Suplementos alimentares: o que são e para que servem

Tem dúvidas em relação a suplementos alimentares? Servem para as mais variadas funções, alguns são importantes outros dispoensáveis. Conheça-os aqui.

Probióticos

Os probióticos têm por objetivo ajudar a regenerar e restaurar uma quantidade equilibrada de bactérias benéficas, criando um ambiente mais saudável no trato intestinal. Segundo o site da Jaba Recordati, existem, contudo, condições para que um suplemento seja considerado um bom probiótico: resistência ao ácido gástrico, à bílis e às enzimas pancreáticas; aderência às células epiteliais; capacidade de colonização; produção de substâncias antimicrobianas; capacidade de modificar de modo sustentável; comprovados efeitos benéficos para a saúde (devidamente testado).

Vitaminas

No que diz respeito às vitaminas, existe uma ampla oferta de suplementos polivitamínicos, mas também produtos que se focam numa vitamina em exclusivo, para casos em que a carência está bem definida. A vitamina A, por exemplo, é uma das mais importantes e também é conhecida por Retinol. É conhecida pela sua composição antioxidante e serve para reforçar o sistema imunitário e proteger a pele, além de melhorar a visão e favorecer a renovação celular.

Já a vitamina B é composta por vários tipos que vão do B1 ao B12, sendo muitas vezes apresentada como um complexo vitamínico, por vezes com a inclusão ainda da vitamina C. Os complexos de vitamina B servem para ajudar o corpo a metabolizar a glicose, os ácidos graxos e os aminoácidos. Além disso, estas vitaminas também desempenham um papel importante na formação da mielina, que envolve as fibras nervosas e permite a comunicação entre os nervos. Entre as vitaminas do tipo B destaca-se a B12, que existe em suplementos de forma isolada, por ter particular importância no desenvolvimento e manutenção do sistema nervoso.
A vitamina C, provavelmente a mais conhecida, tem um papel importante no sistema imunitário e promove a absorção do ferro. Os sintomas iniciais de défice de vitamina C incluem fadiga, mal-estar e inflamação das gengivas.

Muito comum em pessoas com mais de 50 anos é a carência de vitamina D, porque, ao contrário das outras, esta não se encontra na alimentação. Este nutriente é produzido na pele por ação dos raios solares, e, por isso, muitos especialistas não a consideram, tecnicamente, uma vitamina, mas sim uma hormona. A exposição solar é importante ou mesmo crucial para a obtenção de vitamina D, que ajuda a prevenir alguns tipos de cancro, a obesidade, a diabetes, protege a saúde cardiovascular, é anti-inflamatória, melhora o tónus muscular e tem um papel importante na fixação do cálcio nos ossos.

A vitamina E protege as células contra lesões causadas pelos radicais livres, que são subprodutos da atividade celular normal e que participam das reações químicas com as células.

Por fim, uma outra vitamina importante é a K, necessária para a síntese das proteínas que ajudam a controlar o sangramento (fatores de coagulação) e, por isso, para a coagulação normal do sangue. A vitamina K é também importante para a saúde dos ossos e de outros tecidos.

Ferro

O ferro é um mineral essencial, fundamental para o bom funcionamento celular e para a síntese de DNA e metabolismo energético. Na hemoglobina, o ferro tem a função de transportar oxigénio para os músculos em atividade. Atua também na fixação do oxigénio nas fibras musculares cardíacas e no músculo esquelético, para proteger de lesão muscular durante os períodos da privação de oxigénio.

Magnésio

O magnésio existe em abundância no nosso organismo e está presente em diversos alimentos, mas também está disponível sob a forma de suplemento alimentar para quem tem carências deste nutriente. É um cofator de mais de 300 enzimas que regulam diversas reações químicas no organismo, incluindo a síntese proteica, função muscular e neural, controlo glicémico e pressão arterial. Além disso, o magnésio é ainda necessário para a produção de energia, fosforilação oxidativa e glicólise. Contribui para o desenvolvimento ósseo e para a síntese de ADN, ARN.

Cálcio

A importância do cálcio para os ossos é amplamente conhecida, e os suplementos deste mineral são muitas vezes utilizados de forma preventiva a partir de uma determinada idade, com o objetivo de evitar ou reduzir os efeitos da osteoporose. No entanto, o cálcio não é importante apenas para os ossos. Os especialistas associam a ingestão de cálcio no dia a dia, em conjunto com outros minerais, à redução dos níveis de tensão arterial, pelo que este nutriente tem também benefícios para a saúde cardiovascular.

Proteína

Muito procurados por desportistas, os suplementos alimentares à base de proteína são utilizados antes e depois dos treinos para desenvolver e reparar os músculos, respetivamente. No entanto, é muito importante saber como e quando tomar este tipo de suplementos, visto que o seu uso incorreto pode anular o benefício esperado. Tomar suplementos proteícos sem consumir hidratos de carbono, por exemplo, pode ser um erro, visto que, após atividade física intensa, é importante repor a energia.

Outro erro é tomar este tipo de suplemento alimentar sem praticar exercício físico.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
Loading...