O que devo comer e evitar: a composição de uma alimentação saudável, segundo uma nutricionista

No âmbito do Dia Europeu da Alimentação e da Cozinha Saudáveis, a médica e nutricionista Sandra Alves, membro da Sociedade Portuguesa do AVC dá alguns conselhos sobre o que deve e não deve fazer parte da sua alimentação.

O dia, 8 de novembro, foi escolhido pela Comissão Europeia para assinalar o Dia Europeu da Alimentação e da Cozinha Saudáveis, em mais uma iniciativa integrada numa campanha de combate à obesidade nos Estados-Membros da União Europeia. A designação escolhida para este dia é, na nossa opinião, muito feliz, porque a nossa alimentação é diretamente influenciada pela forma como cozinhamos os alimentos. Não se pode falar de alimentação saudável, sem uma arte de cozinhar assente em princípios também eles saudáveis.

Num país como Portugal, onde o Acidente Vascular Cerebral (AVC) é ainda a primeira causa de mortalidade, relembramos uma vez mais os seus fatores de risco: a hipertensão arterial, a fibrilhação auricular, a diabetes, a obesidade, a dislipidemia, o sedentarismo, o tabagismo, entre outros. A grande maioria destes fatores de risco é modificável pelos hábitos e estilos de vida dos portugueses, sendo elevado o impacto positivo da alimentação e da atividade física na saúde.

A Dieta Mediterrânica que integra a lista do património imaterial da UNESCO salvaguarda um conjunto de princípios orientadores em matéria de alimentação, que mais do que promotor de saúde, é património cultural e identitário do nosso país. Em jeito de TOP + e TOP -, deixamos um conjunto de orientações simples para uma alimentação e cozinha mais saudáveis, para um Portugal com mais saúde e menos AVC.

Top +

– Água

– Fruta

– Hortícolas (sopas)

– Cereais integrais (arroz, massa, pão, entre outros)

– Produtos vegetais da época (respeitar a sazonalidade)

– Produtos frescos de produção local

– Produtos lácteos com menos gordura

– Peixe

– Carnes brancas

– Azeite

– Cozidos e grelhados

– Ervas aromáticas e especiarias para tempero e confeção

– Refeições por dia, mas pequenas

– Pequenos-almoços ricos e completos

– Atividade física ao ar livre

Top –

– Sal e produtos salgados

– Açúcar e alimentos açucarados

– Bebidas alcoólicas

– Alimentos processados e pré-confecionados

– Fritos, assados e refogados com muita gordura

– Carne e gordura animal

– Quantidade de alimentos no prato (escolha um prato mais pequeno)

– Desperdício alimentar

– Atividades sedentárias

 

Sandra Alves

Médica, nutricionista e membro da Sociedade Portuguesa do AVC

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Josefinas abre lojas pop-up em Braga e Lisboa
Automonitor
Cepsa Black Week começa esta sexta-feira