Os 50 são os novos 30. Sem crises de meia-idade e com bastante liberdade

Dizer que o mundo mudou nas últimas décadas é praticamente um lugar-comum, mas a verdade é que mudou mesmo. E muito.

Dizer que o mundo mudou nas últimas décadas é praticamente um lugar-comum, mas a verdade é que mudou mesmo. E muito. Para isso contribuiu o forte desenvolvimento da tecnologia e das próprias democracias, mas, se olharmos para a população, verificamos que não foi só o mundo que nos rodeia a evoluir de forma disruptiva. Nós também mudámos bastante na forma como pensamos, comunicamos, construímos as nossas relações sociais, trabalhamos e enfrentamos os desafios da vida.

Segundo o estudo How was life? – Global Well-Being since 1820, desenvolvido pela OCDE, em Portugal tínhamos uma esperança média de vida à nascença de 35,6 anos em 1920, o que hoje nos parece uma vida bastante curta. Com a esperança média de vida acima dos 81 anos nos dias de hoje, temos muito mais tempo para viver e isso mudou por completo a forma como olhamos para a idade.

Portugal é um país em que as pessoas nascidas antes da década de 70 representam mais de 55% da população, mas o curioso é que nos tempos atuais esta faixa etária apresenta características muito diferentes das que encontrámos em gerações anteriores. É verdade que a expetativa de viver mais é, desde logo, uma forma de rejuvenescimento. Estamos mais jovens na proporção em que estamos mais longe da morte. Mas a diferença entre quem tem 50 anos hoje e os tinha na década de 80, por exemplo, é mais profunda do que isso.

Cada vez mais a reforma e a pré-reforma são encaradas como uma fase de maior disponibilidade para aproveitar a vida. Com os filhos já criados e a carreira profissional consolidada, é chegada a altura destas pessoas olharem para si próprias e aproveitarem da melhor forma uma vida que ainda será longa. Mais do que nunca, estamos perante uma geração de pessoas com mais de 50 anos que gostam de divertir-se, fazer exercício físico, alimentar-se com qualidade, fazer compras, ir jantar fora ou ao cinema, ler, sociabilizar e viajar.

Somos o que comemos

Se chegou aos 50 com saúde, está de parabéns, mas este não é, definitivamente, o momento de se descuidar. O corpo e as necessidades nutricionais variam ao longo do tempo e dependem de fatores como a idade, o sexo, o peso, a altura e o estado geral de saúde. A partir dos 50 anos homens e mulheres sofrem alterações a nível hormonal, que mudam as necessidades do corpo em termos de alimentação. Nas mulheres, a menopausa é a altura em que começam a surgir problemas ósseos, como a osteoporose, pelo que se torna necessário ter boas fontes de cálcio e vitamina D na alimentação.

Além de ser essencial ter uma alimentação saudável, é também fundamental beber água para manter os níveis de hidratação e o bom funcionamento dos órgãos. À medida que a idade avança, perdemos gradualmente a sensação de sede, pelo que beber água deixa de ser algo instintivo e passa a ser uma coisa de que não pode simplesmente esquecer-se de fazer. Somos aquilo que comemos e aos 50 anos temos ainda muito para viver. Faça as opções certas à mesa e viva em pleno, com mais qualidade!

A importância do exercício

Fazer exercício físico é meio caminho andado para ter uma vida saudável e isto aplica-se a todas as idades. No entanto, o exercício que se faz aos 20 anos não é o mesmo que se faz aos 50, pelo que, a partir de uma determinada idade, praticar desporto implica aconselhamento médico. O exercício físico durante a menopausa, por exemplo, não deve ser de alto impacto, pelo que deve ser dada prioridade a atividades como ioga ou pilates. Por outro lado, a presença de osteoporose, doenças de foro cardíaco ou outras patologias podem determinar o tipo de desporto a praticar, a frequência e o esforço físico envolvido. Se tiver os cuidados necessários e consultar o seu médico, praticar exercício físico trará inúmeras vantagens e qualidade de vida.

Uma atividade regular promove o bem-estar, controla o peso, reduz o risco de doenças cardiovasculares, diabetes e obesidade e diminui o stress. Tudo bons motivos para não deixar de se exercitar agora que chegou aos 50, ou para começar a fazê-lo se não tiver já este excelente hábito.Conhecer o mundo!Se teve ou ainda tem uma carreira profissional muito envolvente e sente que as férias não chegam para se aventurar nas viagens com que sempre sonhou, a chegada ou proximidade da idade de reforma é o momento certo para começar a planear a partida para aquele destino que o fez vibrar durante anos, mas que nunca teve a oportunidade de visitar.

Qual a sua viagem de sonho?

Da Foz do Iguaçú, no Brasil, às futuristas cidades do Japão, que contrastam com uma cultura milenar, passando pelo majestoso Taj Mahal, na Índia, ou por destinos mais próximos, como os famosos lagos escoceses, o mundo está ao seu alcance e finalmente tem tempo para o conhecer. Lance-se numa aventura sem precedentes e aproveite a vida ao máximo.

Programas culturais

Quantas vezes ao longo da sua vida pensou que gostaria de ter tempo para ler mais? Para ver mais filmes? Para ir mais vezes ao teatro? Para ouvir do princípio ao fim aquela coleção de discos de vinil que não saem da gaveta há anos? Se é um apreciador de cultura e nunca teve disponibilidade ou mesmo vontade para investir tempo da sua vida nesta área, este é o momento de começar.

O pequeno prazer de ler um livro numa tarde a meio da semana, ao ar livre ou mesmo em casa, pode ser o momento alto do seu dia. Por outro lado, se preferir programas em grupo, por que não visitar os museus e monumentos da sua cidade, ou ir ao teatro no final da semana com os amigos? A cultura é um património inestimável e um excelente pretexto para se manter ativo, física e intelectualmente. Invista em si.Finanças pessoais

Acha que é tarde de mais para poupar?

Não podia estar mais enganado. Principalmente se ainda não chegou à reforma, este é o momento de continuar os seus hábitos de poupar e também de pensar em modos de poupança alternativos àqueles que já tem. O dinheiro nunca é de mais, e entre depósitos, fundos de investimento, seguros de capitalização e outros produtos financeiros, existem muitas formas de fazer crescer as suas poupanças. Conheça as diferentes opções que tem para investir o seu dinheiro e não se limite aos bancos.

Lembre-se que as seguradoras também têm produtos que lhe podem interessar na ótica de poupar para a reforma, por exemplo. E que existem opções de maior risco em que pode querer investir, sempre de forma controlada, para capitalizar ainda mais o seu dinheiro.Seja feliz!Acima de tudo, chegar aos 50 anos é entrar numa fase em que a experiência que a vida proporcionou até então, o alívio de algumas responsabilidades e a maior disponibilidade de tempo juntam-se numa conjugação perfeita para se manter positivo e ser feliz.

O envelhecimento não é nem deve ser um drama e muito menos uma desculpa para baixar os braços e não fazer mais nada daquilo que gosta. É precisamente o contrário. É uma oportunidade única da vida de fazer mais, de sentir e de viver mais. Aproveite tudo o que vida lhe dá e seja feliz!

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Josefinas abre lojas pop-up em Braga e Lisboa
Automonitor
Cepsa Black Week começa esta sexta-feira