7 razões (estapafúrdias) para ver a série “A Bola Maciça” hoje à noite

Nunca existiu uma melhor altura para um pouco de humor surreal e absurdo.

“Uma série distópica para tempos distópicos”, é desta forma que os autores da série televisiva “A Bola Maciça” caracterizam os episódios que compõe a segunda temporada desta comédia surreal que teve a sua estreia no passado mês de agosto, na SIC Radical. 

Se a primeira temporada tinha já impressionado o público pela sua capacidade de desbravar sem medos os limites do humor, este segundo conjunto de 12 episódios – que conta agora com a curadoria de Edmundo Calcifredo (interpretado por Pedro Mexia) – parece continuar a cavalgar sobre a ténue linha do absurdo total e non-sense. 

“Sem grande esforço acabamos por encontrar as coisas reais mais estapafúrdias para escrever A Bola Maciça. A quantidade de exagero cómico cabe na cova de um dente” afirma Hugo Simões (co-autor da série). 

Ao longo dos episódios é nos dado a conhecer as emissões do noticiário “A Bola Maciça”, composto por uma equipa de estranhas personagens como Saturnálio Escarro ou António Safra Nelson. Os temas mirabolantes (ou talvez não) abordados ao longo dos episódios prometem ser capazes de cativar, assustar, horripilar ou simplesmente enojar. Fica o alerta. 

Numa altura em que o humor político se transformou numa tendência nacional e internacional, que domina a esfera dos conteúdos de comédia, a série “A Bola Maciça” procura fazer algo diferente. “O que fazemos, fazemos pela piada e não para passar uma mensagem”, explica Luís Francisco Sousa (co-criador da série). 

Para ajudar a compreender a verdadeira essência desta série televisa solicitámos gentilmente aos autores de “A Bola Maciça” que nos apresentassem alguns dos motivos que deverão convencer os telespectadores a assistir aos episódios que são emitidos todos sábados na SIC Radical.  

Eis as 7 estranhas e bizarras razões que nos foram apresentadas: 

 

1. Tem de ser 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Cidadão: a Emissora d’A Bola Maciça já espiolhou bem a questão e tem mesmo de ser. A Bola Maciça é o noticiário com entretenimento leve de que você precisa, e é já. Já, cidadão! O que é que ainda está a fazer lendo este artigo? Siga, seu pulha! 

 

2. Não há volta a dar 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Não há volta a dar, tem mesmo de ver A Bola Maciça. De que outra forma saberá do Caledexit: a saída da Caledónia da Grande União? Ou do Incrível Inchaço: a pandemia que incha a maralha e talvez tome o Parlamento? Nunca saberá. Nunca. 

 

3. Não há mesmo volta a dar

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tentou dar a volta, não foi? Voltou-se todo sobre si próprio a tentar regressar ao ponto de origem. Cidadão, não há volta a dar! De acordo com estudos, quem não vê A Bola Maciça dá por si encurralado no saguão com água pelos olhos. Porque não evitar todo um mundo de águas paradas e escolher a legalidade que informa, porém diverte? Veja lá A Bola Maciça, o noticiário que é mais actual que a actualidade. Quem o avisa seu amigo é! 

 

4. É preciso

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A Emissora não quer que ninguém se aleije. Por isso, é preciso que veja A Bola Maciça. Assim, beneficiará da companhia d’O Apresentador, que apresenta. Ou de António Safra-Nelson, que além safrar o Nelson, reporta. Ou de Saturnálio Escarro, que escarra, mas também investiga. E quem se pode esquecer de Lena, a repórter cujo fogo jamais se apagará? 

 

5. Cuidado com os pregos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tenha cuidado com os pregos. Para quê expor-se ao perigo? Veja antes A Bola Maciça. Assistir a A Bola Maciça é um serão bem passado: com o riso, a informação e também a amizade. Um serão curto, de 6 a 8 minutos, mas um serão maior se vir tudo o que estreou até agora de enfiadela, online. Se não assistir, tenha cuidado com os pregos. 

 

6. É patriótico

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Quem vê A Bola Maciça é bom patriota, e quem vê os bons patriotas é a Emissora. Nós sabemos quem vê  – e quantos vê! Não viu? Pimba, já foi. Não consegue ver? Não consegue, ou não quer? Porque se não vê não é bom patriota, e se não é bom patriota nós vemo-lo a si. 

 

7. É uma série revolucionária no paradigma Português 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Falemos fora de brincadeiras, A Bola Maciça é algo nunca antes visto no paradigma português, porque traz uma linguagem cómica tão própria: “O Espanhol”. Entonces ustedes liga el televisor e puene todo el mundo viendo “El Gran Esferico”, a los siabados a la noche nel SIC Radical. 

 

A segunda temporada d’A Bola Maciça, produzida pela Bruá Podcasts, estreou dia 8 de Agosto às 21h15 na SIC Radical e é composta por 6 emissões d’A Bola Maciça divididas por 12 episódios, numa curadoria feita por Edmundo Calcifredo (Pedro Mexia). 

Os episódios podem igualmente ser visualizados online no site SIC Radical 

 

 

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
Loading...