2022 pode ser o ano para novas resoluções no que diz respeito à moda e ao consumo

Um novo ano sinaliza uma nova oportunidade para repensarmos velhos hábitos e, nesse aspeto, uma área em que todos podemos dar passos é com o nosso guarda-roupa, juntando-nos ao movimento de consumo de moda em segunda mão e melhor.

Felizmente, ao contrário de muitas outras resoluções, os ajustes de moda vêm com praticamente zero dor, apenas o máximo de ganho. Além disso, podem ser implementados durante todo o ano, para que possas continuar onde paraste, a qualquer momento, sem qualquer culpa. Este fator de bem-estar é fundamental para fazer com que as resoluções cheguem a bom porto e não sejam apenas uma moda de janeiro.

Aqui, os especialistas da app de compras e venda de artigos em segunda mão Vinted partilham algumas das resoluções de moda que todos poderíamos considerar fazer este 2022 que não só nos ajudará a ficar bem, mas também a sentirmo-nos bem.

1. Pense uma segunda vez sobre em segunda mão

Pergunte a um estranho se eles sabem se estás a usar em segunda mão em vez de algo novo, e as hipóteses são que eles não faziam ideia.

Pode começar com um pequeno desafio – da próxima vez que fizer uma compra, pense se pode encontrar esse artigo em segunda mão. Não precisa de ser em todos os artigos, mas tente parar e pensar em que escolhas está disponível primeiro. E se sentir que está a progredir, pode aumentar para pequenos objetivos, como fazer 10% do seu guarda-roupa total de fontes em segunda mão.

Outra grande dica para se juntar à revolução em segunda mão é começar com acessórios como sapatos, malas e joias, uma vez que o tamanho será mais fácil de determinar sem ver o artigo.

Trocar novos por artigos em segunda mão ajuda a reduzir o desperdício de moda desnecessário, uma vez que ajuda a prolongar a vida útil das roupas que já estão em circulação e à espera de serem usadas novamente. Além disso, provavelmente economizará algum dinheiro ao fazer compras em segunda mão também, e juntando tudo, pode ser capaz de fazer um pequeno mealheiro para umas férias ou uma visita ao spa!

2. Reutilize a roupa de festa

O estigma de ser ‘apanhado’ a usar a mesma roupa duas vezes está a ser ultrapassado. As roupas são feitas para serem usadas mais do que uma vez, e até mesmo as roupas de festa podem ser facilmente adaptadas e readaptadas para o desgaste diário, para aumentar o uso.

Por exemplo, sapatos de casamento podem muitas vezes ser tingidos, e os vestidos de festa podem ser combinados com um blazer simples para um look do dia-a-dia. Além disso, conheça o seu alfaiate ou costureira local – com alguns pequenos ajustes pode transformar um vestido de baile num prático vestido da cidade, por isso não deixe que roupas especiais definhem no guarda-roupa ou permitam que a “roupa de festa” dite a frequência com que as usa.

3. Mantenha apenas o que for necessário

Transforme o seu “destralhar anual” num hábito regular, para que conforme o ano avança, nunca chegue ao ponto em que deixa de haver espaço no roupeiro – e isto aplica-se em várias áreas da casa. Evite as gavetas atulhadas e as gincanas para encontrar aquela camisola de meia estação, por manter apenas o necessário no seu guarda-roupa. Pode mantê-lo adotando uma abordagem “entra um, sai outro”, através da qual só se permite comprar um item se puder remover outro item da sua coleção, idealmente vendendo-o para evitar que ele vá para o lixo, ou doando-o para caridade. Esta abordagem consciente ajudará a manter a paz no seu guarda-roupa para que não lute cada vez que quer encontrar alguma peça, e obriga-o a pensar nas roupas que realmente quer guardar e vestir.

4. Criar um inventário de cada item que possui

Isto pode parecer o pior tipo de administração, mas podemos ficar surpreendidos com o quanto temos, especialmente por aquelas peças que raramente vêem a luz do dia – ou porque já não estão dentro do nosso gosto, já não servem, ou simplesmente porque nos esquecemos que elas estavam lá!

Escrever uma lista (ou tirar fotografias) da roupa, sapatos e acessórios que temos, e agrupá-los por categoria, ou seja, vestidos, camisas, sapatos, etc. Podemos assim ver o que temos e o que já não precisamos e então decidir o destino a dar-lhes: se àquele amigo que adora aquele artigo, se doar para solidariedade ou vender para recuperar parte do dinheiro que gastámos.

Fazer isto pode não só com que nos voltemos a apaixonar pelo nosso guarda-roupa, como também pode ajudar a limitar essas compras de impulso desnecessárias.

5. Escolha a qualidade em vez da quantidade

Sempre que possível, tente escolher melhor qualidade e marcas que trabalhem de forma mais ética quando comprar. Quer escolha um artigo novo ou em segunda mão, pode ter de pagar um pouco mais, mas a longo prazo, esse artigo é mais propenso a durar, o que significa que terá um “custo por desgaste” mais baixo que será o seu uso. Se com o tempo, o artigo deixar de servir ou deixar de ter utilidade, ainda terá uma peça de qualidade que pode vender a outra pessoa e recuperar parte do seu dinheiro. Comprar melhor pode dar frutos a longo prazo.

Ler Mais


Artigos relacionados
Comentários
Loading...