Estão os adultos com 50 e 60 anos a ter mais casos extraconjugais? Estudo afirma que sim

Más notícias para muitos casais. Uma boa notícia para os sites de encontros.

Os jovens americanos estão a trair menos e os adultos mais envelhecidos a trair mais. Esta é a principal conclusão da análise feita pelo professor e investigador Nicholas H. Wolfinger da Universidade do Utah.

Partindo dos dados do Instituto Americano para os Estudos Familiares, Wolfinger procurou perceber como as pessoas respondiam à seguinte questão: “Já alguma vez teve sexo com outra pessoa, que não seja o seu marido ou esposa, enquanto estavam casados?”. Sendo certo que grande parte dos casais norte-americanos parece permanecer comprometido com a ideia de monogamia, a verdade é que dentro do grupo que afirmou já ter traído, a grande percentagem tinha (surpreendentemente) já uma idade superior a 50 ou 60 anos.

[Leia também: 8 razões porque o sexo é melhor aos 50 anos]

A maior parte destas pessoas estava já casada há mais de 20 e 30 anos. Sendo certo que uma convivência de longa duração pode afastar um casal e tornar menos entusiasmante a sua vida sexual, a verdade é que segundo a opinião de Wolfinger poderá existir um outro fator que ajuda a explicar um maior interesse sexual por outras pessoas.

Efeito Viagra?

A verdade é que depois dos 50 e 60 anos, muitas pessoas revelam entrar numa fase de grande exploração sexual, estando mais disponíveis para experimentar outro tipo de coisas. Sem preconceitos. Este facto, aliado à proliferação de medicamentos que tratam a disfunção eréctil – como o Viagra, que entrou no mercado há 20 anos – pode levar a que muitos procurem novas experiências sexuais. A incompatibilidade com o parceiro de longa data pode “abrir a porta” para que procurem casos extraconjugais que satisfaçam este desejo rejuvenescido.

No que diz respeito aos homens, as estatísticas médicas demonstram que 50% dos homens com 50 anos sofrem de algum tipo de disfunção eréctil. Após os 60 anos de idade esse número sobe também para 60%. A evolução médica e os inúmeros produtos pensados para “atacar” a disfunção eréctil vieram dar uma nova esperança a muitas destas pessoas… facilitando também alguns comportamentos menos monogâmicos.

[Leia também: Pretende reiniciar a vida sexual após um longo interregno? Estas dicas podem ajudar]

 

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
Loading...