Já lavou os dentes hoje? Saiba que pastas deve evitar

Estudo britânico adverte consumidores a ver os ingredientes que podem ter um potencial abrasivo.

Apesar de satisfeitos com o crescimento do número de pessoas interessadas na sua higiene oral, médicos dentistas britânicos realizaram um novo estudo com objetivo de fornecer uma visão geral especializada dos produtos dentífricos com base em carvão. Além de que quiseram comprovar a veracidade das alegações feitas pelos fabricantes dos 50 produtos analisados.

A recente maior utilização de pastas de dentes de carvão, na ausência de um suporte científico, pode ser considerada uma estratégia de marketing, com resultados. A utilização do carvão em diferentes produtos de higiene oral, como pastas, cremes e pós dentífricos ou mesmo em propósitos médicos, tem crescido nos últimos tempos, interessadas, sobretudo, na ideia de ter uns dentes brancos.

Se a comercialização desses produtos à base de carvão cresceu, também aumentou, provavelmente, o número de pessoas que escovam os dentes pelo menos uma ou duas vezes ao dia e passaram a reconhecer a necessidade de ajuda profissional para melhorar sua saúde oral. Essa é uma conclusão positiva, no entanto, os especialistas esperam que quem só começou a lavar os dentes «graças aos produtos com carvão» mais cedo ou mais tarde mantenham essa «rotina com o uso de uma pasta dos dentes com eficácia comprovada». Isto porque apenas oito por cento dos produtos examinados contêm flúor, que é crucial para combater a cárie dentária.

Com efeito, a investigação também descobriu que, mesmo entre os produtos que contêm a substância, a sua eficácia pode tornar-se obsoleta porque o carvão vegetal pode inibir o efeito do flúor.

Entre os produtos testados, a maioria afirmava ter benefícios terapêuticos, enquanto 30 por cento dizia que fortalecia os dentes. Outras reivindicações identificadas na revisão incluíram desintoxicação (46%), propriedades antibacterianas ou antissépticas (44%) e benefícios antifúngicos (12%). Mas os especialistas dizem que nenhuma dessas afirmações foi comprovada.

Quase todos os cremes dentais (96 por cento) também afirmaram ter propriedades de branqueamento dos dentes, mas a pesquisa afirma que as pastas ou os pós à base de carvão contêm uma quantidade insuficiente de agentes para ter qualquer efeito de branqueamento ou remoção de manchas.

Os autores do estudo sublinharam a necessidade dos consumidores de «verem se os produtos que compram contêm flúor». Além de acrescentarem que o «cálcio e o fosfato também são necessários para fortalecer o esmalte dos dentes».

Artigos relacionados
Comentários
Loading...