melhorada e a musculatura fortalecida.

Nunca é tarde para experimentar novos tipos de exercício físico. Será que vai finalmente dar uma oportunidade ao CrossFit?

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Lego lança minissérie no YouTube
Automonitor
Portugal a caminho de bater recorde de produção anual