Finanças pessoais. 7 dicas para gerir o dinheiro e ter qualidade de vida

Para ter uma reforma com a maior qualidade de vida possível, estabeleça nestes últimos anos da vida profissional um plano/guia de como a quer viver.

Provavelmente, já estamos numa fase da vida em que a nossa independência é salvaguardada por uma maior segurança financeira, que nos dá um maior poder de compra. Ora, com um maior poder financeiro vem um aumento das responsabilidades – gerir o dinheiro, fazer poupanças, investir e criar um legado duradouro -, por isso, deixamos 7 sugestões sobre como pode chegar à reforma de uma forma segura e tranquila.

1- Conheça-se melhor;

Para evitar surpresas na sua vida, que podem literalmente custar-lhe dinheiro, já pode saber como reage perante determinadas situações e tentar mudar o que no passado se provou ser inconveniente para si.

2- Mantenha a sua vida privada;

A maior parte das pessoas mais velhas não são tão abertas como as mais novas. As experiências acumuladas ao longo dos anos são uma defesa se apenas pessoas da nossa confiança tiverem conhecimento.

No entanto, com o tempo em que o nosso poder financeiro aumenta e ganhamos maior segurança em nós mesmos, começamos a poder cometer alguns deslizes. O melhor é ter cuidado, porque nunca sabemos verdadeiramente quais são as intenções dos outros.

3- Aprenda com os erros dos outros;

Quase tão importante como aprender com os nossos erros, é estar consciente dos erros dos outros que já passaram por situações semelhantes à nossa. Se for o caso de partilhar a sua vida com alguém, tenha um cuidado maior para não cometer certos riscos. No que toca ao dinheiro é difícil tomar decisões quando há emoções envolvida.

Porém, é crucial que cada um tenha alguma autonomia. Se tem constantemente de pedir permissão para lidar com pequenas quantias de dinheiro, isso começa a parecer paternal, o que não é bom para a relação.

4- Com filhos seja transparente;

Essa característica é fundamental. Muitos de nós, na faixa dos 50, fornecemos ajuda financeira aos nossos filhos. Contudo, deve conduzir os seus filhos ao ponto em que eles próprios ganhem a sua autonomia financeira.

Crie um plano de como os quer ajudar a crescer financeiramente. Ou os ajuda com o orçamento, ou traça um caminho até lhes retirar o apoio. Mas evite as surpresas, porque é assim que surgem as confusões mais graves no seio da família.

5- Procure a união familiar para cuidar dos seniores;

Às vezes, tem filhos, procura o melhor para a sua reforma e ainda tem de cuidar dos seus pais. Este é um tema que pode ser problemático para muitas pessoas. Há sempre pessoas mais ligadas aos seus pais que outras. No entanto, a menos que seja filho único, procure encontrar um consenso com todos os membros adultos da família, incluindo os pais, para que ninguém saia prejudicado.

6- Tenha consciência do seu trabalho e valorize-se;

Seja o seu melhor advogado, na hora de negociar o seu salário, em que tem de estar consciente do valor do seu trabalho. Se for preciso, vá atrás de salários mais altos noutros sítios e esteja disposto a mudar de emprego para conseguir um aumento salarial.

7- Viva o momento.

Muitas pessoas pensam na importância de deixar um legado para os seus filhos. No entanto, pense como pode ser mais importante ajudar os seus filhos agora a comprar uma casa ou a investir num negócio que eles possam querer começar. Isso pode ter um maior impacto do que deixar uma herança maior.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Nestlé lança nuggets e hambúrgueres vegetarianos
Automonitor
Que carro compro agora? Ramón Calderón aconselha um carro a GNC