Quanto custa um funeral em Portugal?

Por ser tabu em Portugal, este é um tema que não é usualmente abordado pelos portugueses e são muitos os que desconhecem quanto custa um funeral. No entanto, todos nós temos de passar por estas cerimónias na vida e podemos ter de ser nós a tratar de todo o processo com a agência funerária. A pensar nisto, reunimos os custos inerentes a um funeral em Portugal e as soluções de financiamento que existem para o efeito.

Segundo dados da Direção-Geral da Saúde (DGS), em 2017 foram registadas 110.197 certidões de óbito. Este número tem vindo a aumentar ao longo dos anos, muito devido à melhoria das condições de vida gerais dos portugueses, que acabam por contribuir para um aumento da esperança média de vida. Atualmente temos uma população mais envelhecida durante mais tempo.

É por este motivo que é crucial tocar num tópico tão sensível como o da morte dos nossos entes queridos. Nestas ocasiões, não temos condições emocionais para tomar decisões acertadas sobre o que escolher para uma cerimónia fúnebre e, como tal, deixamos que as agências funerárias tratem de todo o processo.

No entanto, é essencial que exista alguém neste processo que possa ter uma visão mais clara, que consiga pedir orçamentos discriminados a várias agências, bem como quem possa escolher o melhor financiamento para as necessidades desta cerimónia.

Comparar soluções de financiamento

Fique a conhecer quais os valores médios cobrados pelas agências funerárias e descubra quanto custa um funeral.

Quanto custa um funeral em Portugal?

Existem muitos aspetos a ter em consideração para se perceber quanto custa um funeral em Portugal. Com base num funeral realizado na cidade de Lisboa, foram analisadas três hipóteses de cerimónias: uma mais acessível (com serviços mais básicos), outra com serviços extra e ainda uma com cremação.

Atendendo a estes três tipos de cerimónias foi possível construir um orçamento para cada uma das opções e ter uma noção de quais os valores que se praticam no mercado, conforme é possível observar na tabela abaixo:

Serviço Enterro Cremação
Opção básica Opção intermédia
Custo de pessoal 300€ 300€ 300€
Tratamento de burocracia 130€ 130€ 130€
Caixão 565€ 2.875€ 790€
Pote 62,50€
Cendrário 52€
Sepultura 85€ 85€
Direito de cemitério 85€ 85€ 148,60€
Serviços paroquiais (cerimónia) 140€ 140€ 140€
Viaturas e transporte fúnebres 300€ 300€ 300€
Transporte de materiais (velório) 16€ 16€ 16€
Armações (pano fúnebre, carpete, tocheiro, entre outros) 10€ 10€ 10€
Arranjos florais 95€ 245€ 140€
Lençol e lenço para urna 30€
Cartões de agradecimento 70€ (50 cartões)
Tanatopraxia 450€
Total 1.726€ 4.736€ Com pote: 2.037,10€
Com cendrário: 2.026,60€
Orçamento para funeral

Valores médios de uma agência funerária em Lisboa.

Independentemente do tipo de cerimónia a realizar, existem sempre algumas despesas que são inerentemente obrigatórias.

Por um lado, existem os custos associados ao município onde irá decorrer a cerimónia (assumindo-se como uma espécie de taxas municipais que variam consoante a localidade em que se realizará o funeral), que podem ser pagos diretamente pelo cliente ou podem ser tratados pela agência funerária, sendo estes: os serviços paroquiais, a sepultura e o direito de cemitério.

Por outro lado, existe todo o tratamento de burocracia, a urna ou caixão escolhido, bem como o pote (em caso de cremação e se a família não quiser as cinzas no cendrário, ou seja, num local específico no cemitério para a colocação das cinzas do defunto).

Existem ainda outros serviços que são realizados pela agência funerária e que estão também implícitos no desenrolar de toda a cerimónia: é o caso dos custos de pessoal da agência, do transporte e utilização de viaturas fúnebres, bem como do aluguer e transporte de materiais e armações para o velório. Também aqui se podem incluir os custos com arranjos florais e respetiva colocação no velório e na Igreja, serviços que muitas vezes são realizados pela agência.

Numa observação geral, é possível perceber quanto custa um funeral: é algo dispendioso e, quantos mais serviços extra forem solicitados, maior será o custo. É possível, por exemplo, pedir uma reportagem fotográfica ou de vídeo digital, contratar serviços de cafetaria para o velório, ter anúncios de óbito em jornais ou até incluir, na cerimónia fúnebre, uma viagem de barco para colocar cinzas no mar.

Todos estes serviços adicionais levam ao aumento dos valores a pagar – o custo total de um funeral pode inclusive ascender aos 40 mil euros. Os números não mentem: a faturação obtida pelas agências funerárias em 2015 foi de 192 milhões de euros.

Consequentemente, devido ao facto de as cerimónias fúnebres poderem ter custos que ascendem aos milhares de euros, muitas são as famílias que não têm capacidade financeira para pagar a pronto e, como tal, procuram créditos rápidos. Estes financiamentos são relativamente fáceis de obter e o montante fica rapidamente disponível na conta da pessoa que irá suportar os custos fúnebres.

Encontrar financiamento rápido

Qual a oferta do mercado para cerimónias fúnebres?

Para se perceber exatamente quanto custa um funeral, e uma vez que muitas famílias portuguesas optam por solicitar um crédito para suportar esta despesa, recorremos ao perfil do senhor Jorge, que necessitou de um financiamento para custear o funeral do seu pai.

O senhor Jorge tem 52 anos, é casado e tem dois filhos. É um trabalhador já efetivo, habita em Lisboa com a família e detém uma habitação própria, estando ainda a pagar o crédito da casa, bem como o empréstimo do carro. A taxa de esforço deste agregado familiar é de 18%.

Saiba mais: Como calcular a sua taxa de esforço?

Financiamento para cerimónia fúnebre básica

O senhor Jorge começou então por comparar as ofertas do mercado de instituições financeiras para um crédito rápido destinado a pagar um funeral com custos mais reduzidos.

Instituições TAEG Prestação mensal MTIC
Cofidis 10,2% 151,52€ 1.818,21€
Puzzle 13,2% 153,69€ 1.844,33€
Cetelem 13,2% 153,74€ 1.844,83€
Millennium bcp 14,9% 154,94€ 1.859,32€
Crédito Agrícola 15,5% 155,40€ 1.864,76€
Custo de financiamento para funeral | 1.726€ a 12 meses

Solicitar crédito rápido

Considerando a oferta da Cofidis, que é a que detém uma prestação mensal mais reduzida, a taxa de esforço desta família subiria para os 24% – uma percentagem bastante aceitável para não se tornar num grande peso financeiro no orçamento mensal.

Financiamento para cerimónia fúnebre com serviços extra

No entanto, o senhor Jorge quis também perceber quanto custa um funeral com serviços extra, que encarece o custo total do crédito a pagar (denominado MTIC).

Instituições TAEG Prestação mensal MTIC
Cofidis 11,1% 285,71€ 5.142,84€
Cetelem 11,3% 286,13€ 5.150,36€
Oney 12,3% 287,99€ 5.183,81€
Custo de financiamento para funeral | 4.736€ a 18 meses

Escolher empréstimo

Para um crédito rápido – à partida, o mais desejado nestas situações de maior fragilidade emocional – com montantes superiores a 4 mil euros, as ofertas das instituições financeiras variam entre 285,71 e 287,99 euros a pagar mensalmente pelo cliente.

A taxa de esforço do casal, neste caso, iria variar entre os 29,4% e 29,5%. Para este montante de financiamento, o Sr. Jorge fica mais perto do limite máximo aconselhado para uma taxa de esforço saudável (que é de 33%).

Descubra: Tudo o que precisa de saber sobre crédito rápido em Portugal

Financiamento para cerimónia fúnebre com cremação

Por fim, é também importante considerar quanto custa um funeral com cremação. O senhor Jorge decidiu optar por considerar a colocação das cinzas num cendrário, ou seja, num local específico no cemitério para depositar as cinzas.

Instituições TAEG Prestação mensal MTIC
Cofidis 10,1% 177,83€ 2.133,95€
Puzzle 13,2% 180,41€ 2.164,89€
Cetelem 13,2% 180,46€ 2.165,49€
Millennium bcp 14,4% 181,42€ 2.177,08€
Crédito Agrícola 15,1% 182,08€ 2.184,97€
Custo de financiamento para funeral com cremação | 2.026€ a 12 meses

Comparar créditos rápidos

Com uma TAEG mais reduzida do que os financiamentos anteriores, a Cofidis continua a apresentar a oferta mais acessível. Aqui, a taxa de esforço do casal iria rondar os 25% em qualquer uma das instituições de crédito.

Sabia que…

Segundo o artigo 119º do Decreto-Lei n.º 10/2015, todas as entidades habilitadas a exercer atividade funerária devem dispor de um funeral social disponível para os municípios da sede da entidade e das filiais, caso existam. O funeral social não poderá exceder os 400 euros.

Estado ajuda em momentos de dificuldade

Em situações de falecimento de um familiar, note que é possível obter um subsídio de funeral através da Segurança Social. Este é facultado a todos os portugueses, independentemente da sua classe social ou das contribuições feitas para a Segurança Social.

Assim, para os contribuintes que tiverem descontado para este órgão social, o Estado reembolsa 1.286,70 euros para custos de funeral (desde que se prove que se pagou esta cerimónia), o que corresponde a três vezes o valor do Indexante dos Apoios Sociais (que em 2018 regista-se nos 428,90 euros).

Caso a pessoa falecida nunca tenha contribuído para a Segurança Social, a família recebe somente 214,93 euros (e desde que prove o pagamento do funeral).

Tenha atenção:

Este subsídio de funeral não é concedido automaticamente pelo Estado, devendo ser requerido no prazo de três meses após o pagamento de todas as despesas.

Em jeito de conclusão, os funerais não são cerimónias desejadas, mas infelizmente é inevitável estarmos presentes em alguns ao longo da nossa vida. Por ser um evento que pretende louvar e recordar o ente querido, muitas famílias podem desejar uma cerimónia com muitos serviços extra que contribuem para aumentar o custo total.

Agora que já sabe quanto custa um funeral, é fácil perceber a importância de, em momentos de luto como este, ter uma pessoa que possa ajudá-lo a pedir orçamentos em várias empresas, a escolher os produtos e serviços da agência funerária escolhida, bem como a comparar o mercado caso necessite de um financiamento.

Não se esqueça ainda que todos os portugueses têm direito ao subsídio de funeral da Segurança Social.

 

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Arranca a segunda edição do From Start-to-Table
Automonitor
Audi assinala os 25 anos de desportivos RS