Salvador Sobral homenageia Wim Wenders no título do novo álbum

“Paris, Lisboa” é o segundo disco de originais do músico português, que estreia uma faixa na língua francesa ao seu reportório.

Salvador Sobral edita a 29 de março o seu segundo álbum de estúdio, “Paris, Lisboa”. O álbum é lançado em Portugal com o selo da Valentim de Carvalho e no resto do mundo sob a chancela da Warner Music Spain.

O novo álbum de Salvador Sobral tem 12 músicas e o primeiro single, “Anda Estargar-me os Planos”, é uma adaptação de uma música que foi a concurso no Festival da Canção, em 2018, com interpretação de Joana Barra Vaz.

O álbum conta com sete canções em português, das quais resultam dois duetos com convidados – António Zambujo em nova versão de “Mano a Mano” e Luísa Sobral com uma canção de autoria da própria, “Prometo Não Prometer”. “Paris, Lisboa” tem também três canções em castelhano, uma em inglês e uma (estreia) em francês.

O título do segundo álbum do músico vencedor do festival da Eurovisão 2017 foi inspirado numa viagem entre as duas cidades que lhe dão nome e como homenagem ao argumento e realização do clássico de 1984, de Wim Wenders, “Paris, Texas”.

A apresentação do “Paris, Lisboa” vai decorrer, em primeira instância, numa digressão internacional de dez concertos em abril, na Polónia, Alemanha e Suíça. Ainda em 2019, Salvador Sobral volta a Espanha para visitar o Palau de la Música Catalana, em Barcelona, e já tem concertos confirmados nos países bálticos.

Posteriormente, o disco é apresentado ao vivo em Portugal no mês de maio. Dia 3 no Teatro das Figuras, em Faro, dia 10 no Coliseu dos Recreios, em Lisboa e dia 11 no Coliseu do Porto.

História da carreira

Salvador Sobral estreou-se em 2016 com “Excuse me”, que apresenta inéditos, feitos em parceria com o músico venezuelano Leonardo Aldrey, e versões de temas como “Autumn in New York”, um ‘standard’ de jazz, e “Nem eu”, de Dorival Caymmi.

Em 2017, depois de ter vencido o Festival Eurovisão da Canção, Salvador Sobral apresentou-se na banda Alexander Search, projeto inspirado na poesia inglesa de Fernando Pessoa em que os músicos, tal como o poeta, assumem personagens, e cujo álbum de estreia foi editado em junho desse ano.

No final de 2017 editou o disco “Excuse me ao vivo”, foi distinguido pelos European Border Breakers Awards e, juntamente com a irmã, foi escolhido como Personalidade do Ano pela Associação da Imprensa Estrangeira em Portugal.

Depois de uma pausa na carreira por razões de saúde – fez um transplante de coração -, Salvador Sobral regressou em 2018 aos concertos, numa digressão nacional e em Espanha por conta ainda de “Excuse me”.

Artigos relacionados
Comentários